Samyutta Nikaya IV.1

Tapokamma Sutta

Prática Austera

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Assim ouvi. Em certa ocasião, o Abençoado estava em Uruvela às margens do rio Neranjara ao pé da figueira-dos-pagodes, pouco tempo depois de ter alcançado a perfeita iluminação. [1] Então, enquanto o Abençoado estava só e isolado, um pensamento surgiu na sua mente: “Eu de fato estou livre daquele ascetismo penoso! É bom de fato que eu esteja livre daquele inútil ascetismo penoso! É bom que, determinado e com atenção plena eu tenha alcançado a iluminação!” [2]

Então Mara, o Senhor do Mal tomando conhecimento com a sua mente do pensamento na mente do Abençoado, foi até o Abençoado e se dirigiu a ele em versos:

“Tendo se desviado das práticas austeras
através das quais os homens se purificam,
tornando-se impuro, você crê ser puro:
você se desviou do caminho da purificação.”

Então, o Abençoado compreendendo, “Este é Mara, o Senhor do Mal,” respondeu em forma de versos:

“Depois de compreender a inutilidade de toda austeridade
na busca pelo imortal, [3]
e que todas essas penitências são fúteis
como remos e leme em terra firme. [4]

Através do desenvolvimento do caminho para a iluminação -
virtude, concentração e sabedoria -
eu alcancei a pureza suprema:
você está derrotado, Senhor da Morte![5]

Então, Mara o Senhor do Mal, compreendendo que, “O Abençoado sabe quem sou, O Iluminado sabe quem sou” triste e desapontado, desapareceu no mesmo instante.

 


 

Notas:

[1] De acordo com o comentário este sutta se refere aos primeiros sete dias depois da iluminação. [Retorna]

[2] “Ascetismo penoso” se refere ao período de seis anos durante os quais o Bodisatva praticou todo o tipo de austeridades, antes de descobrir o “caminho do meio”, o MN 36 descreve as austeridades praticadas pelo Bodisatva na sua busca pela iluminação. [Retorna]

[3] Na maioria dos casos, as mortificações são praticadas em busca da imortalidade. [Retorna]

[4] Se um barco em terra firme fosse carregado com mercadorias e a tripulação com remos e leme tentasse movê-lo, apesar de todo o esforço, eles não seriam capazes de fazer com que o barco avançasse nem um centímetro; o esforço seria inútil e em vão. [Retorna]

[5] Mara é chamado “Senhor da Morte” porque ata os seres à morte. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 5 Fevereiro 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.