III. Compêndio da Matéria (rupa)

 


 

A palavra em Pali para matéria, rupa, é explicada como sendo uma derivação do verbo ruppati, que significa “ser deformado, perturbado, golpeado, oprimido, partido.” Os comentários afirmam que a matéria é assim denominada porque ela está sujeita a alterações devido a condições físicas adversas tais como frio e calor, fome e sede, moscas e mosquitos, vento e sol, etc.

O Compêndio da Matéria está dividido em cinco partes: 1. Enumeração, 2. Classificação, 3. Origem, 4. Agrupamento e Modos de Ocorrência (sendo que este último não será abordado neste trabalho).

Enumeração dos Fenômenos Materiais(rupasamuddesa)

O Abhidhamma enumera 28 tipos de fenômenos materiais que estão agrupados em duas categorias: os quatro grandes elementos essenciais e os fenômenos materiais derivados deles. Os quatro grandes elementos são os elementos materiais primários: água, terra, fogo e ar. Esses são os constituintes fundamentais inseparáveis da matéria e que em suas várias combinações fazem parte da composição de todas as substâncias materiais, da menor partícula até a maior montanha. Os fenômenos materiais derivados são como o próprio nome diz derivados ou dependentes dos quatro grandes elementos. No total, os fenômenos materiais derivados são 24 em número. Os grandes elementos podem ser comparados com a terra e os fenômenos derivados com os arbustos e árvores que crescem na dependência da terra.

O conjunto dos 28 tipos de fenômenos materiais está dividido em dois grandes grupos: um grupo é o da matéria produzida de forma concreta, que possui natureza intrínseca e assim é passível de contemplação através do insight. E o outro, sendo mais abstrato em sua natureza, é denominado como matéria produzida de forma não-concreta. Abaixo encontram-se relacionados os dois grupos dos fenômenos materiais:

 

Matéria Produzida de forma concreta

Matéria não concreta

I. Grandes elementos essenciais

1. Elemento Terra

2. Elemento Água

3. Elemento Fogo

4. Elemento Ar

VIII. Fenômeno limitante

19. Elemento do espaço

II. Fenômenos Sensitivos

5. Sensibilidade no olho

6. Sensibilidade no ouvido

7. Sensibilidade no nariz

8. Sensibilidade na língua

9. Sensibilidade no corpo

IX. Fenômeno da comunicação

20. Manifestação Corporal

21. Manifestação Verbal

III. Fenômenos Objetivos

10. Formas visíveis

11. Sons

12. Aromas

13. Sabores

Tangíveis (= 3 elementos: terra, fogo, ar)

X. Fenômenos Mutáveis

22. Leveza

23. Maleável

24. Manuseável

IV. Fenômenos Sexuais

14. Feminilidade

15. Masculinidade

XI.Características da Matéria

25. Produção

26. Continuidade

27. Decadência

28. Impermanência

 

V. Fenômeno do Coração

16. Base do Coração

 

VI. Fenômeno da Vida

17. Faculdade vital

 

VII. Fenômeno nutricional

18. Alimento

 

 

Matéria Produzida de forma concreta (nipphannarupa)

Estes dezoito tipos de fenômenos materiais enumerados acima podem ser agrupados como:

matéria que possui natureza intrínseca porque cada tipo possui uma natureza objetiva distinta, tal como a dureza no caso do elemento terra, etc.;

matéria que possui características reais porque eles possuem as três marcas: impermanência, sofrimento e não-eu;

matéria produzida de forma concreta porque eles são diretamente produzidos por condições como kamma, etc.;

matéria material porque eles possuem a característica essencial da matéria de estar sujeita à deformação;

matéria para ser compreendida através do insight porque eles devem ser empregados como objetos do insight através da contemplação das três marcas.

(I) O elemento terra é assim chamado porque, como a terra, ele serve como suporte ou fundação para os fenômenos materiais coexistentes. O elemento terra tem a característica da dureza.

O elemento água ou fluidez, é o fator material que faz com que as diferentes partículas da matéria fiquem coesas, evitando que elas se espalhem.

