9. Papavagga

O Mal

 


 

 

Apresse em praticar o bem
e proteja sua mente do mal.
Para aquele que hesita em fazer o bem
sua mente se deleita com o mal.
                                                        Dhp 116

[Nota 1] - Para ouvir

 

Se algum praticar algum mal
que no o faa vez aps vez.
Que nisso no encontre deleite:
sofrimento acumul-lo.
                                                        Dhp 117

[Nota 2] - Para ouvir

 

Se algum praticar algum bem
que ele o faa vez aps vez.
Que nisso encontre deleite:
felicidade acumul-lo.
                                                        Dhp 118

[Nota 3] - Para ouvir

 

Enquanto o mal no amadurece
os malfeitores podem ser bem afortunados,
mas quando o mal amadurecer
o malfeitor ver maus resultados.
                                                        Dhp 119

Enquanto o bem no amadurece
os benfeitores podem ser desafortunados,
mas quando o bem amadurecer
o benfeitor ver bons resultados.
                                                        Dhp 120

[Nota 4] - Para ouvir

 

No subestime o mal pensando:
"Ele no ir me atingir".
Pois tal como gota a gota
se enche um pote,
tambm o tolo se enche do mal
pouco a pouco acumulado.
                                                        Dhp 121

No subestime o bem pensando:
"Ele no ir me beneficiar".
Pois tal como gota a gota
se enche um pote,
tambm o sbio se enche do bem
pouco a pouco acumulado.
                                                        Dhp 122

[Nota 5] - Para ouvir

 

Tal como um rico comerciante com pequena caravana
evita um caminho perigoso,
igual a um homem que ama a vida evita o veneno,
deve-se evitar todo mal.
                                                        Dhp 123

[Nota 6] - Para ouvir

 

Se na mo no h ferida
at mesmo veneno pode levar.
O veneno no afeta algum sem feridas,
tal como o mal no afeta aqueles que no o praticam.
                                                        Dhp 124

[Nota 7] - Para ouvir

 

Aquele que rude com os puros,
imaculados e livres das impurezas,
sobre esse tolo o mal se volta
tal como poeira fina atirada contra o vento.
                                                        Dhp 125

[Nota 8] - Para ouvir

 

Alguns nascem no ventre,
malvados no inferno,
aqueles no bom caminho vo para o paraso,
enquanto que aqueles sem impurezas: Nibbana.
                                                        Dhp 126

[Nota 9] - Para ouvir

 

Nem no cu, nem no meio do oceano,
nem habitando uma caverna numa montanha,
no h nenhum lugar nesse mundo
onde algum possa permanecer e escapar de suas aes prejudiciais.
                                                        Dhp 127

[Nota 10] - Para ouvir

 

Nem no cu, nem no meio do oceano,
nem habitando uma caverna numa montanha,
no h nenhum lugar nesse mundo
onde algum possa permanecer e no ser subjugado pela morte.
                                                        Dhp 128

[Nota 11] - Para ouvir

 

 


 

ndice                                                                                             10. Dandavagga

 


 

Notas:

[Nota 1 - Verso 116] Abhittharetha kalyane (apresse em praticar o bem): dedique-se prtica de aes benficas sem qualquer perda de tempo. A prtica do caminho espiritual foi chamada pelo Buda de patisogatami, ir contra a torrente do mundo. A tendncia normal da mente ser arrastada por emoes e praticar aes inbeis. Se algum no se esfora em ir contra essa torrente, essa pessoa praticar aes inbeis e seguir pelo caminho incorreto. [Retorna]

[Nota 2 - Verso 117] Papa (mal): aes inbeis ou prejudiciais, akusala. Prejudiciais so aquelas volies karmicas, as conscincias e os outros fatores mentais concomitantes a elas associadas, que so acompanhadas pela cobia (lobha), ou averso (dosa), ou apenas deluso (moha); e todos esses fenmenos so causas para resultados karmicos desfavorveis e contm as sementes de destinos e renascimentos infelizes.

Akusala-sadharana-cetasika (fatores mentais associados com todas as aes prejudiciais): so quatro: (1) no ter vergonha de cometer transgresses (akirika); (2) no temer cometer transgresses (anottapa); (3) inquietao (uddhacca); (4) deluso (moha). Veja mais no Glossrio sobre a vergonha e temor em cometer transgresses, hiri-ottapa .

