Samyutta Nikaya LI.20

Vibhanga Sutta

Anlise

Somente para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuio gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribudo para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuio ou uso.
De outra forma todos os direitos esto reservados.

 


Bhikkhus, essas quatro bases do poder espiritual, quando desenvolvidas e cultivadas, trazem grandes frutos e benefcios.

E como, bhikkhus, as quatro bases do poder espiritual so desenvolvidas e cultivadas de modo que tragam grandes frutos e benefcios?

Aqui, bhikkhus, um bhikkhu desenvolve a base do poder espiritual que possui concentrao devido ao desejo e s formaes volitivas do esforo, pensando: Assim, o meu desejo no estar nem demasiado frouxo e nem demasiado tenso; e ele no estar nem contrado internamente e nem distrado externamente. E ele permanece percebendo depois e antes: Como antes, assim depois; como depois, assim antes; como abaixo, assim acima; como acima, assim abaixo; como o dia, assim a noite; como a noite, assim o dia. Assim, com uma mente aberta e no confinada, ele desenvolve a mente imbuda de luminosidade.

Ele desenvolve a base do poder espiritual que possui concentrao devido energia ... concentrao devido mente ... concentrao devido investigao ... ele desenvolve a mente imbuda de luminosidade.

(I. Anlise do desejo como base)

E o que, bhikkhus, um desejo demasiado frouxo? o desejo acompanhado pela lassido, associado lassido. A isso chamamos de desejo demasiado frouxo.

E o que, bhikkhus, um desejo demasiado tenso? o desejo acompanhado pela inquietao, associado inquietao. A isso chamamos de desejo demasiado tenso.

E o que, bhikkhus, um desejo contrado internamente? o desejo acompanhado pela preguia e torpor, associado preguia e torpor. A isso chamamos de desejo contrado internamente.

E o que, bhikkhus, um desejo distrado externamente? o desejo que repetidamente distrado externamente, repetidamente perturbado pelos cinco elementos do prazer sensual. A isso chamamos de desejo distrado externamente.

E como, bhikkhus, um bhikkhu permanece percebendo depois e antes: Como antes, assim depois; como depois, assim antes? Neste caso, bhikkhus, a percepo depois e antes bem compreendida por um bhikkhu, bem atendida, bem considerada, bem penetrada atravs da sabedoria. dessa forma, bhikkhus, que um bhikkhu permanece percebendo depois e antes: Como antes, assim depois; como depois, assim antes [1]

E como, bhikkhus, um bhikkhu permanece percebendo como abaixo, assim acima; como acima, assim abaixo? Neste caso, bhikkhus, um bhikkhu examina esse mesmo corpo para cima partir da sola dos ps e para baixo a partir do topo da cabea, limitado pela pele e repleto de muitos tipos de coisas repulsivas, portanto: Neste corpo existem plos do corpo, unhas, dentes, pele, carne, tendes, ossos, tutano, rins, corao, fgado, diafragma, bao, pulmes, intestino grosso, intestino delgado, contedo do estmago, fezes, blis, fleuma, pus, sangue, suor, gordura, lgrimas, saliva, muco, lquido sinovial, e urina. dessa forma, bhikkhus, que um bhikkhu permanece percebendo como abaixo, assim acima;como acima, assim abaixo.

E como, bhikkhus, um bhikkhu permanece como o dia, assim a noite; como a noite, assim o dia? Neste caso, bhikkhus, durante a noite, um bhikkhu desenvolve a base do poder espiritual que possui concentrao devido ao desejo e s formaes volitivas do esforo atravs das mesmas qualidades, das mesmas caractersticas, dos mesmos aspectos que ele usa para desenvolver aquela base do poder espiritual durante o dia. Ou ento, durante o dia ele desenvolve a base do poder espiritual que possui concentrao devido ao desejo e s formaes volitivas do esforo atravs das mesmas qualidades, das mesmas caractersticas, dos mesmos aspectos que ele usa para desenvolver aquela base do poder espiritual durante a noite. dessa forma, bhikkhus, que um bhikkhu permanece como o dia, assim a noite; como a noite, assim o dia.

