Samyutta Nikaya XII.10

Gotama Sutta

Gotama

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi.

(Originação)

"Bhikkhus, antes da minha iluminação, quando eu ainda era apenas um Bodisatva não iluminado, eu pensei: 'Ah! Este mundo enfrenta dificuldades visto que nasce, envelhece, morre, falece e renasce, no entanto, não compreende a escapatória desse sofrimento [encabeçado] pelo envelhecimento e morte. Quando afinal será discernida a escapatória desse sofrimento [encabeçado] pelo envelhecimento e morte?'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge o envelhecimento e morte? Qual a condição para o envelhecimento e morte?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há o nascimento, o envelhecimento e morte surgem; o envelhecimento e morte têm o nascimento como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge o nascimento? Qual a condição para o nascimento?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há o ser/existir, o nascimento surge; o nascimento tem o ser/existir como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge o ser/existir? Qual a condição para o ser/existir?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há o apego, o ser/existir surge; o ser/existir tem o apego como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge o apego? Qual a condição para o apego?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há o desejo, o apego surge; o apego tem o desejo como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge o desejo? Qual a condição para o desejo?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há a sensação, o desejo surge; o desejo tem a sensação como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge a sensação? Qual a condição para a sensação?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há o contato, a sensação surge; a sensação tem o contato como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge o contato? Qual a condição para o contato?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há as seis bases dos sentidos, o contato surge; o contato tem as seis bases dos sentidos como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surgem as seis bases dos sentidos? Qual a condição para as seis bases dos sentidos?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há a mentalidade-materialidade (nome e forma), as seis bases dos sentidos surgem; as seis bases dos sentidos têm a mentalidade-materialidade (nome e forma) como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge a mentalidade-materialidade (nome e forma)? Qual a condição para a mentalidade-materialidade (nome e forma)?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há a consciência, a mentalidade-materialidade (nome e forma) surge; a mentalidade-materialidade (nome e forma) tem a consciência como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surge a consciência? Qual a condição para a consciência?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há as formações volitivas, a consciência surge; a consciência tem as formações volitivas como condição.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando existe o quê surgem as formações volitivas? Qual a condição para as formações volitivas?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando há a ignorância, as formações volitivas surgem; as formações volitivas têm a ignorância como condição.'

"Assim, com a ignorância como condição, as formações volitivas [surgem]; com as formações volitivas como condição, a consciência ... Essa é a origem de toda essa massa de sofrimento.

"Originação, originação' - assim, bhikkhus, com relação a coisas não ouvidas antes, surgiram em mim a visão, a compreensão, a sabedoria, o verdadeiro conhecimento e a iluminação.

(Cessação)

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge o envelhecimento e morte? Com a cessação do quê cessa o envelhecimento e morte?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há o nascimento, o envelhecimento e morte não surgem; com a cessação do nascimento ocorre a cessação do envelhecimento e morte.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge o nascimento? Com a cessação do quê cessa o nascimento?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há o ser/existir, o nascimento não surge; com a cessação do ser/existir ocorre a cessação do nascimento.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge o ser/existir? Com a cessação do quê cessa o ser/existir?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há o apego, o ser/existir não surge; com a cessação do apego ocorre a cessação do ser/existir.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge o apego? Com a cessação do quê cessa o apego?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há o desejo, o apego não surge; com a cessação do desejo ocorre a cessação do apego.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge o desejo? Com a cessação do quê cessa o desejo?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há a sensação, o desejo não surge; com a cessação da sensação ocorre a cessação do desejo.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge a sensação? Com a cessação do quê cessa a sensação?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há o contato, a sensação não surge; com a cessação do contato ocorre a cessação da sensação.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge o contato? Com a cessação do quê cessa o contato?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há as seis bases dos sentidos, o contato não surge; com a cessação das seis bases dos sentidos ocorre a cessação do contato.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surgem as seis bases dos sentidos? Com a cessação do quê cessam as seis bases dos sentidos?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há a mentalidade-materialidade (nome e forma), as seis bases dos sentidos não surgem; com a cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma) ocorre a cessação das seis bases dos sentidos.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge a mentalidade-materialidade (nome e forma)? Com a cessação do quê cessa a mentalidade-materialidade (nome e forma)?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há a consciência, a mentalidade-materialidade (nome e forma) não surge; com a cessação da consciência ocorre a cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma).'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surge a consciência? Com a cessação do quê cessa a consciência?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há as formações volitivas, a consciência não surge; com a cessação das formações volitivas ocorre a cessação da consciência.'

"Então, bhikkhus eu pensei: 'Quando não existe o quê não surgem as formações volitivas? Com a cessação do quê cessam as formações volitivas?' Então, bhikkhus, empregando a atenção com sabedoria ocorreu a realização através da sabedoria: 'Quando não há a ignorância, as formações volitivas não surgem; com a cessação da ignorância ocorre a cessação das formações volitivas.'

"Assim, do desaparecimento e cessação sem deixar vestígios dessa mesma ignorância cessam as formações volitivas; da cessação das formações volitivas cessa a consciência ... Essa é a cessação de toda essa massa de sofrimento.

"Cessação, cessação - assim, bhikkhus, com relação a coisas não ouvidas antes, surgiram em mim a visão, a compreensão, a sabedoria, o verdadeiro conhecimento e a iluminação.

 


>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 27 Julho 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.