Sutta Nipata I.3

Khaggavisana Sutta

O Chifre do Rinoceronte

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Tendo renunciado à violência
contra todos os seres vivos,
sem atormentar nem mesmo um deles,
que ele não deseje ter um filho,
sem falar num companheiro!
Viva só,
como um rinoceronte.

O apego surge do companheirismo,
a insatisfação surge do apego,
percebendo os perigos do apego,
Viva só,
como um rinoceronte.

Aquele que se compadece
por amigos e entes queridos,
negligencia o verdadeiro objetivo.
Vendo o perigo nessa intimidade,
Viva só,
como um rinoceronte.

O apego por esposas e filhos
é igual a um emaranhado de bambus crescidos,
estando, portanto, livre do emaranhado,
igual a um broto de bambu,
Viva só,
como um rinoceronte.

Tal como um gamo livre na floresta,
vai e come onde queira,
que o sábio, valorizando a liberdade,
Viva só,
como um rinoceronte.

No meio de companheiros
-- estando em casa,
ou fora de casa --
ele é uma presa dos pedimentos.
Dando valor à liberdade,
Viva só,
como um rinoceronte.

Há diversão e amor
no meio de companheiros,
e abundante afeição pelos filhos.
Embora avesso à separação
daqueles que são amados,
Viva só,
como um rinoceronte.

Sem opor resistência às quatro direções,
satisfeito com o que tenha,
agüentando as dificuldades sem temor,
Viva só,
como um rinoceronte.

Eles são difíceis de satisfazer,
alguns daqueles que seguiram a vida santa,
bem como aqueles que vivem em família.
Descartando a preocupação
com os filhos dos outros,
Viva só,
como um rinoceronte.

Cortando os atributos de um chefe de família,[1]
como uma árvore kovilara
que perdeu as suas folhas,
quem é prudente, cortando todos os laços familiares,
Vive só
como um rinoceronte.

Se você obtiver um companheiro sábio,
um companheiro de jornada, que viva com virtude e prudência,
e que tenha conquistado todos os perigos,
então vá com ele, agradecido,
com atenção plena.

Se você não obtiver um companheiro sábio,
um companheiro de jornada, que viva com virtude e prudência,
viva só,
como um rei que renuncia ao seu reino,
como um elefante na floresta de Matanga.

Com certeza nós enaltecemos o companheirismo
-- sim!
aqueles em pé de igualdade, ou melhores em realizações ou desenvolvimento,
devem ser escolhidos como amigos.
Se eles não forem encontrados,
vivendo com perfeição,
Viva só,
como um rinoceronte.

Tendo visto radiantes braceletes de ouro,
bem feitos por um ourives,
tinindo, chocando-se,
dois num só braço,
Viva só,
como um rinoceronte,

[Pensando:]
“Dessa forma,
se eu vivesse com outrem,
seria compelido a falar demasiado ou ser grosseiro.”
Vendo esse futuro perigo,
Viva só,
como um rinoceronte.

Porque os prazeres sensuais,
refinados, doces e encantadores,
enfeitiçam a mente com as suas formas variadas --
vendo essa desvantagem na sensualidade --
Viva só,
como um rinoceronte.

“Calamidade, tumor, infortúnio,
enfermidade, uma flecha, um perigo para mim.”
vendo esse perigo na sensualidade,
Viva só,
como um rinoceronte.

Frio e calor, fome e sede,
vento e sol, insetos e cobras;
agüentando tudo, sem exceção,
Viva só,
como um rinoceronte.

Como um enorme elefante branco,
com ombros maciços,
renunciando ao seu rebanho.
vive na floresta onde queira,
Viva só,
como um rinoceronte.

“Não é possível
que alguém que se delicia com as companhias
possa experimentar mesmo a libertação momentânea.”
ouvindo as palavras do Parente do Sol,
Viva só,
como um rinoceronte.

Transcendendo o entendimento incorreto,
o meio seguro alcançado,
o caminho conquistado,
[compreendendo:]
“Sem ser guiado por outrem,
eu obtive o conhecimento,”
Viva só,
como um rinoceronte.

