Majjhima Nikaya 9

Sammaditthi Sutta

Entendimento Correto

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Este sutta também está disponível em áudio, clique para Ouvir


1. Assim ouvi. Em certa ocasião, o Abençoado estava em Savathi, no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. Lá o venerável Sariputta dirigiu-se aos monges desta forma: "Amigos bhikkhus." – "Amigo," eles responderam. O venerável Sariputta disse o seguinte:

2. "’Alguém que possui o entendimento correto, alguém que possui o entendimento correto’, assim é dito, amigos. De que forma um nobre discípulo é alguém com entendimento correto, cujo entendimento é reto, que possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e que penetrou este verdadeiro Dhamma?"[1] "De fato, amigo, nós viríamos de uma longa distância para aprender do venerável Sariputta qual o significado dessa frase. Seria bom se o venerável Sariputta pudesse explicar o significado dessa frase. Tendo ouvido dele, os bhikkhus o recordarão." "Então, amigos, ouçam e prestem muita atenção àquilo que eu vou dizer." "Sim, amigo" os bhikkhus responderam. O venerável Sariputta disse o seguinte:

(O Benéfico e o Prejudicial)

3. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o que é prejudicial e a raiz do que é prejudicial, compreende o que é benéfico e a raiz do que é benéfico, dessa forma ele é alguém que possui o entendimento correto, cujo entendimento é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

4. "E o que, amigos, é prejudicial, a raiz do que é prejudicial, o que é benéfico, a raiz do que é benéfico? Matar seres vivos é prejudicial; tomar o que não seja dado é prejudicial; a conduta imprópria em relação aos prazeres sensuais é prejudicial; a linguagem mentirosa é prejudicial; a linguagem maliciosa é prejudicial; a linguagem grosseira é prejudicial; a linguagem frívola é prejudicial; a cobiça é prejudicial; a má vontade é prejudicial; o entendimento incorreto é prejudicial. A isto se denomina aquilo que é prejudicial. [2]

5. "E qual é a raiz do que é prejudicial? O desejo é a raiz do que é prejudicial; a raiva é a raiz do que é prejudicial; a delusão é a raiz do que é prejudicial. A isto se denomina a raiz do que é prejudicial. [3]

6. "E o que é benéfico? A abstenção de matar seres vivos é benéfica; a abstenção de tomar o que não seja dado é benéfica; a abstenção da conduta imprópria em relação aos prazeres sensuais é benéfica; a abstenção da linguagem mentirosa é benéfica; a abstenção da linguagem maliciosa é benéfica; a abstenção da linguagem grosseira é benéfica; a abstenção da linguagem frívola é benéfica; não cobiçar é benéfico; não ter má vontade é benéfico; o entendimento correto é benéfico. A isto se denomina aquilo que é benéfico. [4]

7. "E qual é a raiz do que é benéfico? O não desejo é a raiz do que é benéfico; a não raiva é a raiz do que é benéfico; a não delusão é a raiz do que é benéfico. A isto se denomina a raiz do que é benéfico.

8. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o que é prejudicial e a raiz do que é prejudicial, o que é benéfico e a raiz do que é benéfico, [5] ele abandona completamente a tendência subjacente ao desejo sensual, ele abole a tendência subjacente à aversão, ele extirpa a tendência subjacente em relação à idéia e presunção ‘eu sou’, abandonando a ignorância e fazendo surgir o verdadeiro conhecimento, ele aqui e agora, dá um fim ao sofrimento. [6] Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."  

(Alimento)

9. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma pela qual um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

10. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o alimento, a origem do alimento, a cessação do alimento e o caminho que conduz à cessação do alimento, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma."

11. "E o que é o alimento, o que é a origem do alimento, o que é a cessação do alimento e o que é o caminho que conduz à cessação do alimento? Existem quatro tipos de alimentos para a manutenção dos seres que já nasceram e para o sustento daqueles que estão em busca de um nascimento. [7] Quais quatro? O alimento comida, grosseira ou sutil, o contato como o segundo, a volição mental como o terceiro e a consciência como o quarto. Com o surgimento do desejo surge o alimento. Com a cessação do desejo cessa o alimento. O caminho que conduz à cessação do alimento é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto, pensamento correto, linguagem correta, ação correta, modo de vida correto, esforço correto, atenção plena correta, concentração correta.

12. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o alimento, a origem do alimento, a cessação do alimento e o caminho que conduz à cessação do alimento ele abandona completamente a tendência subjacente ao desejo sensual, ele abole a tendência subjacente à aversão, ele extirpa a tendência subjacente em relação à idéia e presunção ‘eu sou’, abandonando a ignorância e fazendo surgir o verdadeiro conhecimento ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma "

(As Quatro Nobres Verdades)

13. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma pela qual um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

14. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o sofrimento, a origem do sofrimento, a cessação do sofrimento e o caminho que conduz à cessação do sofrimento, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma."

15. "E o que é sofrimento, a origem do sofrimento, a cessação do sofrimento e o caminho que conduz à cessação do sofrimento? Nascimento é sofrimento; envelhecimento é sofrimento; enfermidade é sofrimento; morte é sofrimento; tristeza, lamentação, dor, angústia e desespero são sofrimento; não obter o que se deseja é sofrimento; em resumo, os cinco agregados influenciados pelo apego são sofrimento. A isto se denomina sofrimento.

16. "E qual é a origem do sofrimento? É este desejo que conduz a uma renovada existência, acompanhado pela cobiça e pelo prazer, buscando o prazer aqui e ali; isto é, o desejo pelos prazeres sensuais, o desejo por ser/existir, o desejo por não ser/existir. A isto se denomina a origem do sofrimento.

17. "E o que é a cessação do sofrimento? É o desaparecimento e cessação sem deixar nenhum vestígio daquele mesmo desejo, abrir mão, descartar, libertar-se, despegar desse mesmo desejo. A isto se denomina a cessação do sofrimento.

18. "E o que é o caminho que conduz à cessação do sofrimento? É exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta. A isto se denomina o caminho que conduz à cessação do sofrimento.

19. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o sofrimento, a origem do sofrimento, a cessação do sofrimento e o caminho que conduz à cessação do sofrimento … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Envelhecimento e Morte)

20. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma pela qual um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

21. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o envelhecimento e a morte, a origem do envelhecimento e da morte, a cessação do envelhecimento e da morte e o caminho que conduz à cessação do envelhecimento e da morte, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma." [8]

22. "E o que é envelhecimento e morte, qual é a origem do envelhecimento e morte, qual é a cessação do envelhecimento e morte, qual é o caminho que conduz à cessação do envelhecimento e morte? O envelhecimento dos seres nas diversas classes de seres, a sua idade avançada, os dentes quebradiços, os cabelos grisalhos, a pele enrugada, o declínio da vida, o enfraquecimento das faculdades - a isto se chama envelhecimento. O falecimento dos seres nas várias classes de seres, a sua morte, a dissolução, o desaparecimento, o morrer, a finalização do tempo, a dissolução dos agregados [9], o cadáver descartado - a isto se denomina morte. Portanto, esse envelhecimento e essa morte é que se denomina envelhecimento e morte. Com o surgimento do nascimento existe o surgimento do envelhecimento e da morte. Com a cessação do nascimento ocorre a cessação do envelhecimento e da morte. O caminho que conduz à cessação do envelhecimento e da morte é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

23. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o envelhecimento e morte, a origem do envelhecimento e morte, a cessação do envelhecimento e morte e o caminho que conduz à cessação do envelhecimento e morte … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Nascimento)

24. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma pela qual um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

25. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o nascimento, a origem do nascimento, a cessação do nascimento e o caminho que conduz à cessação do nascimento, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma."

26. "E o que é o nascimento, qual é a origem do nascimento, qual é a cessação do nascimento, qual é o caminho que conduz à cessação do nascimento? O nascimento dos seres nas várias classes de seres, o próximo nascimento, o estabelecimento [num ventre], a geração, a manifestação dos agregados, a obtenção das bases para contato [10] - a isto se denomina nascimento. Com o surgimento do ser/existir existe o surgimento do nascimento. Com a cessação do ser/existir ocorre a cessação do nascimento. O caminho que conduz à cessação do nascimento é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

27. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o nascimento, a origem do nascimento, a cessação do nascimento e o caminho que conduz à cessação do nascimento … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Ser/existir)

28. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma pela qual um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

29. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o ser/existir, a origem do ser/existir, a cessação do ser/existir e o caminho que conduz à cessação do ser/existir, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma."

