Samyutta Nikaya XXII.50

Sona (dutiya) Sutta

Sona

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Assim ouvi. Certa ocasião o Abençoado estava em Rajagaha no Bambual no Santuário dos Esquilos. Então Sona, o filho de um chefe de família, foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo ele sentou a um lado e o Abençoado disse:

"Sona, aqueles contemplativos e brâmanes que não compreendem a forma, a sua origem, a sua cessação, e o caminho que conduz à sua cessação; que não compreendem a sensação ... a percepção ... as formações volitivas ... a consciência, a sua origem, a sua cessação, e o caminho que conduz à sua cessação: esses eu não considero como contemplativos entre os contemplativos ou brâmanes entre os brâmanes, e esses veneráveis sem realizar por si mesmos através do conhecimento direto, nesta mesma vida entram e permanecem no objetivo dos contemplativos ou no objetivo dos brâmanes.

"Mas Sona, aqueles contemplativos e brâmanes que compreendem a forma, a sua origem, a sua cessação, e o caminho que conduz à sua cessação; que compreendem a sensação ... a percepção ... as formações volitivas ... a consciência, a sua origem, a sua cessação, e o caminho que conduz à sua cessação: esses eu considero como contemplativos entre os contemplativos ou brâmanes entre os brâmanes, e esses veneráveis realizando por si mesmos através do conhecimento direto, nesta mesma vida entram e permanecem no objetivo dos contemplativos ou no objetivo dos brâmanes."

 


>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 26 Abril 2014

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.