Sutta Nipata V.6

Upasiva-manava-puccha

As Perguntas de Upasiva

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Upasiva:

Sozinho, Sakya, e sem apoio, eu não sou capaz de cruzar a grande torrente. Diga-me, você que tudo vê, com qual apoio serei capaz de cruzar essa torrente. [1]

O Buda:

Cruze a torrente, com atenção plena na percepção do nada, [2] apoiando-se em ‘não há nada.’ Abandone os prazeres sensuais, abstenha-se das conversas, busque a destruição do desejo, noite e dia.

Upasiva:

Alguém livre do apego por todos prazeres sensuais, apoiando-se no nada, tendo deixado para trás todos os demais estados, concentrado na libertação mais elevada da percepção, ele ali permanece sem sujeitar-se ao samsara? [3]

O Buda:

Alguém livre do apego por todos prazeres sensuais, apoiando-se no nada, tendo deixado para trás todos os demais estados, concentrado na libertação mais elevada da percepção, ele ali permanece sem sujeitar-se ao samsara.

Upasiva:

Se ele assim permanece nesse estado por muito tempo sem sujeitar-se ao samsara, tornando-se esfriado e libertado, a consciência dele desaparece? [4]

O Buda:

Uma chama atingida pela força do vento tem um fim e não pode mais ser classificada como tal, da mesma forma um sábio livre do corpo mental, tem um fim que não pode ser classificado. [5]

Upasiva:

Aquele que chegou ao fim: ele é aniquilado, ou permanece eternamente intacto? Por favor, sábio, explique isso para mim pois esse fenômeno é do seu conhecimento.

O Buda:

Não há nada através do qual se possa medir aquele que chegou ao fim. Aquilo através do qual alguém poderia defini-lo - não se aplica no caso dele. Quando todos os fenômenos são eliminados,[6] todos os meios de definição também são eliminados.

 


 

Notas:

[1] Upasiva pergunta qual objeto de meditação deve ser empregado para eliminar o sofrimento. [Retorna]

[2] A esfera do nada é um dos quatro níveis de absorção mental imateriais. A pessoa atinge este nível após superar a esfera da consciência infinita, através da percepção, "Não há nada." O MN 26 nos conta que Alara Kalama, o primeiro professor do Buda quando este ainda era um Bodisatva, havia alcançado este nível de absorção mental e pensava que esse era o nível máximo que poderia ser alcançado. O Bodisatva o deixou após dar-se conta de que essa não era a verdadeira libertação do sofrimento. No entanto, a esfera do nada pode ser usada como uma fase para o insight que irá conduzir à libertação [Retorna]

[3] Upasiva quer saber se essa concentração pode ser mantida por muito tempo. [Retorna]

[4] Esfriado aponta para a morte ou seja a libertação ocorrendo após a morte. Esse parece ser o entendimento de Upasiva – que a libertação só poderia ocorrer após a morte. [Retorna]

[5] Para explorar mais a fundo esta afirmativa veja o MN 72 - Aggivacchagotta Sutta - Para Vacchagotta, sobre o Fogo [Retorna]

[6] Embora Upasiva descreva o objetivo como um fenômeno (dhamma), o Buda o descreve como a eliminação ou transcendência de todos os fenômenos. “Não há nada através do qual se possa medir” também pode ser interpretado como meios de compreender. “Meios de definição” também pode ser interpretado como meios de linguagem. Veja também o AN III.134. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 31 Outubro 2008

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.