Itivuttaka 27

Mettabhavana Sutta

Cultivo do Amor Bondade

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Isto foi dito pelo Abençoado, dito pelo Arahant, assim ouvi: “Todas as razões para a realização de méritos que conduzem a um renascimento espontâneo no paraíso não equivalem nem a um dezesseis avos da libertação da mente através do amor bondade. O amor bondade, superando-os, brilha, resplandece e deslumbra.

“Tal como a luminosidade das constelações não equivale a um dezesseis avos da luminosidade da lua, e a luminosidade da lua é considerada como a melhor entre todas elas, da mesma forma, todas as razões para a realização de méritos que conduzem a um renascimento espontâneo no paraíso não equivalem nem um dezesseis avos da libertação da mente através do amor bondade. O amor bondade, superando-os, brilha, resplandece e deslumbra.

“Tal como no outono, no último mês da estação das chuvas, quando o céu está limpo e sem nuvens, o sol surge na terra dissipando toda a escuridão do espaço com a sua luminosidade brilhante e radiante, da mesma forma, todas as razões para a realização de méritos que conduzem a um renascimento espontâneo no paraíso não equivalem nem a um dezesseis avos da libertação da mente através do amor bondade. O amor bondade, superando-os, brilha, resplandece e deslumbra.

“Tal como na escuridão antes da alvorada a estrela-d’alva, brilha, resplandece e deslumbra, da mesma forma, todos os motivos para a realização de méritos que conduzem a um renascimento espontâneo no paraíso não equivalem nem a um dezesseis avos da libertação da mente através do amor bondade. O amor bondade, superando-os, brilha, resplandece e deslumbra.”

Aquele que com atenção plena desenvolve
o amor bondade sem limites,
vendo a destruição do apego,
os grilhões são consumidos.

Se com a mente incorrupta
ele desenvolve o amor bondade
mesmo que apenas por um ser,
assim o mérito é realizado.
Mas um Nobre produz
uma abundância de mérito
tendo a mente compassiva
para com todos os seres.

Os conquistadores da terra
repleta de gente,
realizaram sacrifícios:
de cavalos, seres humanos,
rituais com água, rituais soma,
e o “desobstruído,”
mas esses não equivalem
nem a um dezesseis avos
de uma mente bem desenvolvida com amor bondade -
tal como todas as constelações,
não equivalem a um dezesseis avos
do brilho da lua.

Aquele que não mata
nem faz com que outros matem,
não conquista,
nem faz com que outros conquistem,
com amor bondade por todos os seres,
não tem inimizade com ninguém.

 


 

Notas:

Veja também o AN XI.16.

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 6 Novembro 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.