Samyutta Nikaya XXXV.56-59

Asavapahana Sutta

Abandonando as Impurezas

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi. Então um certo bhikkhu foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentou a um lado e disse:

"Venerável senhor, como alguém deve compreender, como alguém deve ver, para que as impurezas sejam abandonadas? ... para que as impurezas sejam desenraizadas? ... para que as tendências subjacentes sejam abandonadas? ... para que as tendências subjacentes sejam desenraizadas?"

"Bhikkhu, quando alguém compreende e vê o olho como não-eu, as impurezas são abandonadas ... as tendências subjacentes são desenraizadas. Quando alguém compreende as formas como não-eu, as impurezas são abandonadas ... as tendências subjacentes são desenraizadas ... Quando alguém compreende e vê como não-eu qualquer sensação que surja tendo o contato na mente como condição - quer seja prazerosa, dolorosa ou nem prazerosa nem dolorosa - as impurezas são abandonadas ... as tendências subjacentes são desenraizadas. Quando alguém compreende e vê assim, bhikkhu, as impurezas são abandonadas ... as tendências subjacentes são desenraizadas."

 


>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 20 Dezembro 2014

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.