O elemento fogo tem a característica do calor, a sua função é amadurecer os outros fenômenos materiais. Tanto o calor como o frio são os modos como o elemento fogo é sentido.

O elemento ar é o princípio do movimento e da pressão. A sua função é causar o movimento dos outros fenômenos materiais.

Em conjunto, os quatro elementos estão suportados pelo elemento terra, unidos pelo elemento água, mantidos pelo elemento fogo e distendidos pelo elemento ar.

(II) Fenômenos sensitivos são os cinco tipos de matéria localizada em cada um dos cinco órgãos dos sentidos. A sensibilidade deve ser distinguida do órgão em si, que é o que lhe dá suporte. Aquilo que convencionamos chamar de olho, no Abhidhamma, é chamado de o composto do olho, um composto de vários fenômenos materiais. Entre eles está a sensibilidade no olho, a substância sensível na retina que registra a luz e a cor e que serve como base física e porta para a consciência no olho. Uma descrição semelhante se aplica ao ouvido, nariz, língua e corpo, exceto que no corpo a sensibilidade se estende a todo o corpo e serve para registrar as sensações tangíveis.

(III) Fenômenos objetivos são os cinco campos sensoriais, (objetos tangíveis), que servem como suporte objetivo para a respectiva consciência nos órgãos dos sentidos.

(IV) Fenômenos sexuais são as duas faculdades que possuem as características do sexo feminino ou do sexo masculino. A sua manifestação são as marcas, sinais e características femininas e masculinas.

(V) Base do coração: Uma base é o suporte físico para a ocorrência da consciência. A base do coração serve como o suporte físico para todos os tipos de consciência, exceto aqueles originados nos cinco meios dos sentidos, que tomam os fenômenos sensitivos como sua base.

(VI) Faculdade vital: é a contrapartida material da faculdade vital mental. Vida ou vitalidade é chamada de faculdade porque possui uma influência dominante sobre os seus adjuntos. A faculdade vital tem a característica de manter os tipos de matéria coexistindo no momento da sua presença. A sua função é fazer com que eles ocorram.

(VII) Alimento tem como característica ser uma essência nutritiva, (ou em outras palavras, todo alimento pode gerar energia). Sua função é dar sustento ao corpo físico.

Matéria não concreta (anipphannarupa)

Os tipos de matéria contidos neste grupo são designados como não concretos porque eles não surgem das quatro causas para a origem da matéria, (veja abaixo – A Origem da Matéria), mas existem como modalidades ou atributos da matéria concreta. O Abhidhammattha Sangaha traz mais detalhes deste tipo de matéria mas isto não será objeto deste trabalho.

2. Classificação da Matéria (rupavibhaga)

A matéria pode ser única:

Toda matéria é desprovida de raiz, (delusão, aversão, cobiça), porque não está associada com as raízes saudáveis, insalubres ou indeterminadas, a associação com as raízes está limitada aos fenômenos mentais. Toda matéria possui condições porque ela surge na dependência de quatro causas, (veja abaixo– A Origem da Matéria). A matéria está sujeita às contaminações, porque pode se tornar um objeto das quatro impurezas,(asavas). A matéria é condicionada e mundana porque não há matéria que transcenda o mundo dos cinco agregados. Toda matéria é da esfera sensual: embora a matéria exista no plano da matéria sutil, ela pertence, por sua natureza, à esfera sensual porque é o objeto do desejo sensual. A matéria não possui um objeto, pois ao contrário dos fenômenos mentais, a matéria não é capaz de perceber um objeto. A matéria não pode ser abandonada, tal como as contaminações que são abandonadas através dos quatro caminhos supramundanos.

A matéria pode ser múltipla:

Os cinco tipos de fenômenos sensitivos são considerados como internos, todos os demais são externos, (esta é uma definição técnica do Abhidhamma, embora outros fenômenos materiais ocorram dentro do corpo, apenas os cinco fenômenos sensitivos são classificados como internos). Os cinco fenômenos sensitivos mais a base do coração são considerados bases dos sentidos. Os cinco fenômenos sensitivos mais os dois meios de manifestação são considerados como portas dos meios dos sentidos. Uma base é o suporte físico para a ocorrência da consciência. Uma porta é o canal através do qual as cittas e os cetasikas de um processo cognitivo ganham acesso ao objeto. Embora as cinco primeiras bases coincidam com as cinco primeiras portas, isto é, a sensibilidade nos órgãos dos sentidos, uma base não é idêntica à porta já que ambas desempenham papéis diferentes na origem da consciência.

