Samyutta Nikaya LV.8

Giñjakavasatha Sutta

A Casa de Tijolos

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Assim ouvi.[A] Em certa ocasião, o Abençoado estava em Natika na Casa de Tijolos. Então, o Venerável Ananda foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentou a um lado e disse:

“Venerável senhor, o bhikkhu chamado Salha morreu. Qual é o seu destino, qual é o seu futuro percurso? A bhikkhuni chamada Nanda morreu. Qual é o seu destino, qual é o seu futuro percurso? O discípulo leigo chamada Sudatta morreu. Qual é o seu destino, qual é o seu futuro percurso? O discípulo leigo chamado Sujata morreu. Qual é o seu destino, qual é o seu futuro percurso?”

“Ananda, o bhikkhu Salha que morreu, com a eliminação das impurezas mentais permaneceu num estado livre de impurezas com a libertação da mente e a libertação através da sabedoria, tendo conhecido e manifestado isso para si mesmo no aqui e agora. A bhikkhuni Nanda que morreu, com a destruição dos primeiros cinco grilhões, reapareceu espontaneamente [nas Moradas Puras] e lá irá realizar o parinibbana sem nunca mais retornar daquele mundo. O discípulo leigo Sudatta que morreu, com a destruição de três grilhões e com a atenuação da cobiça, raiva e delusão se tornou um que retorna uma vez, retornando uma vez a este mundo para dar um fim ao sofrimento. [1] O discípulo leigo Sujata, com a destruição de três grilhões, se tornou uma que entrou na correnteza, não mais destinada aos mundos inferiores, com o destino fixo, ela tem a iluminação como destino.

“Não é surpreendente, Ananda, que um ser humano morra. Mas se cada vez que alguém morrer você vier me perguntar, isso criaria problemas para o Tathagata. Portanto, Ananda, eu ensinarei para você uma exposição do Dhamma chamada o espelho do Dhamma, através do qual um nobre discípulo, se ele assim desejar, poderá por si próprio declarar de si mesmo: ‘Eu sou um daqueles que deu fim ao inferno, fim ao reino animal, fim ao reino dos fantasmas, fim aos planos de miséria, fim aos destinos ruins, fim aos mundos inferiores. Eu entrei na correnteza, não mais destinado aos mundos inferiores, com o destino fixo, tenho a iluminação como destino.’

“E qual, Ananda, é essa exposição do Dhamma, um espelho do Dhamma, através do qual um nobre discípulo, se ele assim desejar, poderá por si próprio declarar isso de si mesmo? Aqui, Ananda, o nobre discípulo possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Buda assim: ‘O Abençoado é ... mestre de devas e humanos, desperto, sublime.’ Ele possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma ... na Sangha ... Ele possui as virtudes apreciadas pelos nobres – intactas ... que conduzem à concentração.[2]

“Essa, Ananda, é a exposição do Dhamma, um espelho do Dhamma, através do qual um nobre discípulo, se ele assim desejar, poderá por si próprio declarar de si mesmo: ‘Eu sou um daqueles que deu fim ao inferno, fim ao reino animal, fim ao reino dos fantasmas, fim aos planos de miséria, fim aos destinos ruins, fim aos mundos inferiores. Eu entrei na correnteza, não mais destinado aos mundos inferiores, com o destino fixo, tenho a iluminação como destino.’”

 


 

Notas:

[A] Este sutta também aparece no DN 16.2.5. [Retorna]

[1] A atenuação da cobiça, raiva e delusão deve ser compreendida de duas formas: surgindo com menos freqüência e desprovida de força obsessiva. “Este mundo” é o reino da esfera sensual. [Retorna]

[2] Igual ao SN LV.1. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 5 Setembro 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.