Generosidade

Dana


O tema da Generosidade tambm est disponvel em udio


Um tesouro

"E qual o tesouro da generosidade? o caso em que um nobre discpulo permanece em casa com uma mente desprovida da mcula da avareza, espontaneamente generoso, mo aberta, que se delicia com a renncia, devotado caridade, deliciando-se em dar e compartir. A isto se denomina o tesouro da generosidade."

-- AN VII.6 

 


Cinco recompensas

"Bhikkhus, h cinco benefcios da generosidade. Quais cinco? (1) A pessoa estimada pelas pessoas em geral. (2) A pessoa tem pessoas verdadeiras como companheiros. (3) Ela desfruta de boa reputao. (4) A pessoa no se esquiva das responsabilidades de um chefe de famlia. (5) Na dissoluo do corpo aps a morte, ela renasce num destino feliz, no paraso."

-- AN V.35  


Superando a mesquinharia

Conquiste a raiva com a no raiva,
conquiste o mal com o bem,
com a generosidade conquiste a avareza,
conquiste a mentira com a verdade.

-- Dhp 223

Aquilo que o varo teme quando ele no d
exatamente o perigo que ameaa o no doador.
A fome e a sede que o varo teme
afligem esse tolo neste mundo e no prximo.

-- SN I.32

Os avaros no vo para os parasos,
os ignorantes no elogiam a generosidade,
mas o sbio que se delicia em dar
desfrutar de felicidade na vida futura.

-- Dhp 177 


Dando mesmo a sua ltima refeio

"Se os seres soubessem, como eu sei, os resultados de dar e compartir, eles no comeriam sem antes ter dado, nem permitiriam que a mcula do egosmo tome conta das suas mentes. Mesmo se fosse o seu ltimo bocado, a sua ltima mordida, eles no comeriam sem ter compartido, se houvesse algum com quem compartir. Mas porque os seres no sabem, como eu sei, os resultados de dar e compartir, eles comem sem ter dado. A mcula do egosmo toma conta das suas mentes."

-- It 26 


Aquilo que dado est bem salvo

Portanto, quando o mundo arde
Com [as chamas] do envelhecimento e morte,
Ele deveria remover [sua riqueza] sendo generoso:
Aquilo que dado est bem salvo.

Aquilo que dado produz bons frutos,
Mas no aquilo que no dado.
Ladres ou reis roubam-no,
queimado pelo fogo ou perdido.

-- SN I.41 


Dando no momento adequado

Na poca oportuna eles do -
com sabedoria,
responsivos, livres da avareza.
Tendo dado na poca oportuna,
com os coraes inspirados pelos Nobres
- eretos, Assim -
as suas oferendas produzem abundncia.
Aqueles que se regozijam com essa oferenda
ou do assistncia,
eles, tambm, compartem do mrito,
e a oferenda no fica esgotada por isso.
Assim, com a mente sem hesitao
a pessoa deve dar onde a oferenda produz bons frutos.
Mrito o que estabelece
os seres na prxima vida

-- AN V.36


Para colher as maiores recompensas a quem devemos dar?

Estando sentado a um lado, o rei Pasenadi de Kosala disse para o Abenoado: "Onde, senhor, deve uma oferenda ser dada?"

"Em qualquer lugar em que a mente sinta confiana, grande rei."

"Mas uma oferenda dada onde, senhor, resulta em grandes frutos?"

"Esta [questo] uma coisa, grande rei - Onde deve uma oferenda ser dada? - enquanto essa - Onde que uma oferenda dada resulta em grandes frutos - algo totalmente diferente. O que dado a uma pessoa virtuosa - ao invs de uma pessoa no virtuosa - resulta em grandes frutos."

-- SN III.24

 


Muitos frutos

" possvel, senhor, apontar um fruto da generosidade visvel no aqui e agora?"

" possvel, Siha. Quem generoso, um mestre na generosidade, querido e simptico para as pessoas em geral. E o fato de que quem generoso, um mestre na generosidade, ser querido e simptico para as pessoas em geral: esse um fruto da generosidade visvel no aqui e agora.

"Alm disso, boas pessoas, pessoas ntegras, admiram quem generoso, um mestre da generosidade. E o fato de que boas pessoas, pessoas ntegras, admirarem quem generoso, um mestre na generosidade: esse, tambm, um fruto da generosidade visvel no aqui e agora.

