Majjhima Nikaya 96

Esukari Sutta

Para Esukari

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


1. Assim Ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika.

2. Então, o brâmane Esukari foi até o Abençoado e ambos se cumprimentaram. Quando a conversa cortês e amigável havia terminado, ele sentou a um lado e disse:

3. “Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem quatro níveis de serviço. Eles prescrevem um nível de serviço para um brâmane, um nível de serviço para um nobre, um nível de serviço para um comerciante e um nível de serviço para um trabalhador. Nesse sentido, Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem o seguinte nível de serviço para um brâmane: um brâmane pode servir a um brâmane, um nobre pode servir a um brâmane, um comerciante pode servir a um brâmane e um trabalhador pode servir a um brâmane. Esse é o nível de serviço para um brâmane que os brâmanes prescrevem. Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem o seguinte nível de serviço para um nobre: um nobre pode servir a um nobre, um comerciante pode servir a um nobre e um trabalhador pode servir a um nobre. Esse é o nível de serviço para um nobre que os brâmanes prescrevem. Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem o seguinte nível de serviço para um comerciante: um comerciante pode servir a um comerciante e um trabalhador pode servir a um comerciante. Esse é o nível de serviço para um comerciante que os brâmanes prescrevem. Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem o seguinte nível de serviço para um trabalhador: apenas um trabalhador pode servir a um trabalhador; pois quem mais poderia servir a um trabalhador? Esse é o nível de serviço para um trabalhador que os brâmanes prescrevem. O que o Mestre Gotama diz a respeito disso?”

4. “Bem, brâmane, o mundo todo autorizou os brâmanes a prescreverem esses quatro níveis de serviço?” – “Não, Mestre Gotama.” – “Suponha, brâmane, que alguém empurrasse um naco de carne para um homem pobre, sem um tostão, destituído, dizendo: ‘Bom homem, você deve comer esta carne e pagar por ela’; da mesma forma, sem o consentimento dos demais contemplativos e brâmanes, os brâmanes apesar disso prescrevem esses quatro níveis de serviço.

5. “Eu não digo, brâmane, que todos devem ser servidos, nem eu digo que ninguém deve ser servido. Pois se, ao servir alguém, a pessoa se torna pior e não melhor devido ao serviço, então eu digo que ela não deve servir. E se, ao servir alguém, a pessoa se torna melhor e não pior devido ao serviço, então eu digo que ela deve servir.

6. “Se eles perguntassem a um nobre o seguinte: ‘Quais desses você serviria – aquele em cujo serviço você se tornasse pior e não melhor ao serví-lo, ou aquele em cujo serviço você se tornasse melhor e não pior ao serví-lo: respondendo da forma correta, um nobre responderia o seguinte: ‘Eu não deveria servir aquele em cujo serviço eu me tornasse pior e não melhor ao serví-lo; eu deveria servir aquele em cujo serviço eu me tornasse melhor e não pior ao serví-lo.’

“Se eles perguntassem a um brâmane … perguntassem a um comerciante ... perguntassem a um trabalhador … respondendo da forma correta, um trabalhador responderia o seguinte: ‘Eu não deveria servir aquele em cujo serviço eu me tornasse pior e não melhor ao serví-lo; eu deveria servir aquele em cujo serviço eu me tornasse melhor e não pior ao serví-lo.’

7. “Eu não digo, brâmane, que alguém seja melhor porque é de uma família nobre, nem eu digo que alguém seja pior porque é de uma família nobre. Eu não digo que alguém seja melhor porque possui notável beleza, nem eu digo que alguém seja pior porque possui notável beleza. Eu não digo que alguém seja melhor porque possui grande riqueza, nem eu digo que alguém seja pior porque possui grande riqueza.

8. “Pois aqui, brâmane, alguém de uma família nobre poderá matar seres vivos, tomar aquilo que não for dado, portar-se de forma imprópria em relação aos prazeres sensuais, dizer mentiras, falar com malícia, falar de modo grosseiro, falar de modo frívolo, ser cobiçoso, ter uma mente com má vontade e ter entendimento incorreto. Portanto, eu não digo que alguém seja melhor porque é de uma família nobre. Mas também, brâmane, alguém de uma família nobre poderá abster-se de matar seres vivos, de tomar aquilo que não for dado, de portar-se de forma imprópria em relação aos prazeres sensuais, de dizer mentiras, de falar com malícia, de falar de modo grosseiro, de falar de modo frívolo, e ele poderá não ser cobiçoso, não ter uma mente com má vontade e ter entendimento correto. Portanto, eu não digo que alguém seja pior porque é de uma família nobre.

