Digha Nikaya 34

Dasuttara Sutta

Década Expandida

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


1.1. Assim ouvi. [1] Em certa ocasião, o Abençoado estava em Campa às margens do lago Gaggara com uma grande Sangha de bhikkhus, com quinhentos bhikkhus. Então, o Venerável Sariputta se dirigiu aos bhikkhus: “Amigos bhikkhus!” - “Amigo!” os bhikkhus responderam. E o Venerável Sariputta disse:

“Em grupos crescentes de um a dez ensinarei o
Dhamma para a realização de Nibbana,
para que vocês dêem um fim ao sofrimento,
e se libertem de todos os grilhões que aprisionam.

1.2. “Amigos, há (1) uma coisa que ajuda muito, (bahukaro), (2) uma coisa que deve ser desenvolvida, (bhavetabbo), (3) uma coisa para ser compreendida completamente, (parinneyyo), (4) uma coisa que deve ser abandonada, (pahatabbo), (5) uma coisa que conduz ao declínio, (hana-bhagiyo), (6) uma coisa que conduz à distinção, (visesa-bhagiyo), (7) uma coisa difícil de ser penetrada, (duppativijjho), (8) uma coisa que se deve fazer surgir, (uppadetabbo), (9) uma coisa para ser compreendida diretamente, (abhinneyyo), e (10) uma coisa para ser realizada, (sacchikatabbo).

(1) “Qual é a uma coisa que ajuda muito? A diligência em relação aos estados hábeis, (appamado kusalesu dhammesu).
(2) “Qual é a uma coisa que deve ser desenvolvida? A atenção plena no corpo acompanhada pelo prazer, (kaya-gata sati sata-sahagata).
(3) “Qual é a uma coisa para ser compreendida completamente? O contato como condição para as impurezas e o apego, (phasso sasavo upadaniyo).
(4) “Qual é a uma coisa que deve ser abandonada? A presunção “eu sou”, (asmimana).
(5) “Qual é a uma coisa que conduz ao declínio? A atenção sem sabedoria, (ayoniso manasikaro).
(6) “Qual é a uma coisa que conduz à distinção? A atenção com sabedoria, (yoniso manasikaro).
(7) “Qual é a uma coisa difícil de ser penetrada? A concentração mental sem interrupções, (anantariko ceto-samadhi).
(8) “Qual é a uma coisa que se deve fazer surgir? O conhecimento inabalável, (akuppam ñanam).
(9) “Qual é a uma coisa para ser compreendida diretamente? Todos os seres se mantêm por meio do alimento. (DN 33.1.8)
(10) “Qual é a uma coisa para ser compreendida? A libertação da mente inabalável, (akuppa ceto-vimutti).

“Essas perfazem as únicas dez coisas que são reais e verdadeiras, [A] completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

1.3. “Duas coisas que ajudam muito, duas coisas que devem ser desenvolvidas ...((1)-(10) igual acima).

(1) “Quais são as duas coisas que ajudam muito? Atenção plena e a plena consciência (DN 33.1.9)
(2) “Quais são as duas coisas que devem ser desenvolvidas? Tranqüilidade e insight (DN 33.1.9)
(3) “Quais são as duas coisas para serem compreendidas completamente? Mentalidade e materialidade (nome e forma) (DN 33.1.9)
(4) “Quais são as duas coisas que devem ser abandonadas? Ignorância e desejo por ser/existir (DN 33.1.9)
(5) “Quais são as duas coisas que conduzem ao declínio? Rudeza e amizade pelo ruim (DN 33.1.9).
(6) “Quais são as duas coisas que conduzem à distinção? Gentileza e amizade pelo bom (DN 33.1.9)
(7) “Quais são as duas coisas difíceis de serem penetradas? Aquilo que é a raiz, a condição para a contaminação dos seres e aquilo que é a raiz, a condição para a purificação dos seres, (yo ca hetu yo ca paccayo sattanam samkilesaya,... sattanam visuddhiya).
(8) “Quais são as duas coisas que se deve fazer surgir? O conhecimento da destruição das impurezas e da sua não reaparição (DN 33.1.9)
(9) “Quais são as duas coisas que devem ser compreendidas diretamente? Dois elementos, o condicionado e o incondicionado, (sankhata ca dhatu asankhata ca dhatu).
(10) “Quais são as duas coisas para serem compreendidas? Conhecimento e libertação (DN 33.1.9).