Mula (raiz): tambm chamadas de hetu, so aquelas condies que pela sua presena na mente determinam a qualidade moral - benfica (kusala) ou prejudicial (akusala) de uma volio ou inteno (cetana) e a conscincia (citta) e os fatores mentais (cetasika) associados a esta, em outras palavras, a qualidade do kamma. H seis razes, trs kammicamente benficas e trs kammicamente prejudiciais, a saber, respectivamente, cobia, averso e deluso (lobha, dosa, moha) e no-cobia, no-averso e no-deluso (alobha, adosa, amoha).

Cobia surge atravs da ateno sem sabedoria a um objeto atraente, a averso surge atravs da ateno sem sabedoria a um objeto repulsivo. Assim, a cobia (lobha ou raga) engloba todos os graus de atrao em direo a um objeto, desde o trao mais sutil de um pensamento de desejo at as formas mais grosseiras de egosmo, enquanto que a averso (dosa) engloba todos os graus de averso, desde o trao mais sutil de m-vontade at os mais altos picos de dio e ira. Essas aes prejudiciais (papa) - matar, roubar, conduta sexual imprpria, linguagem mentirosa, linguagem maliciosa, linguagem grosseira, linguagem frvola, cobia, m-vontade e entendimento incorreto - estas coisas ocorrem devido cobia, averso ou deluso.

Encantado com a luxria (cobia), enfurecido com o dio, cego pela deluso, dominado completamente, com a mente agrilhoada, o homem almeja sua prpria runa, a runa dos outros, a runa de ambos, e ele experimenta o sofrimento mental e a tristeza. E ele segue maus caminhos em suas aes, palavras e pensamentos, e ele realmente no entende o que benfico para ele mesmo, o que benfico para os outros, nem o que benfico para ambos. Essas coisas o tornam cego e ignorante, obstruem sua sabedoria, so dolorosas, e no o conduzem paz. [Retorna]

[Nota 3 - Verso 118] Pua (bem): aes meritrias. Kusala outro termo para designar tais tipos de aes. Veja no glossrio a definio de pua e kusala. [Retorna]

[Nota 4 - Versos 119 e 120] Esses dois versos foram ditos pelo Buda no decorrer de um evento em que o tesoureiro Anathapindika estava presente. Anathapindika, um milionrio, era o principal discpulo leigo e patrocinador do Buda. Seu nome, Anathapindika, significa "alimentador dos desamparados". Seu nome original era Sudatta. Devido sua generosidade mpar ele recebeu o novo nome. Sua terra natal era Savatthi.

Atha papo papa ni passati (o malfeitor ver maus resultados): uma pessoa m pode levar uma vida prspera como resultado de suas aes benficas passadas. Ela ir experienciar a felicidade devido ao potencial das suas aes benficas passadas superarem as aes prejudiciais do presente - uma aparente injustia que muitas vezes prevalece neste mundo. Quando, numa ocasio, de acordo com a inevitvel lei de kamma, suas aes prejudiciais frutificarem, ento ela ver os resultados dolorosos de sua maldade. Veja mais sobre kamma no guia de estudo sobre kamma

Atha bhadro bhadra ni passati (o benfeitor ver bons resultados): uma pessoa virtuosa, como muitas vezes acontece, pode se deparar com adversidades, devido ao potencial de suas aes prejudiciais passadas superarem suas aes benficas do presente. Ela somente se convence da eficcia de suas aes benficas do presente quando, no momento oportuno, elas frutificarem, trazendo felicidade abundante. O fato de que s vezes os maus so prsperos e os virtuosos so desafortunados, em si, uma forte evidncia que apoia a crena na lei kamma e renascimento. [Retorna]

[Nota 5 - Verso 122] Mavamaetha (no subestime): a inteno deste verso enfatizar que as aes benficas, por mais insignificantes que possam parecer, no devem ser subestimadas. Uma vez que esse tipo de ao gera resultados em termos de felicidade, at mesmo uma pequena quantidade de bem pode ser til. [Retorna]

[Nota 6 - Verso 123] Appasattho (com pequena caravana): a expresso "sattha" denota um grupo de comerciantes. Eles viajam de um lugar para o outro comercializando suas mercadorias. s vezes, eles viajam em caravanas formidveis. Nos tempos antigos, tais caravanas eram compostas de carroas e carruagens tracionadas por bois. Uma vez que eles tinham de percorrer uma variedade de regies, algumas vezes eles eram atacados por bandidos. Para enfrentar esses ataques, os comerciantes viajavam em grandes grupos, capazes de dissipar um ataque de bandidos. Na poca do Buda essas caravanas de carroas eram uma caracterstica marcante na economia. Nesse verso enfatizado um hbito destes comerciantes extremamente ricos. Se eles fossem muito ricos, mas a caravana fosse pequena (appasattho), eles evitariam os "caminhos perigosos" (bhayam maggam). Caminhos perigosos eram aqueles conhecidos por serem habitados por bandidos.

