Samyutta Nikaya XLI.9

Acelakassapa Sutta

O Contemplativo Nu Kassapa

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Agora, naquela ocasião o contemplativo nu Kassapa, que na vida laica havia sido um velho amigo de Citta o chefe de família, havia chegado em Macchikasanda. Citta, o chefe de família, ouviu sobre o fato e foi ao encontro do contemplativo nu Kassapa. Eles se cumprimentaram e quando a conversa cortês e amigável havia terminado ele sentou a um lado e disse:

“Faz quanto tempo, Venerável Kassapa, que você seguiu a vida santa?”

“Já são trinta anos, chefe de família, desde que segui a vida santa.”

“Nesses trinta anos, venerável senhor, você alcançou alguma distinção supra-humana de conhecimento e visão digna dos nobres, e tem uma permanência confortável?

“Nesses trinta anos desde que segui a vida santa, chefe de família, eu não alcancei nenhuma distinção supra-humana de conhecimento e visão digna dos nobres, e não tenho uma permanência confortável, tenho apenas a nudez, a cabeça raspada e a escova para limpar o meu assento.”

Quando isso foi dito, Citta o chefe de família disse: “É de fato admirável, senhor! É de fato maravilhoso, senhor! Quão bem exposto é o Dhamma no qual, depois de trinta anos, você não ainda não alcançou nenhuma distinção supra-humana de conhecimento e visão digna dos nobres e não tem uma permanência confortável, mas apenas a nudez, a cabeça raspada e a escova para limpar o seu assento.”

“Mas, chefe de família, quanto tempo faz que você se tornou um discípulo leigo?”

“No meu caso também, venerável senhor, já são trinta anos.”

“Nesses trinta anos, chefe de família, você alcançou alguma distinção supra-humana de conhecimento e visão digna dos nobres, e tem uma permanência confortável?

“Como não alcancei, venerável senhor? Pois de acordo com a minha vontade, afastado dos prazeres sensuais, afastado das qualidades não hábeis, eu entro e permaneço no primeiro jhana, que é caracterizado pelo pensamento aplicado e sustentado, com o êxtase e felicidade nascidos do afastamento. Depois, de acordo com a minha vontade, abandonando o pensamento aplicado e sustentado, eu entro e permaneço no segundo jhana ... Depois, de acordo com a minha vontade, abandonando o êxtase ... eu entro e permaneço no terceiro jhana ... Depois, de acordo com a minha vontade, com o completo desaparecimento da felicidade ... eu entro e permaneço no quarto jhana. Além disso, se eu morrer antes do Abençoado, não seria surpresa se o Abençoado declarasse a meu respeito: ‘Não há grilhão pelo qual Citta o chefe de família poderá retornar a este mundo.’” [1]

Quando isso foi dito, o contemplativo nu Kassapa disse: “É de fato admirável, senhor! É de fato maravilhoso, senhor! Quão bem exposto é o Dhamma em que um leigo vestido de branco pode alcançar uma distinção supra-humana de conhecimento e visão digna dos nobres, e tem uma permanência confortável. Poderei receber a admissão nesse Dhamma e Disciplina, poderei receber a admissão completa como bhikkhu?”

Então, Citta, o chefe de família, levou o contemplativo nu Kassapa até os bhikkhus seniores e disse: “Veneráveis senhores, este contemplativo nu Kassapa é um velho amigo nosso da vida laica. Que os bhikkhus seniores o aceitem na vida santa, que ele receba a admissão completa como bhikkhu. Eu cuidarei para que lhe sejam proporcionados os mantos, comida esmolada, moradia e medicamentos.”

Então, o contemplativo nu Kassapa recebeu a admissão no Dhamma e Disciplina, e ele recebeu a admissão completa como bhikkhu. E pouco tempo depois da sua ordenação, permanecendo só, isolado, diligente, ardente e decidido, o Venerável Kassapa alcançou e permaneceu no objetivo supremo da vida santa pelo qual membros de um clã deixam a vida em família pela vida santa, tendo conhecido e realizado por si mesmo no aqui e agora. Ele soube: “O nascimento foi destruído, a vida santa foi vivida, o que deveria ser feito foi feito, não há mais vir a ser a nenhum estado.” E assim o Venerável Kassapa tornou-se mais um dos Arahants.

 


 

Notas:

[1] Isso significa que ele é um que não retorna, tendo erradicado os cinco primeiros grilhões que aprisionam os seres ao reino da esfera sensual. [Retorna]

 

 

Revisado: 18 Novembro 2006

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.