Samyutta Nikaya XLVI.55

Sangarava Sutta

Sangarava

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi. Então o brâmane Sangarava foi até o Abençoado e ambos se cumprimentaram. Quando a conversa cortês e amigável havia terminado, ele sentou a um lado e disse:

"Mestre Gotama, qual é a causa e razão porque algumas vezes mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados? Qual é a causa e razão porque algumas vezes os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados?"

(i. Porque os mantras não vêm à mente)

"Brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pelo desejo sensual, uma presa do desejo sensual e ele não entende como na verdade é a escapatória do desejo sensual que já surgiu, nessa ocasião ele não compreende e não vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água misturada com tinta vermelha, amarela, azul ou laranja, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele não a perceberia e não a veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pelo desejo sensual ... mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Outra vez, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pela má vontade, uma presa da má vontade e ele não entende como na verdade é a escapatória da má vontade que já surgiu, nessa ocasião ele não compreende e não vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água sendo aquecida ao fogo, com a água borbulhando, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele não a perceberia e não a veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pela má vontade ... mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Outra vez, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pela preguiça e torpor, uma presa da preguiça e torpor e ele não entende como na verdade é a escapatória da preguiça e torpor que já surgiu, nessa ocasião ele não compreende e não vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água coberta por musgo e plantas aquáticas, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele não a perceberia e não a veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pela preguiça e torpor ... mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Outra vez, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pela inquietação e ansiedade, uma presa da inquietação e ansiedade e ele não entende como na verdade é a escapatória da inquietação e ansiedade que já surgiu, nessa ocasião ele não compreende e não vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água sendo agitada pelo vento, cheia de ondulações, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele não a perceberia e não a veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pela inquietação e ansiedade ... mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Outra vez, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pela dúvida, uma presa da dúvida e ele não entende como na verdade é a escapatória da dúvida que já surgiu, nessa ocasião ele não compreende e não vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água que está túrbida, agitada, com lodo, colocada num lugar escuro, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele não a perceberia e não a veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente obcecada pela dúvida ... mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

"Essas, brâmane, são as causas e razões porque algumas vezes mesmo os mantras que estão sendo recitados há muito tempo não vêm à mente, sem falar naqueles que não estão sendo recitados.

(ii. Porque os mantras vêm à mente)

"Brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pelo desejo sensual, não uma presa do desejo sensual e ele entende como na verdade é a escapatória do desejo sensual que já surgiu, nessa ocasião ele compreende e vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água não misturada com tinta vermelha, amarela, azul ou laranja, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele a perceberia e veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pelo desejo sensual ... os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Outra vez, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pela má vontade, não uma presa da má vontade e ele entende como na verdade é a escapatória da má vontade que já surgiu, nessa ocasião ele compreende e vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água não sendo aquecida ao fogo, sem borbulhar, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele a perceberia e veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pela má vontade ... os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Outra vez, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pela preguiça e torpor, não uma presa da preguiça e torpor e ele entende como na verdade é a escapatória da preguiça e torpor que já surgiu, nessa ocasião ele compreende e vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água não coberta por musgo e plantas aquáticas, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele a perceberia e veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pela preguiça e torpor ... os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Outra vez, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pela inquietação e ansiedade, não uma presa da inquietação e ansiedade e ele entende como na verdade é a escapatória da inquietação e ansiedade que já surgiu, nessa ocasião ele compreende e vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água não sendo agitada pelo vento, sem ondulações, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele a perceberia e veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pela inquietação e ansiedade ... os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Outra vez, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pela dúvida, não uma presa da dúvida e ele entende como na verdade é a escapatória da dúvida que já surgiu, nessa ocasião ele compreende e vê como na verdade é o seu próprio benefício, ou o benefício dos outros, ou o benefício de ambos. Então os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Suponha, brâmane uma tigela com água que não está túrbida, agitada, com lodo, colocada num lugar escuro, se um homem com boa visão examinasse o reflexo da sua face, ele a perceberia e veria como na verdade ela é. Do mesmo modo, brâmane, quando alguém permanece com a mente não obcecada pela dúvida ... os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Essas, brâmane, são as causas e razões porque os mantras que não estão sendo recitados há muito tempo vêm à mente, sem falar naqueles que estão sendo recitados.

"Esses sete fatores da iluminação, brâmane, são não-obstruções, não-obstáculos, não-corrupções da mente; quando desenvolvidos e cultivados eles conduzem à realização do fruto do verdadeiro conhecimento e libertação. Quais sete? O fator da iluminação da atenção plena é uma não-obstrução ... O fator da iluminação da investigação dos fenômenos é uma não-obstrução ... O fator da iluminação da energia é uma não-obstrução ... O fator da iluminação do êxtase é uma não-obstrução ... O fator da iluminação da tranqüilidade é uma não-obstrução ... O fator da iluminação da concentração é uma não-obstrução ... O fator da iluminação da equanimidade é uma não-obstrução ... Esses sete fatores da iluminação são não-obstruções, não-obstáculos, não-corrupções da mente; quando desenvolvidos e cultivados eles conduzem à realização do fruto do verdadeiro conhecimento e libertação."

Quando isso foi dito, o brâmane Sangarava disse para o Abençoado: "Magnífico, Mestre Gotama! Magnífico, Mestre Gotama! Mestre Gotama esclareceu o Dhamma de várias formas, como se tivesse colocado em pé o que estava de cabeça para baixo, revelasse o que estava escondido, mostrasse o caminho para alguém que estivesse perdido ou segurasse uma lâmpada no escuro para aqueles que possuem visão pudessem ver as formas. Eu busco refúgio no Mestre Gotama, no Dhamma e na Sangha dos bhikkhus. Que o Mestre Gotama me aceite como discípulo leigo que nele buscou refúgio para o resto da sua vida."

 


>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Março 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.