“Aqui, brâmane, alguém que possui notável beleza … alguém que possui grande riqueza poderá matar seres vivos ... e ter entendimento incorreto. Portanto, eu não digo que alguém seja melhor porque possui notável beleza ... possui grande riqueza. Mas também, brâmane, alguém que possui notável beleza … possui grande riqueza poderá abster-se de matar seres vivos ... e ter entendimento correto. Portanto, eu não digo que alguém seja pior porque possui notável beleza ... possui grande riqueza.

9. “Eu não digo, brâmane, que todos devem ser servidos, nem eu digo que ninguém deve ser servido. Pois se, ao servir alguém, a fé, virtude, aprendizado, generosidade e sabedoria da pessoa crescem por estar a serviço dele, então eu digo que ele deve servir.”

10. Quando isso foi dito o brâmane Esukari disse para o Abençoado: “Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem quatro tipos de riqueza. Eles prescrevem a riqueza de um brâmane, a riqueza de um nobre, a riqueza de um comerciante e a riqueza de um trabalhador.

“Nesse sentido, Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem isto como a riqueza de um brâmane – esmolar alimentos; [1] um brâmane que menospreza a própria riqueza, a esmola de alimentos, abusa do seu dever como um guarda que toma aquilo que não lhe foi dado. Essa é a riqueza de um brâmane prescrita pelos brâmanes. Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem isto como a riqueza de um nobre – o arco e a aljava; um nobre que menospreza a própria riqueza, o arco e a aljava, abusa do seu dever como um guarda que toma aquilo que não lhe foi dado. Essa é a riqueza de um nobre prescrita pelos brâmanes. Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem isto como a riqueza de um comerciante – a agricultura e a pecuária; [2] um comerciante que menospreza a própria riqueza, a agricultura e a pecuária, abusa do seu dever como um guarda que toma aquilo que não lhe foi dado. Essa é a riqueza de um comerciante prescrita pelos brâmanes. Mestre Gotama, os brâmanes prescrevem isto como a riqueza de um trabalhador – a foice e a trave de carga; um trabalhador que menospreza a própria riqueza, a foice e a trave de carga, abusa do seu dever como um guarda que toma aquilo que não lhe foi dado. Essa é a riqueza de um trabalhador prescrita pelos brâmanes. O que o Mestre Gotama diz a respeito disso?”

11. “Bem, brâmane, o mundo todo autorizou os brâmanes a prescreverem esses quatro tipos de riqueza?” – “Não, Mestre Gotama.” - “Suponha, brâmane, que alguém empurrasse um naco de carne para um homem pobre, sem um tostão, destituído, dizendo: ‘Bom homem, você deve comer esta carne e pagar por ela’; da mesma forma, sem o consentimento dos demais contemplativos e brâmanes, os brâmanes apesar disso prescrevem esses quatro tipos de riqueza.

12. “Eu, brâmane, declaro o nobre e supramundano Dhamma como a riqueza da própria pessoa. [3] Pois, recordando a sua linhagem familiar ancestral maternal e paternal, ela é reconhecida de acordo com o lugar onde tenha renascido, onde quer que seja. [4] Se ela renascer num clã de nobres, ela será reconhecida como um nobre; se ela renascer num clã de brâmanes, ela será reconhecida como um brâmane; se ela renascer num clã de comerciantes, ela será reconhecida como um comerciante; se ela renascer num clã de trabalhadores, ela será reconhecida como um trabalhador. Da mesma forma como o fogo é reconhecido pela condição particular na dependência da qual ele arde – quando o fogo arde na dependência de lenha, ele é reconhecido como fogo de lenha; quando o fogo arde na dependência de gravetos, ele é reconhecido como fogo de gravetos; quando o fogo arde na dependência de capim, ele é reconhecido como fogo de capim; quando o fogo arde na dependência de esterco de vaca, ele é reconhecido como fogo de esterco de vaca - assim também, brâmane, eu declaro o nobre e supramundano Dhamma como a riqueza da própria pessoa. Pois, recordando a sua linhagem familiar ancestral maternal e paternal, alguém é reconhecido de acordo com o lugar onde tenha renascido, onde quer que seja. Se ele renascer ... num clã de trabalhadores, ele é reconhecido como um trabalhador.

