Sutta Nipata II.14

Dhammika Sutta

Dhammika Sutta

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Então o discípulo leigo Dhammika com outros quinhentos discípulos leigos foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentou a um lado e disse:

"Eu pergunto a Gotama [1] que possui vasta sabedoria o seguinte: De que maneira um discípulo é virtuoso através da ação - ambos o discípulo que adotou a vida santa e o discípulo que é um chefe de família? Pois você claramente entende o comportamento do mundo com os seus devas, e a libertação final [2]. Não existe ninguém igual a você que tenha a habilidade de ver o que é profundo. Você é um Perfeitamente Iluminado. Tendo investigado todo o conhecimento e tendo compaixão pelos seres você anunciou o Dhamma, revelou o que estava escondido, de visão abrangente, imaculado, você ilumina todos os mundos.

"Este Dhamma, sutil e que sacia, ensinado de maneira tão clara por você, Mestre, é isso que todos queremos ouvir. Tendo sido questionado, Iluminado, diga-nos (a resposta ). Todos esses bhikkhus e também os discípulos leigos vieram para ouvir a verdade, permita que eles ouçam o Dhamma que foi despertado (anubuddham) pelo Abençoado, como os devas ouvem as palavras de Vasava." [3]

(O Mestre:) "Ouçam-me, bhikkhus, eu lhes ensinarei a prática ascética (dhamma dhutam), o modo de vida adequado, para aqueles que adotaram a vida santa. Vocês todos lembrem-se disso. Aquele que tem como objetivo o que é bom e aquele que é judicioso deveria praticá-lo.

"Um bhikkhu não deve esmolar comida nas horas inadequadas mas deve ir ao vilarejo na hora apropriada. As tentações podem importunar um bhikkhu que esmole no horário não apropriado. Portanto os sábios não esmolam nas horas incorretas. [4] Visões, sons, sabores, aromas, e contatos corporais embriagam por completo as pessoas. Deixando de lado o desejo por esses objetos sensuais, ele pode esmolar alimentos na hora certa. Obtendo comida, regressando sozinho e sentando-se em um lugar isolado, com atenção plena e evitando distrações, um bhikkhu deve desenvolver autocontrole.

"Se ele falar com um discípulo leigo, ou com qualquer outra pessoa ou com outro bhikkhu, ele deve falar acerca do excelente Dhamma, não difamando outros nem fofocando. Alguns apresentam argumentos controversos; aqueles com pouca sabedoria nós não elogiamos; eles são atados pelos apegos e arrastados pelas suas emoções. [5]

"Tendo ouvido e considerado o Dhamma ensinado pelo Bem-aventurado [6], com sabedoria o discípulo deve fazer uso da comida, moradia, cama, assento, água e manter o manto asseado. Porém um bhikkhu não deve ser maculado por (pelo apego a) essas coisas, como uma flor de lótus não é manchada pela água.

"Agora eu lhes direi as obrigações de um leigo. Seguindo-as um discípulo leigo será virtuoso; pois não é possível para alguém que se ocupa com a vida em família, realizar a prática completa de um bhikkhu.

"Ele não deve matar nenhum ser vivo, nem ser a causa dele ser morto, nem ele deve aprovar que outros matem. Ele deve evitar oprimir todos os seres vivos no mundo, quer sejam fortes ou fracos.

"Um discípulo deve evitar tomar qualquer coisa de qualquer lugar sabendo (que pertence a outrem). Ele não deve roubar, nem aprovar que outros roubem. Ele deve evitar o roubo completamente.

"Um homem sábio deve evitar a luxúria como (se ele evitasse cair em) um buraco cheio de brasas ardentes. Se não for capaz de conduzir uma vida celibatária, ele não deve buscar a mulher do outro.

"Tendo entrado numa corte real ou numa assembléia ele não deve contar mentiras. Ele não deve dizer mentiras nem aprovar alguém que minta. Ele deve evitar a falsidade completamente.

"Um leigo que escolheu praticar este Dhamma não deve entregar-se ao vinho, álcool e outros embriagantes. Ele não deve ingeri-los nem encorajar que alguém o faça; percebendo que isso causa a negligência. Através da embriaguez pessoas tolas realizam atos ruins e prejudiciais e provocam outras pessoas negligentes a fazer o mesmo. Ele deve evitar a embriaguez, essa circunstância para o demérito, que estupefaz a mente, o prazer de pessoas tolas.

Não mate seres vivos;
não tome o que não for dado;
não diga mentiras;
não se embriague;
abstenha-se da relação sexual;
não coma à noite, no horário incorreto;
não use ornamentos com flores, nem use perfumes;
use o chão como cama ou durma sobre uma esteira.

"Esses são chamados os oito preceitos proclamados pelo Iluminado que realizou o fim do sofrimento.

"Com a mente satisfeita observem estes preceitos de virtude no dia de observância (uposatha) no décimo quarto, décimo quinto e oitavo dias da quinzena lunar. Na manhã seguinte, com o coração puro e uma mente alegre, um homem sábio, após observar o uposatha, deve distribuir alimentos e bebidas adequadas para a comunidade de bhikkhus. Ele deve sustentar sua mãe e pai como sua obrigação e dedicar-se a uma atividade dentro da lei. Um leigo que age dessa forma diligentemente, renascerá junto dos devas luminosos. [7]

 


 

Notas:

1. Gotama é o nome de família ou clã do Buda. [Retorna ]

2. De acordo com o comentário, o termo em Pali "gati" traduzido aqui como "comportamento" significa "tendência de caráter" ou "a destinação dos seres após a morte”. [Retorna]

3. "Vasava" é um dos vários nomes de Sakka, senhor dos devas. Esta é uma maneira poética de dizer que eles devem prestar muita atenção. [Retorna]

4. A hora correta para ir ao vilarejo para esmolar alimentos é antes do meio dia. Se um bhikkhu fosse sem percepção, "no horário incorreto," ele poderia ver coisas ou ter experiências que colocariam em perigo a sua vida ou pureza fazendo com que ele retornasse para a vida de leigo. [Retorna]

5. Literalmente, "eles enviam a sua mente para longe." [Retorna]

6. Sugata, bem-aventurado, é um epíteto do Buda. [Retorna]

7. Uma categoria de seres divinos (deva). Um leigo que pratica dessa forma irá, após a morte, renascer como um deles. [Retorna]

 

 

Revisado: 13 Maio 2006

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.