E como, bhikkhus, um bhikkhu, com uma mente aberta e no confinada, desenvolve a mente imbuda de luminosidade? Neste caso, bhikkhus, a percepo da luz bem compreendida pelo bhikkhu; a percepo do dia bem determinada. [2] dessa forma, bhikkhus, que um bhikkhu com uma mente aberta e no confinada, desenvolve a mente imbuda de luminosidade.

(II. Anlise da energia como base)

E o que, bhikkhus, a energia demasiado frouxa? a energia acompanhada pela lassido, associada lassido. A isso chamamos de nergia demasiado frouxa.

E o que, bhikkhus, a energia demasiado tensa? a energia acompanhada pela inquietao, associada inquietao. A isso chamamos de energia demasiado tensa.

E o que, bhikkhus, a energia contrada internamente? a energia acompanhada pela preguia e torpor, associada preguia e torpor. A isso chamamos de energia contrada internamente.

E o que, bhikkhus, a energia distrada externamente? a energia que repetidamente distrada externamente, repetidamente perturbada pelos cinco elementos do prazer sensual. A isso chamamos de energia distrada externamente .... (segue igual acima) ...

dessa forma, bhikkhus, que um bhikkhu com uma mente aberta e no confinada, desenvolve a mente imbuda de luminosidade.

(III. Anlise da mente como base)

E o que, bhikkhus, a mente demasiado frouxa? a mente acompanhada pela lassido, associada lassido. A isso chamamos de mente demasiado frouxa.

E o que, bhikkhus, a mente demasiado tensa? a mente acompanhada pela inquietao, associada inquietao. A isso chamamos de mente demasiado tensa.

E o que, bhikkhus, a mente contrada internamente? a mente acompanhada pela preguia e torpor, associada preguia e torpor. A isso chamamos de mente contrada internamente.

E o que, bhikkhus, a mente distrada externamente? a mente que repetidamente distrada externamente, repetidamente perturbada, pelos cinco elementos do prazer sensual. A isso chamamos de mente distrada externamente .... (segue igual acima) ...

dessa forma, bhikkhus, que um bhikkhu com uma mente aberta e no confinada, desenvolve a mente imbuda de luminosidade.

(IV. Anlise da investigao como base)

E o que, bhikkhus, a investigao demasiado frouxa? a investigao acompanhada pela lassido, associada lassido. A isso chamamos de investigao demasiado frouxa.

E o que, bhikkhus, a investigao demasiado tensa? a investigao acompanhada pela inquietao, associada inquietao. A isso chamamos de investigao demasiado tensa.

E o que, bhikkhus, a investigao contrada internamente? a investigao acompanhada pela preguia e torpor, associada preguia e torpor. A isso chamamos de investigao contrada internamente.

E o que, bhikkhus, a investigao distrada externamente? a investigao que repetidamente distrada externamente, repetidamente perturbada pelos cinco elementos do prazer sensual. A isso chamamos de investigao distrada externamente .... (segue igual acima) ...

dessa forma, bhikkhus, que um bhikkhu com uma mente aberta e no confinada, desenvolve a mente imbuda de luminosidade.

Quando, bhikkhus, as quatro bases do poder espiritual tiverem sido desenvolvidas e cultivadas desse modo, elas trazem grandes frutos e benefcios.

Quando, bhikkhus, as quatro bases do poder espiritual tiverem sido desenvolvidas e cultivadas desse modo, um bhikkhu exerce os vrios tipos de poderes supra-humanos: tendo sido um, ele se torna vrios; tendo sido vrios, ele se torna um; ele aparece e desaparece; ele cruza sem nenhum problema uma parede, um cercado, uma montanha ou atravs do espao; ele mergulha e sai da terra como se fosse gua; ele caminha sobre a gua sem afundar como se fosse terra; sentado de pernas cruzadas ele cruza o espao como se fosse um pssaro; com a sua mo ele toca e acaricia a lua e o sol to forte e poderoso; ele exerce poderes corporais at mesmo nos distantes mundos de Brahma

Quando as quatro bases do poder espiritual tiverem sido desenvolvidas e cultivadas desse modo, um bhikkhu, com o elemento do ouvido divino, que purificado e ultrapassa o humano, ouve tanto os sons divinos como os humanos e tanto aqueles distantes como os prximos.

