Udana V.3

Kutthi Sutta

O Leproso

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em certa ocasião, o Abençoado estava em Rajagaha, no Bambual, no Santuário dos Esquilos. Agora, naquela época em Rajagaha havia um leproso chamado Suppabuddha, uma pessoa pobre, miserável, infeliz. E naquela ocasião, o Abençoado estava sentado circundado por uma grande assembléia, ensinando o Dhamma. O leproso Suppabuddha viu de longe o grande grupo de pessoas e pensou consigo mesmo, “Sem dúvida, alguém deve estar distribuindo alimentos ali. Porque não vou até onde se encontra aquele grande grupo de pessoas e talvez eu consiga algum alimento.” Assim ele foi até onde se encontrava aquele grande grupo de pessoas. Então ele viu o Abençoado sentado circundado por uma grande assembléia, ensinando o Dhamma. Ao vê-lo ele compreendeu, “Não há ninguém distribuindo alimentos aqui. Aquele é Gotama o contemplativo, sentado circundado por uma grande assembléia, ensinando o Dhamma. Porque não ouço o Dhamma?” Assim ele sentou a um lado (pensando) “Eu também ouvirei o Dhamma.”

Então, o Abençoado, tendo compreendido a mente de toda a assembléia com a sua mente, perguntou a si mesmo, “Agora quem aqui é capaz de entender o Dhamma?” Ele viu Suppabuddha, o leproso, sentado na assembléia e ao vê-lo o pensamento lhe ocorreu, “Esta pessoa aqui é capaz de entender o Dhamma.” Assim, visando Suppabuddha, o leproso, ele transmitiu o ensino gradual, isto é, falou sobre a generosidade, sobre a virtude, sobre o paraíso; ele explicou o perigo, a degradação e as contaminações dos prazeres sensuais e as vantagens da renúncia. Quando ele percebeu que a mente de Suppabuddha estava pronta, receptiva, livre de obstáculos, satisfeita, clara, com serena confiança, ele explicou o ensinamento particular dos Budas: o sofrimento, a sua origem, a sua cessação e o caminho. Tal como um pano limpo, com todas as manchas removidas, irá absorver um corante de modo adequado, assim também, enquanto Suppabuddha estava ali sentado, a visão imaculada do Dhamma surgiu nele: “Tudo que está sujeito ao surgimento está sujeito à cessação.”

Tendo visto o Dhamma, alcançado o Dhamma, compreendido o Dhamma, examinado a fundo o Dhamma; ele superou totalmente a dúvida, se libertou da perplexidade, conquistou a intrepidez, e se tornou independente dos outros na Revelação do Mestre, ele se levantou do seu assento e foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentou a um lado e disse: “Magnífico, Mestre Gotama! Magnífico, Mestre Gotama! Mestre Gotama esclareceu o Dhamma de várias formas, como se tivesse colocado em pé o que estava de cabeça para baixo, revelasse o que estava escondido, mostrasse o caminho para alguém que estivesse perdido ou segurasse uma lâmpada no escuro para aqueles que possuem visão pudessem ver as formas. Nós buscamos refúgio no Mestre Gotama, no Dhamma e na Sangha dos bhikkhus. Que o Mestre Gotama se lembre de mim como um discípulo que nele buscou refúgio para o resto da vida.”

Então o leproso Suppabuddha, tendo sido instruído, estimulado, motivado e encorajado pelo discurso do Dhamma do Abençoado, satisfeito e aprovando as palavras do Abençoado, levantou-se do seu assento, e depois de homenagear o Abençoado, mantendo-o à sua direita, partiu. Não muito tempo depois da sua partida ele foi atacado por uma vaca com o seu bezerro e morreu.

Então, um grande grupo de bhikkhus foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo, eles sentaram a um lado e disseram: “Senhor, o leproso de nome Suppabuddha, que o Abençoado havia instruído, estimulado, motivado e encorajado com um discurso do Dhamma, morreu. Qual é o destino dele? Qual é o futuro percurso dele?”

“Bhikkhus, o leproso Suppabuddha era sábio. Ele praticou o Dhamma de acordo com o Dhamma e não me molestava com assuntos relacionados ao Dhamma. Com a destruição dos três primeiros grilhões, ele entrou na correnteza, não mais destinado aos mundos inferiores, com o destino fixo, tendo a iluminação como destino.”

Quando isso foi dito, um dos bhikkhus disse para o Abençoado, “Senhor, qual é a causa, qual é a razão, porque o leproso Suppabuddha era uma pessoa tão pobre, miserável e infeliz?”

“Certa vez, nesta mesma Rajagaha, o leproso Suppabuddha era o filho de um rico banqueiro. Ao ser escoltado para um parque de diversões ele viu o Buda Tagarasikhi indo esmolar alimentos na cidade. Ao vê-lo, ele pensou, ‘Quem é esse leproso que está vagabundeando por aí?’ Cuspindo e virando desrespeitosamente o seu lado esquerdo para o Buda Tagarasikhi, ele partiu. Como resultado daquela ação ele ferveu no inferno por muito tempo, muitas centenas de anos, muitos milhares de anos, muitas centenas de milhares de anos. E depois como resultado daquela ação ele se tornou uma pessoa pobre, miserável e infeliz nesta mesma Rajagaha. Mas ao encontrar o Dhamma e Disciplina ensinados pelo Tathagata, ele obteve a convicção, virtude, aprendizado, renúncia e sabedoria. Tendo obtido a convicção, virtude, aprendizado, renúncia e sabedoria ao encontrar o Dhamma e Disciplina ensinados pelo Tathagata, agora – com a dissolução do corpo, após a morte – ele renasceu em um bom destino, o paraíso, em companhia dos devas do paraíso do Trinta e Três. Lá ele eclipsa os outros devas em beleza e glória.”

Então, dando-se conta do significado disso, o Abençoado nessa ocasião exclamou:

Uma pessoa com bons olhos,
    ao encontrar
    um lugar perigoso, irregular,
tentaria de tudo para evitá-lo.
Uma pessoa sábia, neste mundo,
deveria evitar
        ações ruins.

 


 

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 13 Maio 2012

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.