Samyutta Nikaya XXXV.137

Ruparama (dutiya) Sutta

Prazer com as Formas

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


“Bhikkhus, devas e humanos sentem prazer com as formas, se deliciam com as formas, se alegram com as formas. Com a mudança, desaparecimento e cessação das formas, devas e humanos permanecem sofrendo. Devas e humanos sentem prazer com os sons ... prazer com os aromas ... prazer com os sabores ... prazer com os tangíveis ... prazer com os objetos mentais, se deliciam com os objetos mentais, se alegram com os objetos mentais. Com a mudança, desaparecimento e cessação dos objetos mentais, devas e humanos permanecem sofrendo.

“Mas, bhikkhus, o Tathagata, um arahant, perfeitamente iluminado, compreendeu como na verdade são a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória no caso das formas. Ele não sente prazer nas formas, ele não se delicia com as formas, ele não se alegra com as formas. Com a mudança, desaparecimento e cessação das formas, o Tathagata permanece feliz.

“Ele compreendeu como na verdade são a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória no caso dos sons ... aromas ... sabores ... tangíveis ... objetos mentais. Ele não sente prazer nos objetos mentais, ele não se delicia com os objetos mentais, ele não se alegra com os objetos mentais. Com a mudança, desaparecimento e cessação dos objetos mentais, o Tathagata permanece feliz.”

 


 

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 20 Dezembro 2014

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.