Digha Nikaya

Os Discursos Longos


O Digha Nikaya, ou "Coleção de Discursos Longos", (Pali digha = "longo"), é a primeira divisão do Sutta Pitaka e consiste de trinta e quatro suttas agrupados em três vaggas ou divisões:

Silakkhandha-vagga -- A Divisão da Virtude (13 suttas = DN 1 a DN 13)
Maha-vagga – A Grande Divisão (10 suttas = DN 14 a DN 23)
Patika-vagga – A Divisão Patika (11 suttas = DN 24 a DN 34)

No ensaio Introdução ao Samyutta Nikaya, Bhikkhu Bodhi descreve o papel do Digha Nikaya da seguinte forma: “A opinião acadêmica predominante, fomentada pelos próprios textos, afirma que a principal base para distinguir os quatro Nikayas é o tamanho dos suttas. Assim, os suttas mais extensos estão contidos no Digha Nikaya, aqueles com extensão média no Majjhima Nikaya e os discursos mais curtos estão distribuídos entre o Samyutta e o Anguttara Nikaya. No entanto, num importante estudo pioneiro, a erudita em Pali, Joy Manné, questionou a premissa de que só o tamanho explica as diferenças entre os Nikayas. Ao comparar cuidadosamente os suttas do DN com aqueles do MN, Manné concluiu que as duas coleções têm a intenção de atender dois propósitos distintos dentro da revelação do Buda. Na opinião dela, o DN estaria primordialmente voltado para o propósito de propaganda, para atrair conversos para a nova religião e dessa forma estaria destinado principalmente para não Budistas que possuem uma inclinação favorável em relação ao Budismo.”

Os suttas do Digha Nikaya também estão disponíveis em livros ebook gratuitos e impressos.



Suttas do Digha Nikaya

Leia acerca dos vários sistemas de numeração dos suttas e as abreviações que são usadas neste site.

Os suttas foram traduzidos do Pali para o inglês por Thanissaro Bhikkhu, Maurice Walsh, Bhikkhu Boddhi, Narada Thera e T. W. Rhys Davis.

1. A Divisão da Virtude (Silakkhandhavagga)

•       Brahmajala Sutta (DN 1) - A Rede Suprema. Todos aqueles que especularem sobre o passado ou sobre o futuro irão desenvolver idéias que se encaixam nos sessenta e dois modos expostos pelo Buda neste discurso. Todas essas idéias refletem esperanças e aspirações que têm como origem o contato entre as seis bases dos sentidos internas e externas. Por sua vez, o contato condiciona a sensação, que por seu turno conduz ao apego e a um novo ciclo de renascimento e morte. Mas o Buda superou tudo isso e todos os sessenta e dois modos de entendimento incorreto são capturados na sua rede suprema.

•       Samanaphala Sutta (DN 2) – Os Frutos da Vida Contemplativa. Neste discurso o Buda apresenta a justificativa para a criação da Sangha monástica. O Rei Ajatasattu de Magadha menciona uma longa lista de ocupações e os benefícios que cada uma proporciona, para questionar o Buda sobre os benefícios, visíveis no aqui e agora, da carreira monástica. Em resposta o Buda lista essas vantagens em ordem ascendente de importância resultando na exposição mais completa do treinamento monástico disponível em todo o Cânone.

•       Ambattha Sutta (DN 3) - Ambattha e o Orgulho Ferido. Este sutta aborda o tema das castas. Pokkharasati, um conhecido mestre Brâmane, envia o seu pupilo Ambattha para investigar se o contemplativo Gotama é deveras um grande homem como dizem. Ambattha se comporta de forma arrogante e grosseira e aprende a lição do Buda, que os Khattiyas são considerados como a casta superior, mas a verdadeira distinção é obtida através da conduta correta e da sabedoria correta. Mais tarde Pokkharasati tem um encontro com o Buda e nele busca refúgio.

•       Sonadanda Sutta (DN 4) - As Qualidades de um Verdadeiro Brâmane. A questão neste sutta é “Quem é um verdadeiro Brâmane?” Sonadanda inicia explicando as cinco qualidades de um Brâmane e o diálogo com o Buda acaba enfocando nos dois elementos essenciais, a virtude e a sabedoria.

