Udana I.9

Jatila Sutta

Jatila

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Naquela ocasião o Venerável Sangamaji havia chegado em Savatthi para ver o Abençoado, e aquela que outrora fora esposa do contemplativo Sangamaji ouviu dizer "O Mestre Sangamaji chegou em Savatthi." Então, levando consigo seu filho pequeno foi até o Bosque de Jeta.

Então, ao chegar, ela foi até Venerável Sangamaji e disse "Cuide de mim, contemplativo, e deste pequeno filho também." Quando isto foi dito o Venerável Sangamaji permaneceu em silêncio. Uma segunda vez, ela disse ... Uma terceira vez, ela disse "Cuide de mim, contemplativo, e deste pequeno filho também." Quando isto foi dito, pela terceira vez, o Venerável Sangamaji permaneceu em silêncio.

Então, o Venerável Sangamaji, não olhou para criança e tampouco direcionou ao menino uma palavra. Ao ver isso, a mulher pensou "Este contemplativo sequer se importa com o seu filho." Então, afastando-se e levando consigo a criança, a mulher partiu.

O Abençoado então viu - através do olho divino, purificado e que sobrepuja o humano - a conduta indevida daquela que outrora fora esposa do contemplativo Sangamaji.

Então, dando-se conta do significado disso, o Abençoado nessa ocasião exclamou:

"Apesar de tantos estarem se banhando aqui
não é através da água que alguém se purifica.
Alguém puro, um brâmane,
é aquele dotado da verdade e disciplina"

 


Notas:

Traduzido por Gabriel Laera a quem agradecemos por esta contribuição ao Dhamma

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 2 Janeiro 2016

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.