Sem cobiça, sem fraude,
sem sede, sem hipocrisia --
a delusão e as contaminações
destruídas --
sem desejo por nada no mundo,
Viva só,
como um rinoceronte.

Evite o companheiro cínico
que se entrega ao comportamento prejudicial,
que tem apego pelo entendimento incorreto.
não tome como um amigo
alguém que é irresponsável,
Viva só,
como um rinoceronte.

Associe-se com quem é estudado,
que conhece o Dhamma,
treinado e que possui conhecimento,
tendo compreendido o significado das coisas
e eliminado as suas dúvidas,
Viva só,
como um rinoceronte,

Libertado do apetite, não encontrando deleite
na diversão, no amor e no prazer sensual do mundo,
abstendo-se dos adornos,
falando a verdade,
Viva só,
como um rinoceronte.

Abandonando o desejo excessivo pelos filhos, esposa,
pai, mãe,
riquezas, ganhos, parentes,
e pelos prazeres sensuais,
Viva só,
como um rinoceronte.

O apego às coisas é um grilhão,
a felicidade que isso traz é temporária,
e a insatisfação é maior,
o prazer é menor.
O sábio compreende que isso é como um anzol preso na garganta,
Viva só,
como um rinoceronte.

Rompendo grilhões,
como um peixe na água rasgando uma rede,
como um fogo que não regressa ao que foi queimado,
Viva só,
como um rinoceronte.

Com os olhos baixos, sem vadiar,
com os sentidos guardados, com a mente protegida,
sem se deixar tomar pela cobiça e sem arder nela,
Viva só,
como um rinoceronte.

Abandonando os atributos de um chefe de família,[2]
como uma árvore coral
que perdeu as suas folhas,
seguindo a vida santa com o manto de cor ocre,
Viva só,
como um rinoceronte.

Sem mostrar cobiça por iguarias, sem ser perturbado pelos sabores,
sem ter ninguém que dele dependa,
esmolando de casa em casa,
sem qualquer apego a essas famílias,
Viva só,
como um rinoceronte.

Tendo eliminado da mente os cinco obstáculos,
tendo destruído todas as impurezas da mente,
tendo rompido os grilhões do apego, estando livre,
Viva só,
como um rinoceronte.

Eliminando o prazer e a dor,
bem como a tranqüilidade mental e a aflição mental,
tendo alcançado a equanimidade,
paz e pureza,
Viva só,
como um rinoceronte.

De modo a alcançar o objetivo supremo,
com a mente imaculada, sem ter preguiça ao agir,
firme no esforço, com a força e persistência despertas,
Viva só,
como um rinoceronte.

Sem negligenciar o isolamento e a meditação,
vivendo sempre de acordo com o Dhamma,
compreendendo o perigo no ser/existir,
Viva só,
como um rinoceronte.

Sendo diligente, aspirando a erradicação do desejo,
hábil, estudado, com atenção plena,
proficiente no exame do Dhamma,
seguro no caminho, energético,
Viva só,
como um rinoceronte.

Como um leão que não se sobressalta com os ruídos,
sem estar capturado, como o vento numa rede.
sem estar manchado, como um lótus na água:
Viva só,
como um rinoceronte.

Como um leão - poderoso, com as presas fortes,
que vive como conquistador, rei dos animais -
recorre a uma permanência solitária,
Viva só,
como um rinoceronte.

Praticando no momento certo,
o amor bondade,
compaixão,
alegria altruísta,
equanimidade,
desobstruído pelo mundo,
Viva só,
como um rinoceronte.

Tendo abandonado a cobiça,
raiva,
delusão;
tendo rompido os grilhões;
sem temer a morte,
Viva só,
como um rinoceronte.

Muitos buscam companhias e o convívio visando o próprio benefício.
Amigos desprovidos de motivos velados são raros nestes dias.
Eles são espertos o suficiente para conquistarem vantagens pessoais e por isso são desprezíveis.
Sabendo disso, Viva só,
como um rinoceronte.

 


 

Notas:

[1] Cabelo e barba. [Retorna]

[2] Vestimentas típicas da vida laica. [Retorna]

 

 

Revisado: 13 Maio 2006

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.