"Alm disso, a fina reputao de quem generoso, um mestre da generosidade, se difunde amplamente. E o fato de que a fina reputao de quem generoso, um mestre da generosidade, se difundir amplamente: esse, tambm, um fruto da generosidade visvel no aqui e agora.

"Alm disso, quando algum generoso, um mestre da generosidade, se aproxima de uma assemblia de pessoas - nobres guerreiros, brmanes, chefes de famlia, ou contemplativos - ele assim o faz com confiana e sem embarao: e o fato de que quando algum generoso, um mestre da generosidade, se aproximar de uma assemblia de pessoas - nobres guerreiros, brmanes, chefes de famlia, ou conntemplativos faz-lo com confiana e sem embarao: esse, tambm, um fruto da generosidade visvel no aqui e agora.

"Alm disso, na dissoluo do corpo, aps a morte, aquele que generoso, um mestre da generosidade, renasce num destino feliz, no paraso. E o fato de que na dissoluo do corpo, aps a morte, aquele que generoso, um mestre da generosidade, renascer num destino feliz, no paraso: esse, tambm, um fruto da generosidade visvel na prxima vida.

Quando isto foi dito, o general Siha disse para o Abenoado: "Quanto aos quatro frutos da generosidade visveis no aqui e agora que foram apontados pelo Abenoado, no o caso de que com relao a eles eu os aceite pela convico no Abenoado. Eu os conheo tambm. Eu sou generoso, um mestre da generosidade, querido e simptico para as pessoas em geral. Eu sou generoso, um mestre da generosidade; pessoas boas, pessoas ntegras me admiram. Eu sou generoso, um mestre da generosidade e minha fina reputao est amplamente difundida: Siha generoso, ele faz, apia a Sangha. Eu sou generoso, um mestre da generosidade e quando me aproximo de uma assemblia de pessoas - nobres guerreiros, brmanes, chefes de famlia, ou contemplativos - eu o fao com confiana e sem embarao.

"Porm quando o Abenoado me diz, Na dissoluo do corpo, aps a morte, aquele que generoso, um mestre da generosidade, renasce num destino feliz, no paraso. Isso eu no sei. Isso eu aceito com base na convico no Abenoado."

"Assim , Siha. Assim . Na dissoluo do corpo, aps a morte, aquele que generoso, um mestre da generosidade, renasce num destino feliz, no paraso."

-- AN V.34

 


Muitas razes, muitos frutos

"Sariputta, h o caso em que a pessoa d uma oferenda buscando seu prprio benefcio, com sua mente apegada [ recompensa], pensando em acumul-la para si mesma [com o pensamento], 'Eu a desfrutarei aps a morte.' Ela d uma oferenda - comida, bebida, roupas, um veculo, um ornamento, perfume e ungento, roupas de cama, moradia, uma lamparina - para um brmane ou um contemplativo. O que voc pensa , Sariputta? Pode uma pessoa dar uma oferenda como essa?"

"Sim, senhor."

"Tendo dado essa oferenda buscando seu prprio benefcio, com sua mente apegada [ recompensa], pensando em acumul-la para si mesma [com o pensamento], 'Eu a desfrutarei aps a morte.' - na dissoluo do corpo, aps a morte, ela renasce no mundo dos devas dos Quatro Grandes Reis. Ento tendo esgotado aquela ao, aquele poder, aquele status, aquela soberania, ela retorna, voltando a este mundo.

"Ento h o caso em que a pessoa d uma oferenda sem buscar seu prprio benefcio, sem a mente apegada [ recompensa], no pensando em acumul-la para si mesma nem [com o pensamento], 'Eu a desfrutarei aps a morte.' Ao invs disso, ela d uma oferenda com o pensamento A generosidade boa. Ela d uma oferenda - comida, bebida, roupas, um veculo, um ornamento, perfume e ungento, roupas de cama, moradia, uma lamparina- para um brmane ou um contemplativo. O que voc pensa , Sariputta? Pode uma pessoa dar uma oferenda como essa?"

"Sim, senhor."

"Tendo dado essa oferenda com o pensamento, A generosidade boa, na dissoluo do corpo, aps a morte, ela renasce no mundo dos devas do Tavatimsa. Ento tendo esgotado aquela ao, aquele poder, aquele status, aquela soberania, ela retorna, voltando a este mundo.

