Majjhima Nikaya 127

Anuruddha Sutta

Anuruddha

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


1. Em certa ocasião o Abençoado estava em Savatthi, no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika.

2. Então o carpinteiro Pancakanga se dirigiu a um certo homem da seguinte forma: “Venha, bom homem, vá até o venerável Anuruddha, preste uma homenagem em meu nome com a sua cabeça aos pés dele, e diga: ‘Venerável senhor, o carpinteiro Pancakanga homenageia o venerável Anuruddha com a cabeça aos seus pés e diz: “Venerável senhor, que o venerável Anuruddha junto com outros três, consinta em aceitar a refeição de amanhã do carpinteiro Pancakanga; e que o venerável Anuruddha possa chegar pontualmente já que o carpinteiro Pancakanga está muito ocupado e tem muito trabalho para fazer para o rei.”’”

“Sim, senhor,” aquele homem respondeu e foi até o venerável Anuruddha. Depois de cumprimentar o venerável Anuruddha, ele sentou a um lado e comunicou a sua mensagem. O venerável Anuruddha concordou em silêncio.

3. Então, quando havia terminado a noite, ao amanhecer, o venerável Anuruddha se vestiu e tomando a sua tigela e o manto externo foi até a casa do carpinteiro Pancakanga, sentando num assento que havia sido preparado. Então, com as próprias mãos, o carpinteiro Pancakanga serviu e satisfez o venerável Anuruddha com os vários tipos de boa comida. Em seguida, quando o venerável Anuruddha havia terminado de comer e retirado a mão da sua tigela, o carpinteiro Pancakanga sentou a um lado, num assento mais baixo, e disse para o venerável Anuruddha:

4. “Veja, venerável senhor, bhikkhus sêniores vieram até mim e disseram: ‘Chefe de família, desenvolva a libertação imensurável da mente’; e alguns bhikkhus disseram: ‘Chefe de família, desenvolva a libertação transcendente da mente.’ Venerável senhor, a libertação imensurável da mente e a libertação transcendente da mente [1] – esses estados são distintos no significado e distintos no nome, ou eles possuem o mesmo significado e são distintos apenas no nome?”

5. “Explique o modo como você entende, chefe de família. Depois isso será aclarado para você.”

“Venerável senhor, eu penso da seguinte forma: a libertação imensurável da mente e a libertação transcendente da mente – esses estados possuem o mesmo significado e são distintos apenas no nome.”

6. “Chefe de família, a libertação imensurável da mente e a libertação transcendente da mente – são estados distintos no significado e distintos no nome. E deve ser compreendido da seguinte forma como esses estados são distintos no significado e distintos no nome.

7. “O que, chefe de família, é a libertação imensurável da mente? Aqui um bhikkhu com o coração pleno de amor bondade, permanece permeando o primeiro quadrante com a mente imbuída de amor bondade, da mesma forma o segundo, da mesma forma o terceiro, da mesma forma o quarto; assim acima, abaixo, em volta e em todos os lugares, para todos bem como para si mesmo, ele permanece permeando o mundo todo com a mente imbuída de amor bondade, abundante, transcendente, imensurável, sem hostilidade e sem má vontade. Com o coração pleno de compaixão, ele permanece permeando o primeiro quadrante com a mente imbuída de compaixão ... Ele permanece permeando o primeiro quadrante com a mente imbuída de alegria altruísta … Ele permanece permeando o primeiro quadrante com a mente imbuída de equanimidade … abundante, transcendente, imensurável, sem hostilidade e sem má vontade. Isso é chamado de libertação imensurável da mente.

8. “E o que, chefe de família, é a libertação transcendente da mente? Neste caso um bhikkhu permanece resoluto sobre uma área do tamanho da raiz de uma árvore, permeando-a com a mente transcendente: isso é chamado de libertação transcendente da mente. [2] Aqui um bhikkhu permanece resoluto sobre uma área do tamanho da raiz de duas ou três árvores, permeando-a com a mente transcendente: isso é chamado de libertação transcendente da mente. Aqui um bhikkhu permanece resoluto sobre uma área do tamanho de um vilarejo, permeando-a com a mente transcendente ... uma área do tamanho de dois ou três vilarejos … uma área do tamanho de um reino majestoso … uma área do tamanho de dois ou três reinos majestosos … uma área do tamanho de um continente circundado pelo oceano, permeando-a com a mente transcendente: isso também é chamado de libertação transcendente da mente. Desta maneira, chefe de família, pode ser compreendido como esses estados são distintos no significado e distintos no nome.