•       Kutadanta Sutta (DN 5) - Um Sacrifício sem Sangue. A questão neste sutta é “Qual é o melhor sacrifício?” Depois de rejeitar o sacrifício de animais o Buda ilustra através de uma história do Jataka uma sequência ascendente de importância de sacrifícios iniciando com a generosidade, a fé, o treinamento nos preceitos de virtude e todas as etapas do treinamento monástico.

•       Mahali Sutta (DN 6) – Mahali. O ponto central neste sutta é a questão sobre se a alma e o corpo são a mesma coisa ou não.

•       Jaliya Sutta (DN 7) – Jaliya. Este sutta é idêntico ao DN 6.

•       Mahasihanada Sutta (DN 8) - O Grande Discurso do Rugido do Leão. O Buda discute com o contemplativo Kassapa a validade das práticas de austeridades e de mortificações.

•       Potthapada Sutta(DN 9) - Potthapada. O contemplativo Potthapada questiona o Buda sobre a ‘cessação última da percepção.’ O Buda explica os vários estados de jhana mostrando como a percepção pode ser ‘controlada’ até alcançar a cessação. A discussão passa por várias questões sobre o eu, sobre o mundo e o que ocorre com o Tathagata após a morte.

•       Subha Sutta (DN 10) – Subha. Depois do Parinibbana do Buda, o Venerável Ananda explica para um jovem Brâmane a nobre virtude, concentração e sabedoria, seguindo o mesmo esquema do DN 2.

•       Kevaddha Sutta (DN 11) – Kevaddha. Kevaddha pede ao Buda que realize façanhas supra-humanas de modo a estimular a fé nas pessoas.

•       Lohicca Sutta (DN 12) – Lohicca. A questão neste sutta é “Quem é um bom mestre?”

•       Tevijja Sutta (DN 13) - O Conhecimento Tríplice – O Caminho para Brahma. O Buda ensina os Brahmaviharas para dois jovens Brâmanes que estão confusos devido aos ensinamentos conflitantes dos seus mestres sobre como alcançar a união com Brahma.

2. A Grande Divisão (Mahavagga)

•       Mahapadana Sutta (DN 14) - O Grande Discurso sobre a Linhagem. Os últimos sete Budas regressando 91 éons no tempo. A vida do primeiro Buda, Vipassi, é descrita seguindo o mesmo padrão da vida do último Buda, Gotama. Todos os Budas passam pelas mesmas experiências na sua úlima vida mundana.

•       Mahanidana Sutta (DN 15) - O Grande Discurso da Origem Dependente. Este é o discurso mais longo do Cânone que trata da Origem Dependente, um dos tópicos que o próprio Buda indicou ser o princípio central dos seus ensinamentos.

•       Mahaparinibbana Sutta (DN 16) - O Grande Discurso do Parinibbana. Este é o sutta mais longo do Cânone e relata os últimos dias da vida do Buda, o seu falecimento e a distribuição das suas relíquias.

•       Mahasudassana Sutta (DN 17) - O Grande Esplendor (A Renúncia de um Rei). A mesma história deste sutta aparece no Jataka 95. O Rei Mahasudassana vivia num esplendor de um conto de fadas e possuía os sete tesouros. Por fim ele se retira ao Palácio do Dhamma, que havia sido construido pelos devas, para se dedicar à meditação.

•       Janavasabha Sutta (DN 18) - Janavasabha - Brahma Discursa para os Devas. Um yakkha se apresenta ao Buda declarando que ele é Janavasabha mas que numa vida passada ele foi o Rei Bimbisara de Magadha, o grande benfeitor Budista que foi morto pelo seu filho Ajatasattu. Ele relata acontecimentos numa assembléia dos devas do Trinta e Três.

•       Mahagovinda Sutta (DN 19) - O Grande Administrador – Uma Vida Passada de Gotama. A história do Grande Administrador que foi o ministro de sete reis e depois decidiu seguir a vida santa, conduzindo muitas pessoas, após a morte, ao mundo de Brahma.

•       Mahasamaya Sutta (DN 20) - Devas Visitam o Buda. Um sutta quase todo em verso com um enfoque mitológico.

