Samyutta Nikaya LI.22

Ayogula Sutta

A Bola de Ferro

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi. Então, o venerável Ananda foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentou a um lado e disse:

“Venerável senhor, o Abençoado se recorda de alguma vez ter ido até o mundo de brahma através do poder espiritual com um corpo feito pela mente?” [1]

“Eu me recordo, Ananda, de ter ido até o mundo de brahma através do poder espiritual com um corpo feito pela mente.”

“Mas, venerável senhor, o Abençoado se recorda de alguma vez ter ido até o mundo de brahma através do poder espiritual com este corpo composto dos quatro grandes elementos?”

“Eu me recordo, Ananda, de ter ido até o mundo de brahma através do poder espiritual com este corpo composto dos quatro grandes elementos.”

“Que o Abençoado seja capaz de ir até o mundo de brahma através do poder espiritual com um corpo feito pela mente, e que ele se recorde de ter ido até o mundo de brahma através do poder espiritual com este corpo composto dos quatro grandes elementos: isso é maravilhoso e admirável, venerável senhor, por parte do Abençoado.”

“Os Tathagatas, Ananda, são maravilhosos e possuem qualidades maravilhosas; os Tathagatas são admiráveis e possuem qualidades admiráveis.

“Quando, Ananda, o Tathagata imerge o corpo na mente e a mente no corpo, e quando ele permanece, depois de ter entrado, numa percepção bem-aventurada e numa percepção leve com relação ao corpo, nessa ocasião o corpo do Tathagata se torna mais leve, maleável, flexível e luminoso. [2]

“Assim como uma bola de ferro, Ananda, aquecida durante todo o dia, se torna mais leve, maleável, flexível e luminosa, quando o Tathagata imerge o corpo na mente e a mente no corpo, e quando ele permanece, depois de ter entrado, numa percepção bem-aventurada e numa percepção leve com relação ao corpo, nessa ocasião também, o corpo do Tathagata se torna mais leve, maleável, flexível e luminoso.

“Quando, Ananda, o Tathagata imerge o corpo na mente e a mente no corpo, e quando ele permanece, depois de ter entrado, numa percepção bem-aventurada e numa percepção leve com relação ao corpo, nessa ocasião, o corpo do Tathagata se eleva sem dificuldade da terra para o ar. Ele exerce os vários tipos de poderes supra-humanos: tendo sido um, ele se torna vários; tendo sido vários, ele se torna um; ele aparece e desaparece; ele cruza sem nenhum problema uma parede, um cercado, uma montanha ou através do espaço; ele mergulha e sai da terra como se fosse água; ele caminha sobre a água sem afundar como se fosse terra; sentado de pernas cruzadas ele cruza o espaço como se fosse um pássaro; com a sua mão ele toca e acaricia a lua e o sol tão forte e poderoso; ele exerce poderes corporais até mesmo nos distantes mundos de Brahma.

“Como, Ananda, um tufo de algodão, sendo leve e sustentado pelo vento, se eleva sem dificuldade da terra para o ar, quando o Tathagata imerge o corpo na mente e a mente no corpo, e quando ele permanece, depois de ter entrado, numa percepção bem-aventurada e numa percepção leve com relação ao corpo, nessa ocasião também, o corpo do Tathagata se eleva sem dificuldade da terra para o ar. Ele exerce os vários tipos de poderes supra-humanos: tendo sido um, ele se torna vários ... ele exerce poderes corporais até mesmo nos distantes mundos de Brahma.”

 


 

Notas:

[1] O corpo feito pela mente, (manomayakaya), é um corpo sutil criado do corpo físico por um meditador que tem maestria sobre o quarto jhana. No DN 2.85 ele é descrito como “dotado de forma, feito pela mente, completo com todas as suas partes, sem defeito em nenhuma das faculdades”. [Retorna]

[2] “Uma percepção bem-aventurada e uma percepção leve”: esta é a percepção associada com a mente do conhecimento direto; é uma percepção bem-aventurada porque está acompanhada pela paz sublime (da mente), e é uma percepção leve porque não há a inibição das contaminações. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Abril 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.