Quando as quatro bases do poder espiritual tiverem sido desenvolvidas e cultivadas desse modo, um bhikkhu compreende as mentes de outros seres, de outras pessoas, abarcando-as com a sua prpria mente. Ele compreende uma mente afetada pelo desejo como afetada pelo desejo e uma mente no afetada pelo desejo como no afetada pelo desejo; Ele compreende uma mente afetada pela raiva como afetada pela raiva e uma mente no afetada pela raiva como no afetada pela raiva; Ele compreende uma mente afetada pela deluso como afetada pela deluso e uma mente no afetada pela deluso como no afetada pela deluso; Ele compreende uma mente contrada como contrada e uma mente distrada como distrada; Ele compreende uma mente transcendente como transcendente e uma mente no transcendente como no transcendente; Ele compreende uma mente supervel como supervel e uma mente no supervel como no supervel; Ele compreende uma mente concentrada como concentrada e uma mente no concentrada como no concentrada; Ele compreende uma mente libertada como libertada e uma mente no libertada como no libertada.

Quando as quatro bases do poder espiritual tiverem sido desenvolvidas e cultivadas desse modo, um bhikkhu se recorda das suas muitas vidas passadas, isto , um nascimento, dois nascimentos, trs nascimentos, quatro, cinco, dez, vinte, trinta, quarenta, cinqenta, cem, mil, cem mil, muitos ciclos csmicos de contrao, muitas ciclos csmicos de expanso, muitas ciclos csmicos de contrao e expanso, L eu tinha tal nome, pertencia a tal cl, tinha tal aparncia. Assim era o meu alimento, assim era a minha experincia de prazer e dor, assim foi o fim da minha vida. Falecendo daquele estado, eu ressurgi ali. Ali eu tambm tinha tal nome, pertencia a tal cl, tinha tal aparncia. Assim era o meu alimento, assim era a minha experincia de prazer e dor, assim foi o fim da minha vida. Falecendo daquele estado, eu ressurgi aqui. Assim ele se recorda das suas muitas vidas passadas nos seus modos e detalhes.

Quando as quatro bases do poder espiritual tiverem sido desenvolvidas e cultivadas desse modo, um bhikkhu, por meio do olho divino, que purificado e ultrapassa o humano, v seres falecendo e renascendo, inferiores e superiores, bonitos e feios, afortunados e desafortunados. Ele compreende como os seres prosseguem de acordo com as suas aes desta forma: Esses seres dotados de m conduta com o corpo, linguagem e mente, que insultam os nobres, com o entendimento incorreto e realizando aes sob a influncia do entendimento incorreto com a dissoluo do corpo, aps a morte, renasceram no plano de privao, num destino ruim, nos planos inferiores, no inferno. Porm, estes seres - dotados de boa conduta com o corpo, linguagem e mente, que no insultam os nobres, com o entendimento correto e realizando aes sob a influncia do entendimento correto com a dissoluo do corpo, aps a morte, renasceram num bom destino, no paraso. Dessa forma - por meio do olho divino, que purificado e ultrapassa o humano, ele v seres falecendo e renascendo, inferiores e superiores, bonitos e feios, e ele compreende como os seres continuam de acordo com as suas aes..

Quando as quatro bases do poder espiritual tiverem sido desenvolvidas e cultivadas desse modo, um bhikkhu, com a eliminao das impurezas mentais, permanece em um estado livre de impurezas com a libertao da mente e a libertao pela sabedoria, tendo conhecido e manifestado isso para si mesmo no aqui e agora.

 


 

Notas:

[1] Isto significa manter a ateno com consistncia no objeto de meditao, em todos os seus aspectos durante toda a sesso de meditao, do incio ao fim. [Retorna]

[2] Um bhikkhu d ateno percepo da luz, algumas vezes com os olhos cerrados, algumas vezes com os olhos abertos. Quando a luz surge, quer os olhos estejam abertos ou cerrados, ento a percepo da luz surgiu. Quer seja dia ou noite, se ele dissipar a preguia e torpor atravs da luz e se ocupar com o objeto da meditao, a percepo que surgiu em relao luz foi bem compreendida. [Retorna]

>> Prximo Sutta

 

 

Revisado: 14 Janeiro 2013

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.