Samyutta Nikaya XXXV.228

Samudda (pathama) Sutta

O Oceano

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


“Bhikkhus, a pessoa comum sem instrução fala ‘o oceano, o oceano.’ Mas isso não é o oceano na Disciplina dos Nobres: isso é apenas uma grande massa de água, uma grande extensão de água.

“O olho, bhikkhus, é o oceano para uma pessoa; as suas correntezas consistem de formas. Daquele que se mantém firme contra as correntezas que consistem de formas, diz-se que ele cruzou o oceano do olho com as suas ondas, redemoinhos, tubarões e demônios. Ele cruzou para a outra margem, foi mais além, o brâmane está em terra firme.

“O ouvido, bhikkhus, é o oceano para uma pessoa ... A mente é o oceano para uma pessoa; as suas correntezas consistem de objetos mentais. Daquele que se mantém firme contra as correntezas que consistem de objetos mentais, diz-se que ele cruzou o oceano da mente com as suas ondas, redemoinhos, tubarões e demônios. Ele cruzou para a outra margem, foi mais além, o brâmane está em terra firme.”

Isso foi o que o Abençoado disse. Tendo dito isso, o Iluminado, o Mestre, disse mais:

“Alguém que tenha atravessado este oceano tão difícil de cruzar,
com os seus perigos de tubarões, demônios e ondas,
o mestre da sabedoria que viveu a vida santa,
chegou ao fim do mundo, diz-se que ele foi mais além.”

 


 

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 4 Dezembro 2004

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.