Samyutta Nikaya II.7

Pancalacanda Sutta

Pancalacanda

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em Savatthi. Ficando em pé a um lado o jovem deva Pancalacanda recitou este verso na presença do Abençoado:

“Aquele com ampla sabedoria de fato encontrou
a passagem no meio do confinamento, [1]
o Buda que descobriu os jhanas, [2]
o solitário touro entre os homens, o sábio.”

“Mesmo envoltos no confinamento eles o encontram,
[Oh! Pancalacanda, disse o Abençoado],
o Dhamma para realizar nibbana – [3]
aqueles com atenção plena,
aqueles perfeitamente bem concentrados.”

 


 

Notas:

[1] O comentário explica que há dois tipos de confinamento, (sambadha): confinamento devido aos cinco obstáculos e confinamento devido aos prazeres sensuais. A passagem, (okasa), é um nome para jhana. No AN IX.42 o Ven. Ananda explica o confinamento e a passagem de modo sequencial: primeiro os prazeres sensuais são chamados de confinamento e o primeiro jhana é a passagem; depois vitakka-vicara são o confinamento e o segundo jhana a passagem e assim por diante, culminando com a destruição das impurezas, (asava), como passagem final. [Retorna]

[2] Ajaan Brahmavaso explica que: “A afirmação de que o Buda descobriu os jhanas também aparece no AN IX.42. No Subha Sutta, o Buda afirma que ‘E eu não vejo essa nobre concentração sendo realizada dessa forma por nenhum outro contemplativo ou Brâmane das outras escolas.’ Os suttas SN XLV.14 e 15 dizem que os Jhanas não ‘surgem, exceto com o surgimento de um Tathagata, um Arahant, um Perfeitamente Iluminado.’ Esses enunciados canônicos, e além desses há muitos mais, dão forte respaldo à afirmação de que o Buda descobriu os jhanas.

Há várias razões que sugerem que os primeiros mestres do Bodisatva, Alara Kalama e Udaka Ramaputta, não ensinavam os jhanas. O argumento mais convincente é a afirmação do Buda de que seja o que for que esses mestres ensinavam, isso “não conduzia ao desencantamento, ao desapego, à cessação, à paz, ao conhecimento direto, à iluminação, a Nibbana” (MN 26.15 e mais os suttas MN 52, MN 64 e a AN IX.3). É óbvio que aquilo que os primeiros mestres do Bodistava afirmavam ser as ‘realizações imateriais’ não poderiam ser autênticas.”

Outra evidência que suporta o comentário feito por Ajaan Brahm pode ser encontrada no SN XLI.8, no qual o líder dos Jainistas, Nigantha Nataputta, duvida que seja possível existir uma concentração sem o pensamento aplicado e sustentado, demonstrando que os contemporâneos do Buda desconheciam os verdadeiros jhanas. [Retorna]

[3] “O Dhamma para realizar Nibbana” se pressupõem seja o Nobre Caminho Óctuplo. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 30 Setembro 2006

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.