“Essas perfazem as únicas vinte coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

1.4. “Três coisas que ajudam muito, três coisas que devem ser desenvolvidas ...

(1) “Quais são as três coisas que ajudam muito? Associar-se com pessoas verdadeiras, ouvir o verdadeiro Dhamma, praticar de acordo com o Dhamma (DN 33.1.11) (13).
(2) “Quais são as três coisas que devem ser desenvolvidas? Três tipos de concentração (DN 33.1.10) (50)
(3) “Quais são as três coisas para serem compreendidas completamente? Três sensações (DN 33.1.10) (26).
(4) “Quais são as três coisas que devem ser abandonadas? Três tipos de desejo (DN 33.1.10) (16).
(5) “Quais são as três coisas que conduzem ao declínio? Três raízes inábeis e prejudiciais (DN 33.1.10) (1).
(6) “Quais são as três coisas que conduzem à distinção? Três raízes hábeis e benéficas (DN 33.1.10) (2).
(7) “Quais são as três coisas difíceis de serem penetradas? Três elementos que conduzem à escapatória (nissaraniya dhatuyo): (a) libertação do sensual, (kama), isto é, a renúncia, (nekkhammam), (b) libertação das formas materiais, (rupa), isto é, o sem forma, (aruppam), (c) qualquer coisa que tenha surgido é condicionada, surge na dependência de condições – a libertação disso é a cessação, (nirodho).
(8) “Quais são as três coisas que se deve fazer surgir? Três conhecimentos, (ñanani) do passado, futuro e presente.
(9) “Quais são as três coisas para serem compreendidas diretamente? Três elementos (DN 33.1.10) (13)
(10) “Quais são as três coisas para serem compreendidas? Três conhecimentos, (vijja: (DN 33.1.10) (58))

“Essas perfazem as únicas trinta coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

1.5. “Quatro coisas que ajudam muito, quatro coisas que devem ser desenvolvidas ...

(1) “Quais são as quatro coisas que ajudam muito? Quatro “rodas”, [2] (cakkani): (a) um local de residência favorável, (patirupa-desa-vaso), (b) associar-se com pessoas verdadeiras, (sappurisupassayo), (c) correto desenvolvimento da própria identidade, (atta-samma-panidhi), ações meritórias no passado, (pubbe-kata-puññata).
(2) “Quais são as quatro coisas que devem ser desenvolvidas? Quatro fundamentos da atenção plena (DN 33.1.11) (1).
(3) “Quais são as quatro coisas para serem compreendidas completamente? Quatro alimentos (DN 33.1.11) (17).
(4) “Quais são as quatro coisas que devem ser abandonadas? Quatro torrentes (DN 33.1.11) (31).
(5) “Quais são as quatro coisas que conduzem ao declínio? Quatro jugos (DN 33.1.11) (32).
(6) “Quais são as quatro coisas que conduzem à distinção? Quatro libertações dos jugos (DN 33.1.11) (33).
(7) “Quais são as quatro coisas difíceis de serem penetradas? Quatro concentrações: (a) que conduz ao inferior, (hina-bhagiyo), (b) que conduz à imobilidade, (thiti-bhagiyo), (c) que conduz à distinção, (visesa-bhagiyo), (d) que conduz à penetração, (nibbedha-bhagiyo).
(8) “Quais são as quatro coisas que se deve fazer surgir? Quatro conhecimentos (DN 33.1.11) (11).
(9) “Quais são as quatro coisas para serem compreendidas diretamente? Quatro Nobres Verdades (DN 33.1.11) (12).
(10) “Quais são as quatro coisas para serem compreendidas? Quatro frutos da vida contemplativa (DN 33.1.11) (15).

