Samyutta Nikaya XXXV.239

Rathopama Sutta

O Símile da Carruagem

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


“Bhikkhus, possuindo três qualidades, um bhikkhu vive pleno de alegria e felicidade nesta mesma vida e ele terá assentado a fundação para a destruição das impurezas. Quais são as três? Ele é aquele que guarda as portas dos meios dos sentidos, que é moderado na alimentação e que é dedicado à vigilância.

“E como, bhikkhus, um bhikkhu é aquele que guarda as portas dos meios dos sentidos? Neste caso, ao ver uma forma com o olho, ele não se agarra aos seus sinais ou detalhes. Visto que, se permanecer com a faculdade do olho descuidada, ele será tomado pelos estados ruins e prejudiciais de cobiça e tristeza. Ele pratica a contenção, ele protege a faculdade do olho, ele se empenha na contenção da faculdade do olho. Ao ouvir um som com o ouvido ... Ao cheirar um aroma com o nariz ... Ao saborear um sabor com a língua ... Ao tocar um tangível com o corpo ... Ao conscientizar um objeto mental com a mente, ele não se agarra aos seus sinais ou detalhes. Visto que, se permanecer com a faculdade da mente descuidada, ele será tomado pelos estados ruins e prejudiciais de cobiça e tristeza. Ele pratica a contenção, ele protege a faculdade da mente, ele se empenha na contenção da faculdade da mente.

“Suponham, bhikkhus, que houvesse uma carruagem num terreno plano numa encruzilhada, com puros-sangues arreados e a aguilhada preparada, de forma que um adestrador habilidoso, um cocheiro domador de cavalos pudesse montar nela e, tomando as rédeas na mão esquerda e a aguilhada na mão direita, pudesse ir e regressar por qualquer caminho quando ele quisesse. Assim também, um bhikkhu treina para proteger essas seis faculdades dos sentidos, treina para controlá-las, treina para domesticá-las, treina para pacificá-las. É desse modo, bhikkhus, que um bhikkhu guarda as portas dos meios dos sentidos.

“E como, bhikkhus, um bhikkhu é moderado na alimentação? Neste caso, refletindo de maneira sábia, um bhikkhu não toma o alimento como forma de diversão ou para embriaguez, tampouco com o objetivo de embelezamento e para ser mais atraente; mas somente com o propósito de manter a resistência e continuidade deste corpo, como forma de dar um fim ao desconforto e para auxiliar a vida santa, considerando: ‘Dessa forma darei um fim às antigas sensações (de fome) sem despertar novas sensações (de comida em excesso) e serei saudável e sem culpa e viverei em comodidade.’ É dessa forma, bhikkhus, que ele é moderado na alimentação.

“E como, bhikkhus, um bhikkhu é dedicado à vigilância? Neste caso, durante o dia, enquanto caminha para lá e para cá e enquanto sentado, um bhikkhu purifica a mente dele dos estados obstrutivos. Na primeira vigília da noite, enquanto estiver caminhando para lá e para cá e enquanto sentado, ele purifica a mente dele dos estados obstrutivos. Na segunda vigília da noite ele deita para dormir, no lado direito, na postura do leão com um pé sobre o outro, atento e plenamente consciente, após anotar na mente o horário para levantar. Após levantar, na terceira vigília da noite, enquanto estiver caminhando para cá e para lá e enquanto sentado, ele purifica a mente dele dos estados obstrutivos.’ É dessa forma, bhikkhus, que ele é dedicado à vigilância.

“Bhikkhus, é possuindo essas três qualidades que um bhikkhu vive pleno de alegria e felicidade nesta mesma vida e terá assentado a fundação para a destruição das impurezas.”

 


 

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Abril 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.