Os quatro grandes elementos mais os quatro derivativos – cor, aroma, sabor e essência nutritiva - são conhecidos como matéria ou fenômenos materiais inseparáveis porque eles estão sempre em conjunto e estão presentes em todos os objetos materiais, dos mais elementares aos mais complexos. Os outros tipos de fenômenos materiais podem estar presentes ou não e por isso são considerados como separáveis.

3. A Origem da Matéria

Os fenômenos materiais podem se originar de quatro formas: de kamma, da consciência, da temperatura e do alimento.

1. Kamma: se refere à volição, (cetana), presente em estados de consciência saudáveis ou insalubres. Existem vinte cinco tipos de kamma que produzem fenômenos materiais: as doze cittas insalubres da esfera da sensualidade, as oito cittas saudáveis da esfera da sensualidade e as cinco cittas saudáveis da esfera da materialidade sutil. As cittas saudáveis da esfera imaterial geram o renascimento no plano imaterial e dessa forma não produzem fenômenos materiais originados de kamma. Dezoito tipos de fenômenos materiais são produzidos por kamma: os oito fenômenos materiais inseparáveis nos nove grupos produzidos por kamma, (veja abaixo – Agrupamento de Fenômenos Materiais); os cinco tipos de fenômenos sensitivos; as duas faculdades sexuais; a faculdade vital da matéria; a base do coração; e o espaço.

2. Consciência: existem vários fenômenos materiais produzidos pelos distintos estados de consciência: os fenômenos materiais que ocorrem a partir do surgimento do primeiro momento de consciência, após a consciência de renascimento; na manutenção das posturas corporais; na manifestação verbal e corporal; no sorriso ou no riso.

3. Temperatura: começando com a consciência de renascimento, o elemento fogo interno presente nos grupos materiais formados a partir do kamma se combina com o elemento fogo externo e começa a produzir fenômenos materiais orgânicos originados do calor. Depois disso, o elemento fogo, presente em todos os fenômenos materiais, produz fenômenos materiais orgânicos nascidos do calor ao longo de toda a existência. Externamente, a temperatura ou o elemento fogo também produz fenômenos materiais inorgânicos tais como as transformações climáticas e geológicas.

4. Alimento: o alimento produz fenômenos materiais a partir do momento em que é engolido.

4. O Agrupamento de Fenômenos Materiais

Os fenômenos materiais não ocorrem de forma isolada mas em combinações ou grupos conhecidos como rupakalapas, sendo que existem 21 grupos enumerados, (abaixo encontram-se relacionados apenas 14 grupos a título de exemplo). Todos os fenômenos materiais num grupo surgem juntos e cessam juntos.

Grupos que se originam do kamma: a faculdade vital, junto com os oito fenômenos materiais inseparáveis, juntamente com o olho formam o grupo do olho. Da mesma forma com o ouvido, nariz, língua, corpo, feminilidade, masculinidade e base do coração. Os oito fenômenos materiais inseparáveis mais a faculdade vital é o grupo vital. Esses nove grupos se originam de kamma.

Grupos que se originam da consciência: Os oito fenômenos materiais inseparáveis junto com a manifestação corporal formam o grupo da manifestação corporal; junto com a manifestação verbal mais o som formam o grupo da manifestação verbal.

Grupos que se originam da temperatura: O grupo dos oito inseparáveis; o grupo do som.

Grupos que se originam do alimento: O grupo dos oito inseparáveis.

 

Introdução >> II. Compêndio dos Fatores Mentais >> IV. Compêndio do Processo Cognitivo

 

 

Revisado: 12 Abril 2003

Copyright © 2000 - 2020, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flavio Maia: designer.