Samyutta Nikaya XI.8

Verocana-asurinda Sutta

Verocana, Senhor dos Asuras

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi, no Bosque de Jeta. Agora, naquela ocasião, o Abençoado havia ido para o seu retiro diário e estava em isolamento. Então, Sakka, o senhor dos devas, e Verocana, o senhor dos asuras, foram até o Abençoado e ficaram parados no umbral da porta. Então, Verocana, o senhor dos asuras, recitou este verso na presença do Abençoado: [1]

“Um homem deve se esforçar
até que a perfeição seja alcançada.
As perfeições reluzem quando alcançadas:
essa é a palavra de Verocana.”

[Sakka:]

“Um homem deve se esforçar
até que a perfeição seja alcançada.
Das perfeições que reluzem quando alcançadas,
nenhuma é melhor que a paciência.”

[Verocana:]

“Todos os seres se inclinam por algum ideal
aqui ou ali conforme o caso,
mas para todas as criaturas o convívio
é supremo dentre os prazeres.
As perfeições reluzem quando alcançadas:
essa é a palavra de Verocana.”

[Sakka:]

“Todos os seres se inclinam por algum ideal
aqui ou ali conforme o caso,
mas para todas as criaturas o convívio
é supremo dentre os prazeres.
Das perfeições que reluzem quando alcançadas,
nenhuma é melhor que a paciência.”

 


 

Notas:

[1] Os comentários não trazem muitos detalhes sobre Verocana. Há alguma evidência que Verocana e Rahu poderiam ser idênticos. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 5 Fevereiro 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.