Samyutta Nikaya VII.14

Mahasala Sutta

O Afluente

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi. Então, um certo brâmane afluente, andrajoso, vestido com uma capa surrada foi até o Abençoado e ambos se cumprimentaram. Quando a conversa cortês e amigável havia terminado, ele sentou a um lado e o Abençoado disse:

“Porque agora, brâmane, você está assim andrajoso, vestido com uma capa surrada?”

“Veja, Mestre Gotama, meus quatro filhos, instigados pelas esposas, me expulsaram de casa.”

“Bem, então, brâmane, aprenda estes versos e recite-os quando a multidão estiver reunida no salão de assembléias com os seus filhos sentados juntos:

“Aqueles por cujo nascimento me deliciei
e cujo sucesso muito desejei,
instigados pelas suas esposas,
me escorraçam como cães afugentam os porcos.

“Esse fulanos maus são de fato sovinas,
embora me chamem, ‘Pai, querido Pai.’
Eles são demônios disfarçados de filhos
para me abandonar estando eu velho.

“Como um cavalo velho que já não serve mais
é afastado da sua ração,
assim também o velho pai desses rapazes
esmola comida nas casas dos outros.

“Mais benefício me traz a bengala que uso
que esses filhos malcriados;
pois a bengala espanta o touro ensandecido
e espanta o cachorro louco.

“Na escuridão ela segue à minha frente,
onde há desnível me proporciona um apoio.
Com o piedoso poder da bengala,
mesmo tropeçando mantenho a firmeza.”

Então, aquele brâmane afluente, tendo aprendido aqueles versos do Abençoado, recitou-os quando a multidão estava reunida no salão de assembléias com os seus filhos sentados juntos:

“Aqueles por cujo nascimento me deliciei ...
mesmo tropeçando mantenho a firmeza.”

Então, os filhos conduziram aquele brâmane afluente para a casa deles, banharam-no e cada um lhe deu um par de roupas. Então, aquele brâmane afluente, tomando um par de roupas, foi até o Abençoado e ambos se cumprimentaram. Ele então sentou a um lado e disse para o Abençoado: “Mestre Gotama, nós brâmanes buscamos uma retribuição para o nosso mestre. Que o Mestre Gotama aceite a nossa retribuição.” O Abençoado aceitou por compaixão.

Então, aquele brâmane afluente disse para o Abençoado: “Magnífico, Mestre Gotama! Magnífico, Mestre Gotama! Mestre Gotama esclareceu o Dhamma de várias formas, como se tivesse colocado em pé o que estava de cabeça para baixo, revelasse o que estava escondido, mostrasse o caminho para alguém que estivesse perdido ou segurasse uma lâmpada no escuro para aqueles que possuem visão pudessem ver as formas. Nós buscamos refúgio no Mestre Gotama, no Dhamma e na Sangha dos bhikkhus. Que o Mestre Gotama me aceite como o discípulo leigo que buscou refúgio para o resto da vida.”

 


 

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 5 Fevereiro 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.