13. “Se, brâmane, qualquer um de um clã de nobres deixa a vida em família pela vida santa, e depois de haver encontrado o Dhamma e Disciplina proclamados pelo Tathagata, ele se abstém de matar seres vivos, de tomar aquilo que não for dado, do não celibato, da linguagem mentirosa, da linguagem maliciosa, da linguagem grosseira e da linguagem frívola, e não é cobiçoso, tem uma mente sem má vontade e tem entendimento correto, ele é um dos que está realizando o verdadeiro caminho, o Dhamma que é benéfico.

“Se, brâmane, qualquer um de um clã de brâmanes deixa a vida em família … qualquer um de um clã de comerciantes deixa a vida em família ... qualquer um de um clã de trabalhadores deixa a vida em família pela vida santa, e depois de haver encontrado o Dhamma e Disciplina proclamados pelo Tathagata, ele se abstém de matar seres vivos, de tomar aquilo que não for dado, do não celibato, da linguagem mentirosa, da linguagem maliciosa, da linguagem grosseira e da linguagem frívola, e não é cobiçoso, tem uma mente sem má vontade e tem entendimento correto, ele é um dos que está realizando o verdadeiro caminho, o Dhamma que é benéfico.

14. “O que você pensa, brâmane? Apenas um brâmane é capaz de desenvolver uma mente imbuída de amor bondade para com uma certa região, sem hostilidade e sem má vontade, e não um nobre ou um comerciante, ou um trabalhador?”

“Não, Mestre Gotama. Quer seja um nobre, ou um brâmane, ou um comerciante, ou um trabalhador – todos aqueles das quatro castas são capazes de desenvolver uma mente imbuída de amor bondade para com uma certa região, sem hostilidade e sem má vontade.”

“Da mesma forma, brâmane, se qualquer um de um clã de nobres deixa a vida em família ... (repetir o verso 13) ... ele é um dos que está realizando o verdadeiro caminho, o Dhamma que é benéfico.

15. “O que você pensa, brâmane? Apenas um brâmane é capaz de tomar uma esponja e sabão, ir até o rio e limpar o pó e a sujeira, e não um nobre ou um comerciante, ou um trabalhador?”

“Não, Mestre Gotama. Quer seja um nobre, ou um brâmane, ou um comerciante, ou um trabalhador – todos aqueles das quatro castas são capazes de tomar uma esponja e sabão, ir até o rio e limpar o pó e a sujeira.”

“Da mesma forma, brâmane, se qualquer um de um clã de nobres deixa a vida em família ... (repetir o verso 13) ... ele é um dos que está realizando o verdadeiro caminho, o Dhamma que é benéfico.

16. “O que você pensa, brâmane? Suponha que um nobre rei ungido aqui reunisse cem homens com nascimentos díspares … (igual ao MN 93 verso 11) … Pois todo fogo possui uma chama, cor e luminosidade, e é possível usar qualquer fogo para a finalidade de um fogo.”

“Da mesma forma, brâmane, se qualquer um de um clã de nobres deixa a vida em família ... (repetir o verso 13) ... ele é um dos que está realizando o verdadeiro caminho, o Dhamma que é benéfico.”

17. Quando isso foi dito, o brâmane Esukari disse para o Abençoado: “Magnífico, Mestre Gotama! Magnífico, Mestre Gotama! Mestre Gotama esclareceu o Dhamma de várias formas, como se tivesse colocado em pé o que estava de cabeça para baixo, revelasse o que estava escondido, mostrasse o caminho para alguém que estivesse perdido ou segurasse uma lâmpada no escuro para aqueles que possuem visão pudessem ver as formas. Eu busco refúgio no Mestre Gotama, no Dhamma e na Sangha dos bhikkhus. Que o Mestre Gotama me aceite como discípulo leigo que buscou refúgio para o resto da vida.”

 


 

Notas:

[1] MA: Era uma prática antiga entre os brâmanes esmolar alimentos mesmo se possuíssem muita riqueza.[Retorna]

[2] Embora a agricultura possa parecer uma ocupação estranha para alguém descrito como um comerciante, deve ser compreendido que os vessas não somente possuíam negócios nas regiões urbanas, mas também possuíam e supervisavam atividades agrícolas. [Retorna]

[3] Ariyam kho aham brahmana lokuttaram dhammam purisassa sandhanam pannapemi [Retorna]

[4] Attabhavassa abhinibbatti: literalmente, “em qualquer lugar onde a re-concepção da sua individualidade ocorra.” [Retorna]

 

 

Revisado: 30 Agosto 2003

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.