“Essas perfazem as únicas quarenta coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

1.6. “Cinco coisas que ajudam muito, cinco coisas que devem ser desenvolvidas ...

(1) “Quais são as cinco coisas que ajudam muito? Cinco fatores para o esforço (DN 33.2.1) (16)
(2) “Quais são as cinco coisas que devem ser desenvolvidas? Cinco concentrações perfeitas: (a) plena de êxtase, (piti), (b) plena de felicidade, (sukha), (c) plena de volição, (ceto), (d) plena de luz, (aloka), (e) o sinal para a reflexão, [3] (paccavekkhana-nimitta).
(3) “Quais são as cinco coisas para serem compreendidas completamente? Cinco agregados influenciados pelo apego (DN 33.2.1) (2).
(4) “Quais são as cinco coisas que devem ser abandonadas? Cinco obstáculos (DN 33.2.1) (6).
(5) “Quais são as cinco coisas que conduzem ao declínio? Cinco obstruções na mente (DN 33.2.1) (19).
(6) “Quais são as cinco coisas que conduzem à distinção? Cinco faculdades (DN 33.2.1) (23).
(7) “Quais são as cinco coisas difíceis de serem penetradas? Cinco elementos que fazem a libertação (DN 33.2.1) (24).
(8) “Quais são as cinco coisas que devem ser feitas surgir? Cinco conhecimentos da concentração correta, (pancananiko samma samadhi): o conhecimento que surge em alguém: (a) ‘Esta concentração é ambos, felicidade no presente e produtora de felicidade resultante no futuro’, (ayatin ca sukha-vipako), (b) ‘Esta concentração é nobre e livre da mundanalidade’, (niramiso) (c) ‘Esta concentração não é praticada pelos homens falsos’, (akapurisa-sevito), (d) ‘Esta concentração é tranqüila e perfeita, tendo realizado a tranquilização, tendo realizado a unificação, ela não é estimulada, [4] não pode ser negada ou impedida’, (e) ‘Eu mesmo alcanço essa concentração através da atenção plena e saio dela com atenção plena.’
(9) “Quais são as cinco coisas para serem compreendidas diretamente? Cinco bases para a libertação (DN 33.2.1) (25).
(10) “Quais são as cinco coisas para serem compreendidas? Quatro divisões do Dhamma (DN 33.1.11 (25)) mais conhecimento e visão da libertação, (vimutti-ñana-dassana-kkhandho).

“Essas perfazem as únicas cinqüenta coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

1.7. “Seis coisas que ajudam muito, seis coisas que devem ser desenvolvidas ...

(1) “Quais são as seis coisas que ajudam muito? Seis coisas para serem lembradas (DN 33.2.2) (14).
(2) “Quais são as seis coisas que devem ser desenvolvidas? Seis objetos de recordação (DN 33.2.2) (19).
(3) “Quais são as seis coisas para serem compreendidas completamente? Seis bases dos sentidos internas (DN 33.2.2) (1).
(4) “Quais são as seis coisas que devem ser abandonadas? Seis tipos de desejo (DN 33.2.2) (8).
(5) “Quais são as seis coisas que conduzem ao declínio? Seis tipos de desrespeito (DN 33.2.2) (9).
(6) “Quais são as seis coisas que conduzem à distinção? Seis tipos de respeito (DN 33.2.2) (10).
(7) “Quais são as seis coisas difíceis de serem penetradas? Seis elementos para a libertação (DN 33.2.2) (17).
(8) “Quais são as seis coisas que se deve fazer surgir? Seis permanências estáveis (DN 33.2.2) (20).
(9) “Quais são as seis coisas para serem compreendidas diretamente? Seis coisas insuperáveis (DN 33.2.2) (18).
(10) “Quais são as seis coisas para serem compreendidas? Seis conhecimentos supra-humanos, (abhiñña): Aqui, um bhikkhu dirige e inclina a sua mente e desfruta de vários poderes supra-humanos, (iddhi): (a) Tendo sido um, ele se torna vários (DN 2.87); (b) Com o elemento do ouvido divino (DN 2.89); (c) Ele compreende as mentes de outros seres (DN 2.91); (d) Ele se recorda das suas muitas vidas passadas (DN 2.93); (e) Por meio do olho divino (DN 2.95); (f) Ele permanece num estado livre de impurezas com a libertação da mente e a libertação através da sabedoria, tendo conhecido e manifestado isso para si mesmo no aqui e agora (DN 2.97).