30. "E o que é ser/existir, qual é a origem do ser/existir, qual é a cessação do ser/existir, qual é o caminho que conduz à cessação do ser/existir? Existem esses três tipos de seres: seres do reino sensual, seres do reino da matéria sutil e seres do reino imaterial. [11] Com o surgimento do apego existe o surgimento do ser/existir. Com a cessação do apego ocorre a cessação do ser/existir. O caminho que conduz à cessação do ser/existir é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

31. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o ser/existir, a origem do ser/existir, a cessação do ser/existir e o caminho que conduz à cessação do ser/existir … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Apego)

32. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma pela qual um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

33. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o apego, a origem do apego, a cessação do apego e o caminho que conduz à cessação do apego, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma."

34. "E o que é o apego, qual é a origem do apego, qual é a cessação do apego, qual é o caminho que conduz à cessação do apego? Existem esses quatro tipos de apego: apego a prazeres sensuais, apego a idéias, apego a preceitos e rituais e apego à doutrina de um eu. [12] Com o surgimento do desejo existe o surgimento do apego. Com a cessação do desejo ocorre a cessação do apego. O caminho que conduz à cessação do apego é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

35. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o apego, a origem do apego, a cessação do apego e o caminho que conduz à cessação do apego … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Desejo)

36. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

37. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o desejo, a origem do desejo, a cessação do desejo e o caminho que conduz à cessação do desejo, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma. "

38. "E o que é o desejo, qual é a origem do desejo, qual é a cessação do desejo, qual é o caminho que conduz à cessação do desejo ? Existem essas seis classes de desejo: desejo por formas, desejo por sons, desejo por aromas, desejo por sabores, desejo por tangíveis, desejo por objetos mentais. [13] Com o surgimento da sensação existe o surgimento do desejo. Com a cessação da sensação ocorre a cessação do desejo. O caminho que conduz à cessação do desejo é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

39. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o desejo, a origem do desejo, a cessação do desejo e o caminho que conduz à cessação do desejo … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Sensação)

40. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

41. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende a sensação, a origem da sensação, a cessação da sensação e o caminho que conduz à cessação da sensação, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma."

42. "E o que é a sensação, qual é a origem da sensação, qual é a cessação da sensação, qual é o caminho que conduz à cessação da sensação ? Existem essas seis classes de sensações: sensações que surgem do contato no olho, sensações que surgem do contato no ouvido, sensações que surgem do contato no nariz, sensações que surgem do contato na língua, sensações que surgem do contato no corpo, sensações que surgem do contato na mente. Com o surgimento do contato existe o surgimento da sensação. Com a cessação do contato ocorre a cessação da sensação. O caminho que conduz à cessação da sensação é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

43. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma a sensação, a origem da sensação, a cessação da sensação e o caminho que conduz à cessação da sensação … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Contato)

44. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

45. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende o contato, a origem do contato, a cessação do contato e o caminho que conduz à cessação do contato, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma. "

46. "E o que é o contato, qual é a origem do contato, qual é a cessação do contato, qual é o caminho que conduz à cessação do contato ? Existem essas seis classes de contato: contato no olho, contato no ouvido, contato no nariz, contato na língua, contato no corpo, contato na mente. [14] Com o surgimento das seis bases existe o surgimento do contato. Com a cessação das seis bases ocorre a cessação do contato. O caminho que conduz à cessação do contato é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

47. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma o contato, a origem do contato, a cessação do contato e o caminho que conduz à cessação do contato … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

( As Seis Bases)

48. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

49. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende as seis bases, a origem das seis bases, a cessação das seis bases e o caminho que conduz à cessação das seis bases, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma. "

50. "E o que são as seis bases, qual é a origem das seis bases, qual é a cessação das seis bases, qual é o caminho que conduz à cessação das seis bases ? Existem essas seis bases: a base do olho, a base do ouvido, a base do nariz, a base da língua, a base do corpo, a base da mente. [15] Com o surgimento da mentalidade-materialidade (nome e forma) existe o surgimento das seis bases. Com a cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma) ocorre a cessação das seis bases. O caminho que conduz à cessação das seis bases é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

51. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma as seis bases, a origem das seis bases, a cessação das seis bases e o caminho que conduz à cessação das seis bases … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Mentalidade-materialidade (nome e forma))

52. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

53. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende a mentalidade-materialidade (nome e forma), a origem da mentalidade-materialidade (nome e forma), a cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma) e o caminho que conduz à cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma), dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma. "[16]

54. "E o que é mentalidade-materialidade (nome e forma), qual é a origem da mentalidade-materialidade (nome e forma), qual é a cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma), qual é o caminho que conduz à cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma)? Sensação, percepção, volição, contato e atenção - esses são chamados mentalidade (nome). Os quatro grandes elementos e a forma material derivada dos quatro grandes elementos - esses são chamados de materialidade (forma). Dessa forma, essa mentalidade e materialidade (nome e forma) é o que se denomina mentalidade-materialidade (nome e forma). Com o surgimento da consciência existe o surgimento da mentalidade-materialidade (nome e forma). Com a cessação da consciência ocorre a cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma). O caminho que conduz à cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma). é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

55. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma a mentalidade-materialidade (nome e forma), a origem da mentalidade-materialidade (nome e forma), a cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma) e o caminho que conduz à cessação da mentalidade-materialidade (nome e forma) … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Consciência)

56. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."<

57. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende a consciência, a origem da consciência, a cessação da consciência e o caminho que conduz à cessação da consciência, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma. "

58. "E o que é consciência, qual é a origem da consciência, qual é a cessação da consciência, qual é o caminho que conduz à cessação da consciência? Existem essas seis classes de consciência: consciência no olho, consciência no ouvido, consciência no nariz, consciência na língua, consciência no corpo, consciência na mente.[17] Com o surgimento das formações volitivas existe o surgimento da consciência. Com a cessação das formações volitivas ocorre a cessação da consciência. O caminho que conduz à cessação da consciência é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

59. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma a consciência, a origem da consciência, a cessação da consciência e o caminho que conduz à cessação da consciência … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma." 

(Formações Volitivas)

60. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

61. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende as formações volitivas, a origem das formações volitivas, a cessação das formações volitivas e o caminho que conduz à cessação das formações volitivas, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma. "

62. "E o que são formações volitivas, qual é a origem das formações volitivas, qual é a cessação das formações volitivas, qual é o caminho que conduz à cessação das formações volitivas? Existem esses três tipos de formações volitivas: a formação corporal, a formação verbal e a formação mental.[18] Com o surgimento da ignorância existe o surgimento das formações volitivas. Com a cessação da ignorância ocorre a cessação das formações volitivas. O caminho que conduz à cessação das formações volitivas é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

63. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma as formações volitivas, a origem das formações volitivas, a cessação das formações volitivas e o caminho que conduz à cessação das formações volitivas … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Ignorância)

64. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

65. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende a ignorância, a origem da ignorância, a cessação da ignorância e o caminho que conduz à cessação da ignorância, dessa forma, ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma. "

66. "E o que é ignorância, qual é a origem da ignorância, qual é a cessação da ignorância, qual é o caminho que conduz à cessação da ignorância? Não ter o conhecimento do sofrimento, não ter o conhecimento da origem do sofrimento, não ter o conhecimento da cessação do sofrimento, não ter o conhecimento do caminho que conduz à cessação do sofrimento - a isto se denomina ignorância. Com o surgimento das impurezas existe o surgimento da ignorância. Com a cessação das impurezas ocorre a cessação da ignorância. O caminho que conduz à cessação da ignorância é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

67. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma a ignorância, a origem da ignorância, a cessação da ignorância e o caminho que conduz à cessação da ignorância … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

(Impurezas)

68. Dizendo, "Muito bem, amigo" os bhikkhus ficaram contentes e satisfeitos com as palavras do venerável Sariputta. Então eles lhe fizeram uma outra pergunta: "Mas, amigo, pode haver alguma outra forma em que um nobre discípulo é aquele que possui entendimento correto … penetrou este verdadeiro Dhamma?" - "Sim, pode haver, amigos."

69. "Quando, amigos, um nobre discípulo compreende as impurezas, a origem das impurezas, a cessação das impurezas e o caminho que conduz à cessação das impurezas, dessa forma ele é alguém que possui entendimento correto … e penetrou este verdadeiro Dhamma."

