Majjhima Nikaya 69

Gulissani Sutta

Gulissani

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


1. Assim ouvi. Em certa ocasião,o Abençoado estava em Rajagaha, no Bambual, no Santuário dos Esquilos.

2. Agora, naquela ocasião um bhikkhu chamado Gulissani, que habitava nas florestas, de comportamento negligente, veio visitar e ficar com a Sangha para tratar de alguns assuntos. O venerável Sariputta se dirigiu aos bhikkhus com referência ao bhikkhu Gulissani da seguinte forma:

3. “Amigos, quando um bhikkhu que habita nas florestas vem para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, ele deveria ter respeito e deferência para com os seus companheiros na vida santa. Se ele não tiver respeito e deferência para com os seus companheiros na vida santa, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não tem respeito e deferência para com os seus companheiros na vida santa?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas, que veio para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, deveria ter respeito e deferência para com os seus companheiros na vida santa.

4. “Quando um bhikkhu que habita nas florestas vem para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, ele deveria ser proficiente no bom comportamento relativo a assentos da seguinte forma: ‘Eu sentarei de tal modo que não invada o espaço dos bhikkhus sêniores e não negue um assento aos bhikkhus júniores.’ Se ele não for proficiente no bom comportamento relativo a assentos, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele nem mesmo sabe o que é bom comportamento?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas, que veio para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, deveria ser proficiente no bom comportamento relativo a assentos.

5. “Quando um bhikkhu que habita nas florestas vem para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, ele não deve entrar no vilarejo muito cedo ou regressar no fim do dia. Se ele entrar no vilarejo muito cedo e regressar no fim do dia, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele entra no vilarejo muito cedo e regressa no fim do dia?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas, que veio para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, não deve entrar no vilarejo muito cedo ou regressar no fim do dia.

6. “Quando um bhikkhu que habita nas florestas vem para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, ele não deve visitar famílias antes da refeição ou depois da refeição. [1] Se ele for visitar famílias antes da refeição ou depois da refeição, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, ele deve estar acostumado a fazer visitas fora de hora, visto que ele assim se comporta quando está na Sangha.’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas, que veio para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, não deve visitar famílias antes da refeição ou depois da refeição.

7. “Quando um bhikkhu que habita nas florestas vem para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, ele não deve ser arrogante e vaidoso. Se ele for arrogante e vaidoso, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, ele deve em geral ser arrogante e vaidoso, visto que ele assim se comporta quando está na Sangha.’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas, que veio para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, não deve ser arrogante e vaidoso.

8. “Quando um bhikkhu que habita nas florestas, vem para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, ele não deve falar de forma grosseira e frívola. Se ele falar de forma grosseira e frívola, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele fala de forma grosseira e frívola?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas, que veio para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, não deve falar de forma grosseira e frívola.

9. “Quando um bhikkhu que habita nas florestas vem para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, ele deve ser fácil de ser corrigido e deve se associar com bons amigos. Se ele for difícil de ser corrigido e se associar com maus amigos, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele é difícil de ser corrigido e se associa com maus amigos?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas, que veio para a Sangha e está vivendo junto com a Sangha, deve ser fácil de ser corrigido e deve se associar com bons amigos.

10. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve guardar as portas dos meios dos sentidos. Se ele não guardar as portas dos meios dos sentidos, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não guarda as portas dos meios dos sentidos?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve guardar as suas portas dos meios dos sentidos.

11. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve ser moderado ao comer. Se ele não for moderado ao comer, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não é moderado ao comer?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve ser moderado ao comer.

12. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve ser dedicado à vigilância. Se ele não for dedicado à vigilância, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não é dedicado à vigilância?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve ser dedicado à vigilância.

13. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve ser energético. Se ele não for energético, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele é preguiçoso?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve ser energético.

14. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve ter a atenção plena estabelecida. Se ele for desatento, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele é desatento?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve ter a atenção plena estabelecida.

15. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve ter concentração. Se ele não tiver concentração, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não tem concentração?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve ter concentração.

16. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve ser sábio. Se ele não for sábio, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não é sábio?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve ser sábio.

17. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve se dedicar ao Dhamma superior e à Disciplina superior, [2] Se ele não se dedicar ao Dhamma superior e à Disciplina superior, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não se dedica ao Dhamma superior e à Disciplina superior?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve se dedicar ao Dhamma superior e à Disciplina superior.

18. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve se dedicar àquelas libertações que são pacíficas e imateriais, que transcendem as formas; [3] pois há aqueles que indagam de um bhikkhu que habita nas florestas questões sobre as libertações que são pacíficas e imateriais, que transcendem as formas. Se ele não se dedicar a essas libertações, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não se dedica a essas libertações que são pacíficas e imateriais, que transcendem as formas?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve se dedicar a essas libertações que são pacíficas e imateriais, que transcendem as formas.

19. “Um bhikkhu que habita nas florestas deve se dedicar aos estados supra-humanos, pois há aqueles que indagam de um bhikkhu que habita nas florestas questões sobre os estados supra-humanos.[4] Se ele não se dedicar a esses estados, haverá aqueles que dirão: ‘O que esse venerável que habita nas florestas ganhou ao viver sozinho na floresta, fazendo o que quer, visto que ele não se dedica aos estados supra-humanos?’ Posto que haveria aqueles que diriam isso dele, um bhikkhu que habita nas florestas deve se dedicar aos estados supra-humanos.”

20. Quando isso foi dito, o venerável Maha Moggallana perguntou ao venerável Sariputta: “Amigo Sariputta, essas coisas devem ser adotadas e praticadas apenas por um bhikkhu que habita nas florestas ou por um bhikkhu que habita na cidade também?”

“Amigo Moggallana, essas coisas devem ser adotadas e praticadas não apenas por um bhikkhu que habita nas florestas, mas também por um bhikkhu que habita na cidade.”

 


 

Notas:

[1] Isto é proibido pela regra Pac 46 (Vin iv.98-101). Um bhikkhu pode visitar famílias nessas ocasiões apenas se ele tiver informado algum outro bhikkhu no monastério acerca das suas intenções, exceto durante a época de confeccionar e dar mantos. [Retorna]

[2] Abhidhamma abhivinaya. MA diz que ele deve se empenhar em aprender o texto e comentários do Abhidhamma Pitaka e do Vinaya Pitaka. Isto é claramente anacrônico. Quanto ao Abhidhamma, em relação aos suttas, veja o MN 32 – nota 6. Embora não exista um corpo literário denominado “Abhivinaya,” parece provável que a palavra se refira a uma abordagem sistemática e analítica do estudo do Vinaya, talvez inserida no Sutta-vibhanga do Vinaya Pitaka. [Retorna]

[3] MA: Isto se refere às oito realizações meditativas que inclui os quatro jhanas. Ele, no mínimo, deveria obter proficiência em relação ao trabalho preliminar com um objeto de meditação, tal como uma kasina.[Retorna]

[4] MA: Isto se refere a todos os estados supramundanos. Ele, no mínimo, deveria obter proficiência em relação a uma abordagem para desenvolver o insight até o estado de arahant.[Retorna]

 

 

Revisado: 8 Maio 2004

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.