“Essas perfazem as únicas sessenta coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

1.8. “Sete coisas que ajudam muito, sete coisas que devem ser desenvolvidas ...

(1) “Quais são as sete coisas que ajudam muito? Sete tesouros (DN 33.2.3) (1).
(2) “Quais são as sete coisas que devem ser desenvolvidas? Sete fatores da iluminação (DN 33.2.3) (2).
(3) “Quais são as sete coisas para serem compreendidas completamente? Sete estações da consciência (DN 33.2.3) (10).
(4) “Quais são as sete coisas que devem ser abandonadas? Sete obsessões (DN 33.2.3) (I2).
(5) “Quais são as sete coisas que conduzem ao declínio? Sete práticas incorretas (DN 33.2.3) (4).
(6) “Quais são as sete coisas que conduzem à distinção? Sete práticas corretas (DN 33.2.3) (5).
(7) “Quais são as sete coisas difíceis de serem penetradas? Sete qualidades de um homem verdadeiro (DN 33.2.3) (6).
(8) “Quais são as sete coisas que se deve fazer surgir? Sete percepções (DN 33.2.3) (8).
(9) “Quais são as sete coisas para serem compreendidas diretamente? Sete razões para admiração (DN 33.2.3) (7).
(10) “Quais são as sete coisas para serem compreendidas? Sete poderes de um Arahant, (khinasava-balani). Aqui, para um bhikkhu que destruiu as impurezas, (a) a impermanência de todas as coisas condicionadas é bem vista, como na verdade é, através do perfeito insight. Esse é um modo através do qual ele reconhece que as impurezas foram destruídas; (b) ... os desejos sensuais são bem vistos, como uma cova cheia de carvões em brasa ...; (c)... a sua mente, (cittam), se dirige e inclina para o desapego, (viveka), tende para o desapego e o desapego é o seu objeto; regozijando-se com a renúncia, (nekkhammabhiratam), a sua mente é totalmente não receptiva a todas as coisas que fazem parte das impurezas ...; (d) ... os quatro fundamentos da atenção plena foram bem e corretamente desenvolvidos ...; (e)... as cinco faculdades foram bem desenvolvidas ...; (f) ... os sete fatores da iluminação foram bem desenvolvidos ... ; (g) o Nobre Caminho Óctuplo foi bem e corretamente desenvolvido ...Esses são os poderes através dos quais ele reconhece que as impurezas foram destruídas.

“Essas perfazem as únicas setenta coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

[Fim da primeira recitação]

2.1. “Oito coisas que ajudam muito, oito coisas que devem ser desenvolvidas ...