70. "E o que são impurezas, qual é a origem das impurezas, qual é a cessação das impurezas, qual é o caminho que conduz à cessação das impurezas? Existem essas três impurezas: a impureza do desejo sensual, a impureza de ser/existir e a impureza da ignorância. Com o surgimento da ignorância existe o surgimento das impurezas. [19] Com a cessação da ignorância ocorre a cessação das impurezas. O caminho que conduz à cessação das impurezas é exatamente este Nobre Caminho Óctuplo; isto é, entendimento correto … concentração correta.

71. "Quando um nobre discípulo compreendeu dessa forma as impurezas, a origem das impurezas, a cessação das impurezas e o caminho que conduz à cessação das impurezas … ele aqui e agora dá um fim ao sofrimento. Desta forma, também, um nobre discípulo possui o entendimento correto, possui o entendimento que é reto, possui perfeita claridade, serenidade e confiança no Dhamma e penetrou este verdadeiro Dhamma."

Isso foi o que disse o venerável Sariputta. Os bhikkhus ficaram satisfeitos e contentes com as palavras do venerável Sariputta.

 


 

Notas:

Veja o comentário de Ajaan Thanissaro.

[1] MA: Existem dois tipos de entendimento correto: mundano e supramundano. Existem dois tipos de entendimento correto mundano: o entendimento de que kamma produz os seus frutos, que pode ser uma crença de Budistas e não Budistas, e o entendimento em conformidade com as quatro nobres verdades, que é exclusividade dos ensinamentos do Buda. O entendimento correto supramundano é o conhecimento direto das quatro nobres verdades obtido através da realização dos quatro caminhos supramundanos e os seus frutos. A questão formulada pelo Ven. Sariputta diz respeito ao sekha, que é o discípulo no treinamento superior, (ou seja: aquele que entrou na correnteza, que retorna uma vez, que não retorna), que possui o entendimento correto supramundano que o conduzirá irreversivelmente à emancipação. Isto está subentendido pela frase "perfeita claridade, serenidade e confiança" e "penetrou este verdadeiro Dhamma". [Retorna]

[2] Neste caso o prejudicial, (akusala), é explicado através dos dez tipos de ações prejudiciais. As primeiras três pertencem à ação corporal, as quatro intermediárias pertencem à ação verbal e as últimas três pertencem à ação mental. As dez são explicadas em mais detalhe no MN 41.8-10. [Retorna]

[3] Essas três são denominadas de raiz do que é prejudicial porque elas motivam todas as ações prejudiciais. [Retorna]

[4] Esses dez tipos de ações benéficas são apresentadas em mais detalhe no MN 41.12-14. [Retorna]

[5] MA explica o entendimento desses quatro termos pelo discípulo através das quatro nobres verdades desta forma: todos os tipos de ações são a verdade do sofrimento; a raiz do que é benéfico e prejudicial é a verdade da origem; a não ocorrência de ambas, as ações e as suas raízes, é a verdade da cessação; e o nobre caminho que realiza a cessação é a verdade do caminho. Até este ponto foi descrito um nobre discípulo em um dos três primeiros estágios de iluminação - aquele que penetrou o entendimento correto supramundano mas ainda não eliminou todas as impurezas. [Retorna]

[6] O trecho "ele abandona completamente a tendência subjacente ao desejo sensual" até "ele dá um fim ao sofrimento" mostra o que foi alcançado através dos caminhos 'do que não retorna' e do arahant, respectivamente a eliminação das contaminações mais sutis e obstinadas e a conquista do conhecimento supremo. Aqui, a tendência subjacente ao desejo sensual e à aversão são eliminados pelo caminho 'do que não retorna', a tendência subjacente em relação à idéia e presunção ‘eu sou’ e em relação à ignorância são eliminados pelo caminho do arahant. MA explica que a expressão "tendência subjacente em relação à idéia e presunção ‘eu sou’, (asmi ti ditthimananusaya)," deve ser interpretada como significando a tendência subjacente à presunção que é semelhante a uma idéia porque, tal como a idéia de um eu, ela ocorre com a apreensão da noção de que ‘eu sou’. [Retorna]

