Samyutta Nikaya XLVIII.50

Apana Sutta

Em Apana

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava entre os Angas, numa cidade denominada Apana. Lá ele se dirigiu ao Venerável Sariputta desta forma:

“Sariputta, o nobre discípulo que tem completa dedicação ao Tathagata e tem plena convicção nele possui alguma dúvida ou perplexidade em relação ao Tathagata ou aos seus ensinamentos?”

“Venerável senhor, o nobre discípulo que tem completa dedicação ao Tathagata e tem plena convicção nele não possui nenhuma dúvida ou perplexidade em relação ao Tathagata ou aos seus ensinamentos. É deveras de se esperar, venerável senhor, que um nobre discípulo, que tem fé, permanecerá com a energia estimulada para o abandono de qualidades mentais prejudiciais e a obtenção de qualidades mentais benéficas; ele é decidido, firme no seu esforço, não se esquivando da sua responsabilidade de cultivar qualidades mentais benéficas. Essa energia que ele possui, venerável senhor, é a faculdade da energia dele .

“É deveras de se esperar, venerável senhor, que um nobre discípulo, que tem fé, terá atenção plena, possuindo suprema atenção plena e discriminação, alguém que lembre e se recorde daquilo que foi feito e dito há muito tempo. Essa atenção plena que ele possui, venerável senhor, é a faculdade da atenção plena dele.

“É deveras de se esperar, venerável senhor, que um nobre discípulo que tem fé, cuja energia está estimulada e cuja atenção plena está estabelecida, obterá a concentração, obterá a unicidade da mente, tendo se soltado do objeto. Essa concentração que ele possui, venerável senhor, é a faculdade da concentração dele.

“É deveras de se esperar, venerável senhor, que um nobre discípulo, que tem fé, cuja energia está estimulada, cuja atenção plena está estabelecida e cuja mente está concentrada, compreenderá assim: ‘Esse samsara não possui um início que possa ser descoberto. Um ponto inicial não é discernido para os seres que seguem vagando e perambulando, obstaculizados pela ignorância e agrilhoados pelo desejo. Mas o desaparecimento sem deixar qualquer vestígio e cessação da ignorância, essa massa de obscuridade: esse é o estado pacífico, esse é o estado sublime, isto é, o silenciar de todas as formações, o abandono de todas as aquisições, a destruição do desejo, o desapego, a cessação, Nibbana.’ Essa sabedoria que ele possui, venerável senhor, é a faculdade da sabedoria dele.

“E, venerável senhor, quando ele se esforçou dessa maneira, repetidas vezes, se recordou dessa maneira, repetidas vezes, concentrou a mente dessa maneira, repetidas vezes, compreendeu através da sabedoria dessa maneira, repetidas vezes, esse nobre discípulo obtém completa convicção desta forma: ‘Quanto àquelas coisas a respeito das quais eu anteriormente só havia ouvido, eu agora permaneço contactando-as com o corpo [1] e penetrando-as através da sabedoria, eu vejo.’ Essa convicção que ele possui, venerável senhor, é a sua faculdade da convicção.”

“Muito bem, Sariputta! Sariputta, o nobre discípulo, que tem completa dedicação ao Tathagata e tem plena convicção nele, não possui nenhuma dúvida ou perplexidade em relação ao Tathagata ou aos seus ensinamentos.”

(O Buda repete verbatim as faculdades do nobre discípulo descritas pelo Venerável Sariputta)

 


 

Notas:

[1] Nama-kaya, o corpo dos fatores mentais ou conjunto dos fatores mentais. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Abril 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.