Samyutta Nikaya XLVI.52

Pariyaya Sutta

Um Método de Exposição

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Então, ao amanhecer, vários bhikkhus se vestiram e tomando as suas tigelas e os mantos externos foram para Savatthi para esmolar alimentos. Então, eles pensaram: “Ainda é muito cedo para esmolar alimentos em Savatthi. E se nós fossemos até o parque dos errantes de outras seitas,” e assim eles foram até o parque dos errantes de outras seitas e ao chegar os cumprimentaram. Quando a conversa amigável e cortês havia terminado, eles sentaram a um lado. Os errantes lhes disseram:

“Amigos, o contemplativo Gotama ensina o Dhamma aos seus discípulos deste modo: ‘Venham, bhikkhus, abandonem os cinco obstáculos, as corrupções da mente que enfraquecem a sabedoria e desenvolvam corretamente os sete fatores da iluminação.’ Nós também ensinamos aos nossos discípulos deste modo: ‘Venham, amigos, abandonem os cinco obstáculos, as corrupções da mente que enfraquecem a sabedoria, e desenvolvam corretamente os sete fatores da iluminação.’

Qual é então a distinção, amigos, qual é a variação, qual é a diferença entre o ensinamento do Dhamma do contemplativo Gotama e o nosso, entre as instruções dele e as nossas?” [1]

Então, aqueles bhikkhus nem aprovaram nem desaprovaram as palavras dos errantes. Sem dizer isto ou aquilo eles se levantaram dos seus assentos e foram embora, pensando: “Devemos entender o significado dessas palavras na presença do Abençoado.”

Depois de terem esmolado alimentos em Savatthi e retornado, após a refeição, eles foram até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentaram a um lado e relataram o que havia ocorrido. [O Abençoado disse:]

“Bhikkhus, os errantes de outras seitas que assim falam devem ser questionados da seguinte forma: ‘Amigos, há um modo de exposição através do qual os cinco obstáculos se convertem em dez e os sete fatores da iluminação se convertem em catorze?’ Sendo questionados dessa forma, os errantes de outras seitas fracassarão na exposição desse assunto, e mais ainda, eles se meterão em dificuldades. Por que isso? Porque não é o território deles. Bhikkhus, eu não vejo ninguém no mundo com os seus devas, Maras e Brahmas, esta população com os seus contemplativos e brâmanes, seus príncipes e povo, que pudesse satisfazer a mente com uma resposta a essas questões, exceto o Tathagata ou os seus discípulos, ou alguém que tenha aprendido com eles.

(I. Cinco se convertem em dez)

“E qual, bhikkhus, é o modo de exposição através do qual os cinco obstáculos se convertem em dez?

“Qualquer desejo sensual pelo interno é um obstáculo; qualquer desejo sensual pelo externo também é um obstáculo. [2] Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o obstáculo do desejo sensual, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Qualquer má vontade pelo interno é um obstáculo; qualquer má vontade pelo externo também é um obstáculo. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o obstáculo da má vontade, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Qualquer preguiça é um obstáculo; qualquer torpor também é um obstáculo. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o obstáculo da preguiça e torpor, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Qualquer inquietação é um obstáculo; qualquer ansiedade também é um obstáculo. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o obstáculo da inquietação e ansiedade, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Qualquer dúvida pelo interno é um obstáculo; qualquer dúvida pelo externo também é um obstáculo. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o obstáculo da dúvida, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Esse, bhikkhus, é o modo de exposição através do qual os cinco obstáculos se convertem em dez.”

(II. Sete se convertem em catorze)

“E qual, bhikkhus, é o modo de exposição através do qual os sete fatores da iluminação se convertem em catorze?

“Qualquer atenção plena em relação ao que é interno é o fator da iluminação da atenção plena; qualquer atenção plena em relação ao que é externo também é o fator da iluminação da atenção plena. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o fator da iluminação da atenção plena, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Sempre que alguém discerne as coisas internamente com sabedoria, as examina, faz uma investigação delas, esse é o fator da iluminação da investigação dos fenômenos; sempre que alguém discerne as coisas externamente com sabedoria, as examina, faz uma investigação delas, esse é o fator da iluminação da investigação dos fenômenos. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o fator da iluminação da investigação dos fenômenos, através desse modo de exposição se converte em dois. [3]

“Qualquer energia corporal é o fator da iluminação da energia; qualquer energia mental também é o fator da iluminação da energia. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o fator da iluminação da energia, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Qualquer êxtase acompanhado pelo pensamento aplicado e pelo pensamento sustentado é o fator da iluminação do êxtase; qualquer êxtase sem o pensamento aplicado e sem o pensamento sustentado também é o fator da iluminação do êxtase. [4] Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o fator da iluminação da energia, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Qualquer calma corporal é o fator da iluminação da tranqüilidade; qualquer tranqüilidade mental também é o fator da iluminação da tranqüilidade. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o fator da iluminação da tranqüilidade, através desse modo de exposição se converte em dois. [5]

“Qualquer concentração acompanhada pelo pensamento aplicado e pelo pensamento sustentado é o fator da iluminação da concentração; qualquer concentração sem o pensamento aplicado e sem o pensamento sustentado também é o fator da iluminação da concentração. [6] Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o fator da iluminação da concentração, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Qualquer equanimidade em relação ao que é interno é o fator da iluminação da equanimidade; qualquer equanimidade em relação ao que é externo também é o fator da iluminação da equanimidade. Assim, aquilo que é dito de forma concisa como o fator da iluminação da equanimidade, através desse modo de exposição se converte em dois.

“Esse, bhikkhus, é o modo de exposição através do qual os sete fatores da iluminação se convertem em catorze.”

 


Notas:

[1] Spk diz que os errantes de outras seitas não possuem nenhum ensinamento original com respeito aos cinco obstáculos e os sete fatores da iluminação, mas que eles simplesmente copiam os ensinamentos do Buda. [Retorna]

[2] Spk: Desejo sensual pelo interno é o desejo pelos próprios cinco agregados; pelo externo é o desejo sensual pelos agregados de outros e também pelos objetos inanimados. Da mesma forma com relação aos demais itens. [Retorna]

[3] Compare esta definição da investigação dos fenômenos com a definição dada nos suttas SN XLVI.2 e SN XLVI.3. [Retorna]

[4] Respectivamente o primeiro e segundo jhanas. [Retorna]

[5] Spk explica que a calma corporal, (kayappassaddhi), é a tranquilização dos três agregados, (sensação, percepção, formações mentais), a tranqüilidade mental, (cittappassaddhi) é a tranquilização do agregado da consciência. Veja também o SN XLVI.2 – nota 7. [Retorna]

[6] Respectivamente a concentração de acesso mais o primeiro jhana e a concentração a partir do segundo jhana. [ Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 9 Maio 2014

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.