•       Sakkapanha Sutta (DN 21) - As Perguntas de Sakka. Sakka, o senhor dos devas, tem dúvidas e decide ir até o Buda para aclará-las. Ele pede a Pancasikha que cante uma canção de amor (?!) para chamar a atenção do Buda. O sutta também conta a história de Gopika, que sendo mulher quis renascer com o sexo masculino e que censura três ex-bhikkhus por não serem diligentes o suficiente.

•       Mahasatipatthana Sutta (DN 22) - Os Fundamentos da Atenção Plena. Este é um dos suttas mais abrangentes e importantes sobre meditação, com particular ênfase no desenvolvimento de insight. O Buda inicia declarando que os quatro fundamentos da atenção plena são o caminho direto para Nibbana, para em seguida fornecer instruções detalhadas sobre os quatro fundamentos: a contemplação do corpo, das sensações, mente e objetos mentais (dhammas) .[O texto deste sutta é idêntico ao do Satipatthana Sutta (MN 10), exceto que o MN 10 traz uma explicação mais resumida das Quatro Nobres Verdades.]

•       Payasi Sutta (DN 23) - Debate com um Cético. O Príncipe Payasi não acredita em vidas futuras, ou que as ações boas ou más produzam frutos correspondentes. O ven. Kumara-Kassapa argumenta com uma série de símiles memoráveis.

3. A Divisão Patika (Patikavagga)

•       Patika Sutta (DN 24) - Patika o Charlatão. Sunakkhatta é um discípulo demasiado estúpido. Ele acaba decidindo deixar o Buda pois ele não realiza milagres e não explica a origem das coisas.

•       Udumbarika-Sihanada Sutta (DN 25) - O Rugido do Leão em Udumbarika. O errante Nigrodha se gaba ser capaz de confundir o Buda com apenas uma pergunta. O Buda lhe ensina o caminho que conduz para além da mortificação, para chegar ao cerne.

•       Cakkavatti-Sihanada Sutta (DN 26) - O Rugido do Leão ao Girar a Roda. No início e no final do dicurso o Buda exorta os bhikkhus a se ‘manterem no seu próprio domínio’ através da prática da atenção plena. O discurso traça a visão do papel de um monarca que faz girar a roda, (um governante justo e íntegro), e da evolução do mundo.

•       Agañña Sutta (DN 27) - O Conhecimento da Gênese. Um sutta que traz um relato da evolução do mundo, podendo ser encarado como a Gênese sob o ponto de vista Budista. O sutta faz uma crítica às pretensões de superioridade dos Brâmanes indicando que a posição de cada um depende das ações praticadas.

•       Sampasadaniya Sutta (DN 28) - Serena Convicção. Sariputta explica as razões porque ele tem completa convicção no Buda.

•       Pasadika Sutta (DN 29) - O Discurso Encantador. Uma discussão sobre bons e maus mestres e as razões porque o Buda não revelou certos pontos.

•       Lakkhana Sutta (DN 30) - As Marcas de um Grande Homem. A descrição das trinta e duas marcas de um grande homem e as suas origens como frutos de kamma.

•       Sigalovada Sutta (DN 31) -- Exortação para Sigala/O código de Disciplina para a Pessoa Leiga. O código de disciplina para o chefe de família, descrito pelo Buda para o leigo Sigala. Este sutta oferece valioso conselho sobre como os chefes de família devem se comportar no relacionamento com os pais, esposa, filhos, pupilos, mestres, empregados, empregadores, amigos e mentores espirituais.

•       Atanatiya Sutta (DN 32) - Os Versos Protetores Atanata. Este sutta é um paritta, um composto de versos protetores. Além deste sutta, no Cânone também podem ser encontrados outros suttas com essa mesma característica , como por exemplo o Ratana Sutta (Snp II.1), Khandha Paritta (AN IV.67), Dhajagga Paritta (SN XI.3), e o Mora Paritta (Ja 159).

•       Sangiti Sutta (DN 33) - Recitando Juntos. O ensinamento do Buda sob a forma de listas para recitação.

•       Dasuttara Sutta (DN 34) - Década Expandida. Material semelhante ao DN 33 organizado sob dez títulos.


Revisado: 9 Julho 2016

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.