[7] Alimento, (ahara), deve neste caso ser entendido de forma ampla como a condição proeminente para a continuidade da vida de um indivíduo. A comida física, ( kabalinkara ahara), é um importante condicionante para o corpo físico, o contato é um importante condicionante para as sensações, a volição mental é um importante condicionante para a consciência e a consciência é um importante condicionante para a mentalidade-materialidade (nome e forma), o organismo psíquico/físico na sua totalidade. O desejo é denominado a origem do alimento, no sentido de que o desejo de uma existência passada é a fonte da individualidade presente, com a sua dependência e contínuo consumo dos quatro alimentos nesta existência. Veja o SN XII.63. [Retorna]

[8] As próximas doze seções apresentam, em ordem reversa, um exame, fator por fator, do ciclo da origem dependente. [Retorna]

[9] Isto se refere aos cinco agregados. Veja MN 10.38 e MN 44.2. [Retorna]

[10] As seis bases para contato (órgãos dos sentidos) estão enumeradas a seguir no verso 50. [Retorna]

[11] Aqui, "ser/existir" deve ser entendido no sentido dos mundos de renascimento e dos tipos de kamma que geram o renascimento nesses mundos.[Retorna]

[12] Apego a preceitos e rituais é acreditar que a purificação pode ser alcançada adotando-se certas regras externas ou seguindo certas práticas, particularmente de auto disciplina ascética; apegar-se à doutrina de um eu é sinônimo da idéia da existência de um eu em uma das vinte formas possíveis (veja MN 44.7); apego a idéias é o apego a todos os tipos de idéias, exceto aquelas mencionadas em separado. Apego, em qualquer uma das suas variações, representa um reforço do desejo que é a sua condição.[Retorna]

[13] Desejo por objetos mentais, (dhammatanha) , é o desejo por todos os objetos da mente exceto os objetos dos cinco sentidos. Exemplos seriam o desejo por fantasias e imagens mentais, por idéias abstratas e modelos intelectuais, por sensações e estados carregados de emoções, etc. [Retorna]

[14] Contato, (phasa), é explicado no MN 18.16 como sendo o encontro da base interna (meio ou porta do sentido) com a base externa (o objeto) e a consciência [Retorna]

[15] Base da Mente, (manayatana), é um termo coletivo para todos os tipos de consciência. Uma parte dessa base - "o contínuo da vida" (bhavanga) ou subconsciente - é a "porta" para o surgimento da consciência. Veja nota 17. [Retorna]

[16] Mentalidade-materialidade (nome e forma), (namarupa), é um termo abrangente para o organismo psicofísico excluindo a consciência. Os cinco fatores mentais mencionados no verso seguinte como mentalidade (nome), (nama), são indispensáveis para a consciência e dessa forma fazem parte de toda experiência consciente. Os quatro grandes elementos concretamente representam as propriedades essenciais da matéria: solidez, coesão, calor e distensão. A materialidade (forma), (rupa), derivada desses elementos inclui, de acordo com a análise do Abhidamma, a substância sensitiva dos cinco órgãos dos sentidos (bases internas); quatro fenômenos objetivos - cor, som, aroma e sabor (sendo que os tangíveis contêm os três elementos da terra, fogo e ar); a faculdade vital, valor nutritivo, determinação do sexo e outros tipos de fenômenos materiais. [Retorna]

[17] Consciência na mente, (manoviññana), inclui todo tipo de consciência exceto os cinco tipos de consciência nos sentidos que acabam de ser mencionados. Ela inclui a consciência de imagens mentais, idéias abstratas e estados interiores da mente bem como a consciência reflexiva dos objetos dos sentidos. [Retorna]

[18] Dentro do contexto da doutrina da origem dependente, as formações volitivas, (sankhara), são volições benéficas ou prejudiciais ou, de maneira sucinta, kamma. A formação corporal é a volição expressa através do corpo, a formação verbal é a volição expressa através da linguagem e a formação mental é a volição que permanece interna sem alcançar a expressão corporal ou verbal. [Retorna]

[19] Deve ser notado que enquanto que a ignorância é uma condição para as impurezas, as impurezas - que incluem a ignorância - são por sua vez uma condição para a ignorância. MA diz que esse condicionamento da ignorância pela ignorância deve ser entendido como a ignorância em qualquer existência ser condicionada pela ignorância na existência anterior. Já que isso é assim, a conclusão é que um ponto inicial para a ignorância não pode ser identificado e que o samsara não possui um início que possa ser identificado. [Retorna]

 

 

Revisado: 2 Abril 2014

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.