Papani (mal): aes prejudiciais com o corpo, linguagem e pensamento. Elas esto enraizadas na cobia (lobha), averso (dosa) e deluso (moha). Esses so atos emocionais que trazem infelicidade tanto para si mesmo como para os outros. O mal to perigoso e evidente como bandidos e venenos. [Retorna]

[Nota 7 - Verso 124] Visam (veneno): Se um homem que no tem feridas em sua mo toca em veneno, este no o afetar. Da mesma forma, o mal no vai afetar algum que no pratica aes prejudiciais.

No comentrio desse verso conta-se a histria de uma discpula leiga que tinha alcanado o primeiro estgio de iluminao (sotapanna) e era casada com um caador. Depois do Buda relatar a histria dela aos monges eles lhe perguntaram: "Venervel, a esposa do caador, que uma sotapanna, no tambm culpada por matar seres vivos, j que ela pega coisas como redes, arcos e flechas para o seu marido quando ele vai caar?" E o Buda responde: "Monges, os sotapannas no matam, nem desejam que os outros morram. A esposa do caador estava somente obedecendo a seu marido ao pegar coisas para ele. Assim como uma mo sem feridas no afetada pelo veneno, assim tambm, como ela no tem nenhuma inteno de praticar o mal ela no est praticando nenhum mal". Veja o guia de estudo sobre sotapanna. [Retorna]

[Nota 8 - Verso 125] Ananganassa (livre das impurezas): algum desprovido de impurezas (anganas). Anganas so impurezas que surgem de raga (paixo), dosa (averso) e moha (deluso). Estas so descritas como anganas (literalmente, espaos abertos, playgrounds), porque o mal surge a partir delas sem inibio. s vezes o termo "mcula" tambm usado com referncia aos anganas. Etimologicamente, anganas tambm significa a capacidade de depravar uma pessoa contaminada por mculas. Em alguns contextos, anganas significa sujeira. Um indivduo que desprovido de impurezas referido como anangana. [Retorna]

[Nota 9 - Verso 126] Sagga (paraso): nos comentrios tradicionais, sagga definido como se segue: rupadihi paca kama gunehi sutthu aggoti - saggo. Que significa: o lugar onde os prazeres dos cinco sentidos aparecem com a maior intensidade possvel. Aqueles que vivem nos parasos so chamados de devas.

Gabbham eke uppajjanti (nascem no ventre): de acordo com o Budismo existem quatro tipos de gerao, a saber: gerao em um ovo (andaja), gerao em um ventre (jalabuja), gerao na umidade (samsedaja), gerao espontnea (opapatika). Veja mais no MN12.

Nirayam pa pakammino (malvados no inferno): niraya = ni + aya = desprovido de felicidade. Existem quatro tipos de nirayas - ou seja, os estados de privao (apaya), o reino animal (tiracchanayoni), o reino dos petas (petayoni), e o reino dos demnios-asuras (asurayoni). Nenhum desses estados eterno. De acordo com seus kammas prejudiciais os seres podem renascer nesses mundos de existncia miserveis. Depois de morrerem nesses mundos eles podem renascer em mundos mais felizes de acordo com seus kammas benficos passados.

Parinibbanti anasava (aqueles sem impurezas: Nibbana): os arahants, aps a morte, no renascem, mas sim realizam o parinibbana. Veja no glossrio a definio de parinibbana. [Retorna]

[Nota 10 - Verso 127] Na vijjati so jagatippadeso (no se conhece nenhum lugar no mundo): a implicao aqui que no h nenhum lugar, quer seja na terra, no mar, ou no cu, onde um malfeitor possa escapar das consequncias de suas aes prejudiciais. O verso menciona alguns dos lugares que poderiam ser considerados seguros: antalikkhe (espao ou cu); samuddamajjhe (no meio do mar); pabbatanam vivaram (caverna numa montanha). [Retorna]

[Nota 11 - Verso 128] Nappasahetha maccu (no ser subjugado pela morte): a implicao desse verso que no h nenhum lugar no mundo onde a morte no possa alcanar uma pessoa. Em termos positivos, onde quer que se v, no h escapatria da morte.


ndice                                                                                              10. Dandavagga

 

 

Revisado: 12 Janeiro 2013

Copyright © 2000 - 2021, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.