Samyutta Nikaya XLVI.1

Himavanta Sutta

O Himalaia

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi. “Bhikkhus, é na dependência do Himalaia, o rei das montanhas, que as serpentes, (nagas), crescem de corpo e ganham força. Tendo crescido de corpo e ganhado força lá, elas descem para os lagos pequenos. Tendo descido para os lagos pequenos, elas descem para os grandes lagos…pequenos rios…grandes rios…o grande oceano. Ali elas alcançam a majestade e amplitude em relação ao corpo.

“Da mesma forma, bhikkhus, é na dependência da virtude, estabelecido na virtude, tendo perseverado e desenvolvido os sete fatores da iluminação, que um bhikkhu alcança a majestade e amplitude em relação às qualidades mentais benéficas.[1]

“E como um bhikkhu – na dependência da virtude, estabelecido na virtude, desenvolve os sete fatores da iluminação? Aqui, bhikkhus, um bhikkhu desenvolve o fator da iluminação da atenção plena, que tem como base o afastamento, desapego e cessação que amadurece no abandono. [2] Ele desenvolve o fator da iluminação da investigação dos fenômenos ... Ele desenvolve o fator da iluminação da energia ... Ele desenvolve o fator da iluminação do êxtase ... Ele desenvolve o fator da iluminação da tranqüilidade ... Ele desenvolve o fator da iluminação da concentração ... Ele desenvolve o fator da iluminação da equanimidade, que tem como base o afastamento, desapego e cessação que amadurece no abandono. Assim é como um bhikkhu – na dependência da virtude, estabelecido na virtude, tendo perseverado e desenvolvido os sete fatores da iluminação - alcança a majestade e amplitude em relação às qualidades mentais benéficas.”

 


 

Notas:

[1] Bojjhanga é um composto de boddhi + anga. O comentário oferece uma explicação dupla: “Os fatores da iluminação são os fatores do iluminado ou os fatores daquele que busca a iluminação.” O que isso significa? É através da junção dos estados que consistem da atenção plena, investigação dos fenômenos, energia, êxtase, tranqüilidade, concentração, equanimidade, que surgem nos momentos dos caminhos supramundanos, que o nobre discípulo alcança a iluminação; portanto a junção desses estados é chamada de iluminação. A definição do Buda (veja o SN XLVI.5), indica que na sua origem esses fatores foram concebidos não como fatores que constituem a iluminação, (a posição assumida pelos comentários), mas como fatores que conduzem à iluminação. Essa interpretação também conta com o respaldo da origem seqüencial dos fatores descrita no SN XLVI.3. [Retorna]

[2] O afastamento, (viveka), pode ser de cinco tipos: (i) em relação a um aspecto em particular (temporário, através da prática de insight); (ii) através da supressão (temporário, ao alcançar os jhanas); (iii) através da erradicação (permanente, através do caminho supramundano); (iv) através do apaziguamento ( permanente, através do fruto do caminho supramundano); (v) através da escapatória (permanente, em Nibbana). A mesma explicação se aplica ao desapego, (viraga), e à cessação, (nirodha). O abandono se refere ao abandono das contaminações. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Abril 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.