Samyutta Nikaya XII.35

Avijjapaccaya (pathama) Sutta

Ignorância como Condição

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi. "Bhikkhus, da ignorância como condição, as formações volitivas [surgem]. Das formações volitivas como condição, a consciência. Da consciência como condição, a mentalidade-materialidade (nome e forma) ... Essa é a origem de toda essa massa de sofrimento."

Quando isso foi dito, um certo bhikkhu perguntou ao Abençoado:

"Venerável senhor, o que é o envelhecimento e morte? A quem eles pertencem?"

"Não é uma pergunta válida," o Abençoado respondeu. Dizer um dos dois, ‘O que é o envelhecimento e morte, a quem eles pertencem,’ ou ‘envelhecimento e morte são uma coisa, quem experimenta isso é outra,’ ambas afirmações são idênticas no significado; elas diferem apenas no fraseado. Quando existe o entendimento, ‘a alma e o corpo são a mesma coisa,’ não pode haver a vida santa; e quando existe o entendimento, ‘a alma e o corpo são duas coisas distintas,’ não pode haver a vida santa. Evitando esses dois extremos o Tathagata ensina o Dhamma pelo meio: ‘Do nascimento como condição, o envelhecimento e a morte.’"

"Venerável senhor, nascimento … ser/existir … apego … desejo … sensação … contato … as bases dos sentidos … mentalidade-materialidade (nome e forma) … consciência… formações volitivas … O que é tudo isso? A quem tudo isso pertence?"

"Não é uma pergunta válida," o Abençoado respondeu. Dizer um dos dois, ‘O que são as formações volitivas, a quem elas pertencem,’ ou ‘as formações volitivas são uma coisa, quem experimenta isso é outra,’ ambas afirmações são idênticas no significado; elas diferem apenas no fraseado. Quando existe o entendimento, ‘a alma e o corpo são a mesma coisa,’ não pode haver a vida santa; e quando existe o entendimento, ‘a alma e o corpo são duas coisas distintas,’ não pode haver a vida santa. Evitando esses dois extremos o Tathagata ensina o Dhamma pelo meio: ‘Da ignorância como condição, as formações volitivas.’

"Mas com o desaparecimento e cessação sem deixar vestígios dessa mesma ignorância, qualquer tipo de contorção, manobra, vacilação que possa haver - ‘O que é o envelhecimento e morte, a quem eles pertencem,’ ou ‘envelhecimento e morte são uma coisa, quem experimenta isso é outra,’ ou ‘a alma e o corpo são a mesma coisa,’ ou ‘a alma e o corpo são duas coisas distintas,’ - tudo isso é abandonado, cortado pela raiz, feito como com um tronco de palmeira, eliminado de modo que não estará sujeito a um futuro surgimento.

"Mas com o desaparecimento e cessação sem deixar vestígios dessa mesma ignorância, qualquer tipo de contorção manobra, vacilação que possa haver - ‘O que é o nascimento, a quem ele pertence,’ ou ‘nascimento é uma coisa, quem experimenta isso é outra,’ ... ‘O que são as formações volitivas, a quem elas pertencem,’ ou ‘as formações volitivas são uma coisa, quem experimenta isso é outra,’ou ‘a alma e o corpo são a mesma coisa,’ ou ‘a alma e o corpo são duas coisas distintas,’ - tudo isso é abandonado, cortado pela raiz, feito como com um tronco de palmeira, eliminado de modo que não estará sujeito a um futuro surgimento."

 


>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Março 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.