9. “Existem, chefes de família, esses quatro tipos de ressurgimento (num futuro estado) de ser. [3] Quais quatro? Aqui alguém permanece resoluto e permeando a ‘radiância limitada’; na dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas da Radiância Limitada. Aqui alguém permanece resoluto e permeando a ‘radiância imensurável’; na dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas da Radiância Imensurável. Aqui alguém permanece resoluto e permeando a ‘radiância contaminada’; na dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas da Radiância Contaminada. Aqui alguém permanece resoluto e permeando a ‘radiância pura’; na dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas da Radiância Pura. Esses são os quatro tipos de ressurgimento (num futuro estado) de ser. [4]

10. “Há uma ocasião, chefe de família, em que esses devas se reúnem num lugar. Quando eles estão reunidos num lugar, uma diferença na sua coloração pode ser discernida mas não há diferença na sua luminosidade. Como se um homem trouxesse várias lamparinas de azeite para uma casa, uma diferença na chama das lamparinas poderia ser discernida mas nenhuma diferença na sua luminosidade; assim também, há uma ocasião em que esses devas se reúnem num lugar ... mas não há diferença na sua luminosidade.

11. “Há uma ocasião, chefe de família, em que esses devas dali desaparecem. Quando eles se dispersam, uma diferença na sua coloração pode ser discernida e também uma diferença na sua luminosidade. Como se um homem removesse aquelas várias lamparinas de azeite da casa, uma diferença na chama das lamparinas poderia ser discernida e também uma diferença na sua luminosidade; assim também, há uma ocasião em que esses devas dali desaparecem ... e também uma diferença na sua luminosidade.

12. “A esses devas não lhes ocorre que: ‘Esta nossa vida é permanente, irá durar para sempre, ou ela é eterna,’ no entanto, em qualquer lugar em que elas se estabeleçam, elas ali encontram o deleite. Como quando moscas são levadas numa vara ou num cesto, a elas não lhes ocorre que: ‘Esta nossa vida é permanente, irá durar para sempre, ou ela é eterna,’ no entanto, em qualquer lugar em que aquelas moscas se estabeleçam, elas ali encontram o deleite; assim também, a esses devas não lhes ocorre ... no entanto, em qualquer lugar em que eles se estabeleçam, elas ali encontram o deleite.”

13. Quando isso foi dito, o venerável Abhiya Kaccana disse para o venerável Anuruddha: “Muito bem, venerável Anuruddha, eu ainda tenho algo mais para perguntar: Todos esses seres luminosos são devas de Radiância Limitada ou alguns são devas de Radiância Imensurável?”

“Devido ao fator responsável pelo renascimento, amigo Kaccana, alguns são devas de Radiância Limitada, alguns são devas de Radiância Imensurável.”

14. “Venerável Anuruddha, qual é a causa e razão porque dentre esses devas que renasceram numa única ordem de devas, alguns são devas de Radiância Limitada e alguns são devas de Radiância Imensurável?”

“Quanto a isso, amigo Kaccana, responderei com uma pergunta em retorno. Responda como quiser. O que você pensa, amigo Kaccana? Quando um bhikkhu permanece resoluto sobre uma área do tamanho da raiz de uma árvore, permeando-a com a mente transcendente, e um outro bhikkhu permanece resoluto sobre uma área do tamanho da raiz de duas ou três árvores, permeando-a com a mente transcendente – qual desses tipos de desenvolvimento mental é mais transcendente?” – “O segundo, venerável senhor.”

“O que você pensa, amigo Kaccana? Quando um bhikkhu permanece resoluto sobre uma área do tamanho da raiz de duas ou três árvores, permeando-a com a mente transcendente, e um outro bhikkhu permanece resoluto sobre uma área do tamanho de um vilarejo, permeando-a com a mente transcendente ... uma área do tamanho de dois ou três vilarejos … uma área do tamanho de um reino majestoso … uma área do tamanho de dois ou três reinos majestoso … uma área do tamanho de um continente circundado pelo oceano, permeando-a com a mente transcendente - qual desses tipos de desenvolvimento mental é mais transcendente?” – “O último, venerável senhor.”

“Essa é a causa e razão, amigo Kaccana, porque dentre esses devas que renasceram numa única ordem de devas, alguns são devas de Radiância Limitada e alguns são devas de Radiância Imensurável.

15. “Muito bem, venerável Anuruddha, eu ainda tenho algo mais para perguntar: Todos esses seres luminosos são devas de Radiância Contaminada ou alguns são devas de Radiância Pura?”

“Devido ao fator responsável pelo renascimento, amigo Kaccana, alguns são devas de Radiância Contaminada, alguns são devas de Radiância Pura.”

16. “Venerável Anuruddha, qual é a causa e razão porque dentre esses devas que renasceram numa única ordem de devas, alguns são devas de Radiância Contaminada e alguns são devas de Radiância Pura?”

