Samyutta Nikaya XII.65

Nagara Sutta

A Cidade

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi. “Bhikkhus, antes da minha iluminação, quando eu ainda era apenas um Bodisatva não iluminado, compreendi o seguinte: ‘Quanta dificuldade existe neste mundo! O nascimento, o envelhecimento, a morte, o falecimento e o renascimento, porém não há a completa compreensão de como escapar desse sofrimento, do envelhecimento e da morte. Quando haverá a completa compreensão de como escapar desse sofrimento, do envelhecimento e da morte?’

“Então me ocorreram os seguintes pensamentos:

‘Envelhecimento e morte surgem quando o que mais surge? Sob qual condição surge o envelhecimento e a morte ?’ Aplicando a atenção com sabedoria compreendi: ‘Envelhecimento e morte surgem quando o nascimento surge. Do nascimento como condição surgem o envelhecimento e a morte.’

‘Nascimento surge quando o que mais surge? Sob qual condição surge o nascimento?’ Aplicando a atenção com sabedoria compreendi: ‘Nascimento surge quando surge o ser/existir. Do ser/existir como condição surge o nascimento.’

‘O ser/existir surge quando o que mais surge? Sob qual condição surge o ser/existir?’ Aplicando a atenção com sabedoria compreendi: ‘O ser/existir surge quando surge a mentalidade-materialidade (nome e forma). Da mentalidade-materialidade (nome e forma) como condição surge o ser/existir.’

‘A mentalidade-materialidade (nome e forma) surge quando o que mais surge? Sob qual condição surge a mentalidade-materialidade (nome e forma)?’ Aplicando a atenção com sabedoria compreendi: ‘A mentalidade-materialidade (nome e forma) surge quando surge a consciência. Da consciência como condição surge a mentalidade-materialidade (nome e forma).’

‘A consciência surge quando o que mais surge? Sob qual condição surge a consciência?’ Aplicando a atenção com sabedoria compreendi: ‘A consciência surge quando surge a mentalidade-materialidade (nome e forma). Da mentalidade-materialidade (nome e forma) como condição surge a consciência.’

“Então me ocorreu o seguinte pensamento, ‘A consciência regressa até a mentalidade-materialidade (nome e forma) e não vai mais além. Essa é a extensão do nascimento, envelhecimento, morte, falecimento e renascimento, isto é, da mentalidade-materialidade (nome e forma) como condição surge a consciência, da consciência como condição surge a mentalidade-materialidade (nome e forma), da mentalidade-materialidade (nome e forma) como condição surgem as seis bases dos sentidos ... contato ... sensação ... desejo ... apego ... ser/existir ... nascimento ... envelhecimento, morte, tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero. Essa é a origem de toda essa massa de sofrimento. Originação, originação. Surgiu a visão, surgiu o conhecimento, surgiu a sabedoria, surgiu o conhecimento verdadeiro, surgiu a iluminação em relação a coisas nunca antes ouvidas.

“Então, me ocorreram os seguintes pensamentos:

‘Envelhecimento e morte não surge quando o que mais não surge? O que cessando, cessará o envelhecimento e a morte ?’ Aplicando a atenção com sabedoria compreendi: ‘Envelhecimento e morte não surge quando o nascimento não surge. Cessando o nascimento cessa o envelhecimento e a morte.’

‘Nascimento não surge ... ser/existir ... apego ... desejo ... sensação ... contato ... seis bases dos sentidos ... Cessando a mentalidade-materialidade (nome e forma) cessam as seis bases dos sentidos’.

‘Mentalidade-materialidade (nome e forma) não surge quando o que mais não surge? O que cessando, cessa a mentalidade-materialidade (nome e forma) ?’ Aplicando a atenção com sabedoria compreendi: ‘Mentalidade-materialidade (nome e forma) não surge quando a consciência não surge. Cessando a consciência cessa a mentalidade-materialidade (nome e forma).’

‘Consciência não surge quando o que mais não surge? O que cessando, cessa a consciência?’ Aplicando a atenção com sabedoria compreendi: ‘Consciência não surge quando a mentalidade-materialidade (nome e forma) não surge. Cessando a mentalidade-materialidade (nome e forma) cessa a consciência.’

“Então me ocorreu o seguinte pensamento, ‘Eu descobri esse caminho para a iluminação, isto é, cessando a mentalidade-materialidade (nome e forma) cessa a consciência, cessando a consciência cessa a mentalidade-materialidade (nome e forma). Cessando a mentalidade-materialidade (nome e forma), cessam as seis bases dos sentidos. Cessando as seis bases dos sentidos, cessa o contato. Cessando o contato, cessa a sensação. Cessando a sensação, cessa o desejo. Cessando o desejo, cessa o apego. Cessando o apego, cessa o ser/existir. Cessando o ser/existir, cessa o nascimento. Cessando o nascimento, envelhecimento, morte, tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero, tudo cessa. Essa é a cessação de toda essa massa de sofrimento. Cessação, cessação. Surgiu a visão, surgiu o conhecimento, surgiu a sabedoria, surgiu o conhecimento verdadeiro, surgiu a iluminação em relação a coisas nunca antes ouvidas.

“É como se um homem, caminhando por uma trilha na floresta, se deparasse com um caminho antigo, uma estrada antiga, utilizada por pessoas em tempos passados. Ele a seguiria. Seguindo-a ele encontraria uma antiga cidade, uma antiga capital habitada por pessoas em tempos passados, completa com parques, bosques e lagos, murada, encantadora. Ele se dirigiria ao rei ou ao seu ministro dizendo, ‘Senhor, você deveria saber que caminhando por uma trilha na floresta eu vi um caminho antigo …. Eu o segui ... eu vi uma antiga cidade, uma antiga capital ... completa com parques, bosques e lagos, murada, encantadora. Senhor, reconstrua essa cidade!’ O rei ou o seu ministro reconstruiria a cidade de modo que ela se tornasse rica, próspera e populosa, repleta de gente e bem suprida.

“Da mesma forma, eu vi um antigo caminho, uma antiga estrada, trilhada pelos iluminados de tempos passados. E qual é esse antigo caminho, essa antiga estrada, trilhada pelos iluminados de tempos passados? É este nobre caminho óctuplo: entendimento correto, pensamento correto, linguagem correta, ação correta, modo de vida correto, esforço correto, atenção plena correta, concentração correta. Esse é o antigo caminho, essa é a antiga estrada, trilhada pelos iluminados de tempos passados. Eu segui esse caminho. Seguindo-o, cheguei ao conhecimento direto do envelhecimento e da morte, conhecimento direto da origem do envelhecimento e da morte, conhecimento direto da cessação do envelhecimento e da morte, conhecimento direto do caminho que leva à cessação do envelhecimento e da morte. Cheguei ao conhecimento direto do nascimento ... ser/existir ... apego ... desejo ... sensação ... contato ... as seis bases dos sentidos ... mentalidade-materialidade (nome e forma) ... consciência, conhecimento direto das formações volitivas, conhecimento direto da origem das formações volitivas, conhecimento direto da cessação das formações volitivas, conhecimento direto do caminho que leva à cessação das formações volitivas. Tendo o conhecimento direto disso, eu o revelei aos bhikkhus, bhikkhunis, discípulos leigos, para que esta vida santa se torne bem sucedida e próspera, extensa, popular, expandida, bem proclamada entre os devas e humanos."

 


 

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 13 Junho 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.