"Ou, ao invs de pensar A generosidade boa ela d a oferenda com o pensamento, 'Isto foi dado no passado, feito no passado, por meu pai e av. No seria correto que eu permitisse que esse antigo costume da famlia fosse descontinuado' ... na dissoluo do corpo, aps a morte, ela renasce no mundo dos devas do Yama. Ento tendo esgotado aquela ao, aquele poder, aquele status, aquela soberania, ela retorna, voltando a este mundo.

"Ou, ao invs de pensar ... ela d uma oferenda com o pensamento, Eu sou prspero. Eles no so prsperos. No seria correto, que em sendo eu prspero, no desse uma oferenda para aqueles que no so prsperos ... na dissoluo do corpo, aps a morte, ela renasce no mundo dos devas do Tusita. Ento tendo esgotado aquela ao, aquele poder, aquele status, aquela soberania, ela retorna, voltando a este mundo.

"Ou, ao invs de pensar ela d uma oferenda com o pensamento Tal como no passado houve o sacrifcio dos sbios - Atthaka, Vamaka, Vamadeva, Vessamitta, Yamataggi, Angirasa, Bharadvaja, Vasettha, Kassapa, e Bhagu - da mesma forma essa ser a minha distribuio de oferendas ... na dissoluo do corpo, aps a morte, ela renasce no mundo dos devas Nimmanarati. Ento tendo esgotado aquela ao, aquele poder, aquele status, aquela soberania, ela retorna, voltando a este mundo.

"Ou, ao invs de pensar ela d uma oferenda com o pensamento, Quando esta minha oferenda dada, a minha mente fica clara com serena confiana. Surgem a satisfao e a alegria ... na dissoluo do corpo, aps a morte, ela renasce no mundo dos devas Paranimmita-vasavatti. Ento tendo esgotado aquela ao, aquele poder, aquele status, aquela soberania, ela retorna, voltando a este mundo.

"Ou, ao invs de pensar Quando esta minha oferenda dada, a minha mente fica clara com serena confiana. Surgem a satisfao e a alegria ela d uma oferenda com o pensamento Isto um ornamento para a mente, um suporte para a mente. Ela d uma oferenda - comida, bebida, roupas, um veculo, um ornamento, perfume e ungento, roupas de cama, moradia, uma lamparina - para um brmane ou um contemplativo. O que voc pensa , Sariputta? Pode uma pessoa dar uma oferenda como essa?"

"Sim, senhor."

"Tendo dado isso, sem buscar seu prprio benefcio, nem com a mente apegada [ recompensa], pensando em acumul-la para si mesmo [com o pensamento], 'Eu a desfrutarei aps a morte.'

" nem com o pensamento, 'A generosidade boa,

" nem com o pensamento, 'Isto foi dado no passado, feito no passado, por meu pai e av. No seria correto que eu permitisse que esse antigo costume da famlia fosse descontinuado,'

" - nem com o pensamento, Eu sou prspero. Eles no so prsperos. No seria correto, em sendo eu prspero, no desse uma oferenda para aqueles que no so prsperos,' nem com o pensamento, Tal como no passado houve o sacrifcio dos sbios - Atthaka, Vamaka, Vamadeva, Vessamitta, Yamataggi, Angirasa, Bharadvaja, Vasettha, Kassapa, e Bhagu - da mesma forma essa ser a minha distribuio de oferendas,

" nem com o pensamento, Quanto esta minha oferenda dada, a minha mente fica clara com serena confiana. Surgem a satisfao e a alegria,

" porm com o pensamento, Isto um ornamento para a mente, um suporte para a mente. - na dissoluo do corpo, aps a morte, ela renasce no mundo dos devas do Cortejo de Brahma. Ento tendo esgotado aquela ao, aquele poder, aquele status, aquela soberania, ela no retorna. Ela no retornar a este mundo.

"Essa, Sariputta, a causa, essa a razo, porque uma pessoa d uma oferenda de um certo tipo e no resulta em grandes frutos ou grandes benefcios, enquanto que outra pessoa d uma oferenda do mesmo tipo e resulta em grandes frutos e grandes benefcios."

-- AN VII.49

 


A maior oferenda

Oferecer o Dhamma supera todas as demais oferendas.

Dhp 354


O passo seguinte no Treinamento Gradual: Virtude

 

Revisado: 18 Julho 2015

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.