“Nesse caso, amigo Kaccana, explicarei com um símile pois alguns homens sábios compreendem o significado de um enunciado através de um símile. Suponha que uma lamparina de azeite esteja queimando com um azeite impuro e um pavio impuro; devido à impureza do azeite e do pavio ela arde com debilidade. Assim também, aqui um bhikkhu permanece resoluto e permeando uma área com uma luminosidade contaminada. A sua inércia corporal não foi completamente apaziguada, a sua preguiça e torpor não foram completamente eliminados, a sua inquietação e ansiedade não foram completamente removidos; devido a isso ele medita, como se fosse, com debilidade. [5] Na dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas da Radiância Contaminada.

Suponha que uma lamparina de azeite esteja queimando com um azeite puro e um pavio puro; devido à pureza do azeite e do pavio ela não arde com debilidade. Assim também, aqui um bhikkhu permanece resoluto e permeando uma área com uma luminosidade pura. A sua inércia corporal foi completamente apaziguada, a sua preguiça e torpor foram completamente eliminados, a sua inquietação e ansiedade foram completamente removidos; devido a isso ele medita, como se fosse, com luminosidade. Na dissolução do corpo, após a morte, ele renasce na companhia dos devas da Radiância Pura.

“Essa é a causa e razão, amigo Kaccana, porque dentre esses devas que renascem numa única ordem de devas, alguns são devas de Radiância Contaminada e alguns são devas de Radiância Pura.

17. Quando isso foi dito, o venerável Abhiya Kaccana disse para o venerável Anuruddha: “Muito bem, venerável Anuruddha. O venerável Anuruddha não diz: ‘Assim ouvi’ ou ‘Deve ser assim.’ Ao invés disso, o venerável Anuruddha diz: ‘Estes devas são assim e aqueles devas são assim.’ Ocorre-me, venerável senhor, que o venerável Anuruddha com certeza se associou com esses devas, dirigiu-lhes a palavra e com eles manteve conversações.”

“Certamente, amigo Kaccana, as suas palavras são ofensivas e descorteses, mas ainda assim vou responder. Durante muito tempo me associei com esses devas, dirigi a palavra e mantive conversações com eles.” [6]

18. Quando isso foi dito, o venerável Abhiya Kaccana disse para o carpinteiro Pancakanga: “É um ganho para você, chefe de família, é um grande ganho para você ter abandonado o seu estado de dúvida e ter tido a oportunidade de ouvir este discurso do Dhamma.”

 


 

Notas:

[1] Appamana cetovimutti, mahaggata cetovimutti. Tanto no MN 43.31, como aqui, a libertação imensurável da mente é explicada como os quatro brahmaviharas. Como a fórmula para cada brahmavihara inclui a palavra “transcendente,” parece que Pancakanga se confundiu supondo que ambas as libertações significam a mesma coisa. [Retorna]

[2] MA: Ele cobre uma área do tamanho da raiz de uma árvore com o sinal da kasina que estiver utilizando, ele permanece resoluto sobre o sinal daquela kasina, permeando-o com o jhana transcendente. A mesma explanação se aplica aos demais casos. [Retorna]

[3] MA: Este ensinamento é proferido para mostrar os distintos tipos de renascimento que resultam da realização da libertação transcendente da mente.[Retorna]

[4] MA explica que não existem mundos distintos de devas chamados de “Radiância Contaminada” e “Radiância Pura.” Ambos são subdivisões dentro dos dois mundos – dos devas da Radiância Limitada e dos devas da Radiância Imensurável. O renascimento entre os devas da Radiância Limitada é determinado pela realização do (segundo) jhana com o sinal limitado de uma kasina e o renascimento entre os devas da Radiância Imensurável, através da realização do mesmo jhana, com o sinal expandido de uma kasina. O renascimento na radiância contaminada se aplica àqueles que não obtiveram maestria nos jhanas e não os purificaram dos estados obstrutivos; o renascimento na radiância pura se aplica àqueles que obtiveram essa maestria e purificação. [Retorna]

[5] Aqui é empregado um trocadilho. Em Pali o verbo jhayati tem os dois significados, arder e meditar, embora ambos os significados derivem de verbos distintos em Sânscrito: kshayati é arder, dhyayati é meditar. [Retorna]

[6] As palavras de Abhiya são descorteses porque questionam de forma muito direta a experiência pessoal do ven. Anuruddha. MA diz que na prática das perfeições, (paramis), em vidas anteriores, Anuruddha adotou a vida santa de contemplativo e alcançou as realizações meditativas, passando 300 existências sem interrupção no mundo de Brahma. Daí a sua resposta. [Retorna]

 

 

Revisado: 28 Dezembro 2006

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.