(1) “Quais são as oito coisas que ajudam muito? Oito causas, oito condições conduzem para a sabedoria dos fundamentos da vida santa, para alcançar aquilo que ainda não foi alcançado e para aumentar, expandir e desenvolver aquilo que foi alcançado. Aqui, (a) ele vive próximo ao Mestre ou de um companheiro na vida santa com o status de um mestre, ele estabeleceu um forte senso de vergonha e temor de cometer transgressões, com amor e veneração ... Nessa situação (b) de tempos em tempos ele procura o seu mestre e o questiona e pergunta: ‘Como é isto, venerável senhor? Qual o significado disto?’ Assim os veneráveis mestres podem revelar o que não foi revelado, esclarecer o que não está claro ou remover as obscuridades que fazem surgir a dúvida. (c) Depois, tendo ouvido o Dhamma, ele alcança o afastamento, (vupakasa), com a mente e o corpo. (d) Além disso, um bhikkhu é virtuoso, ele vive contido de acordo com as regras do Patimokkha, perfeito na conduta e na sua esfera de atividades, temendo a menor falha, ele treina adotando os preceitos de virtude. Igualmente, (e) um bhikkhu, tendo aprendido muito, memoriza e se recorda daquilo que aprendeu e todas aquelas coisas que são admiráveis no início, admiráveis no meio, admiráveis no final, com o significado e fraseado corretos, revelando uma vida santa que é completamente perfeita e imaculada; ele memoriza, se recorda e penetra o que aprendeu através da sabedoria. Novamente, (f) um bhikkhu, tendo estimulado a energia, continua dissipando os estados inábeis, esforçando-se com firmeza e força e não deixando de lado aquilo que é hábil. Novamente, (g) um bhikkhu tem atenção plena, com a atenção plena suprema e plena consciência, lembrando e memorizando aquilo que foi feito ou dito no passado. Da mesma maneira, (h) um bhikkhu contempla continuamente a origem e a cessação dos cinco agregados influenciados pelo apego, pensando: ‘Assim é a forma material, essa é a sua origem e essa é a sua cessação; assim é a sensação, ...; assim é a percepção, ... ; assim são as formações mentais, ... ; assim é a consciência, essa é a sua origem e essa é a sua cessação.
(2) “Quais são as oito coisas que devem ser desenvolvidas? O Nobre Caminho Óctuplo: Entendimento Correto ... Concentração Correta.
(3) “Quais são as oito coisas para serem compreendidas completamente? Oito condições mundanas (DN 33.3.1) (9).
(4) “Quais são as oito coisas que devem ser abandonadas? Oito fatores incorretos (DN 33.3.1) (1).
(5) “Quais são as oito coisas que conduzem ao declínio? Oito razões para a preguiça (DN 33.3.1) (4)
(6) “Quais são as oito coisas que conduzem à distinção? Oito razões para o estímulo da energia (DN 33.3.1) (5).
(7) “Quais são as oito coisas difíceis de serem penetradas? Oito ocasiões desafortunadas, inoportunas para viver a vida santa (DN 33.3.1) (4), omitindo (d).
(8) “Quais são as oito coisas que se deve fazer surgir? Oito pensamentos de um homem superior, (Mahapurisa-vitakka): [5] ‘Este Dhamma é (a) para aquele que é modesto, não para aquele que quer o auto-engrandecimento; (b) para aquele que está satisfeito, não para aquele que está insatisfeito; (c) para aquele que é isolado, não para aquele que é enredado; (d) para aquele cuja energia está estimulada, não para aquele que é preguiçoso; (e) para aquele cuja atenção plena está estabelecida, não para aquele cuja atenção plena é confusa; (f) para aquele cuja mente está concentrada, não para aquele cuja mente é desconcentrada; (g) para aquele dotado de sabedoria, não para aquele cuja sabedoria é fraca; (h) para aquele que desfruta da não-proliferação [conceitual], que se delicia com a não-proliferação, não para aquele que desfruta e se delicia com a proliferação.’[6]
(9) “Quais são as oito coisas para serem compreendidas diretamente? Oito estágios (DN 33.3.1) (10).
(10) “Quais são as oito coisas para serem realizadas? Oito libertações (DN 33.3.1) (11)

“Essas perfazem as únicas oitenta coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

2.2. “Nove coisas que ajudam muito, nove coisas que devem ser desenvolvidas ...

(1) “Quais são as nove coisas que ajudam muito? Nove condições com raiz na atenção com sabedoria, (yoniso-manasikara-miilaka dhamma): Quando um bhikkhu pratica a atenção com sabedoria, (a) a satisfação (pamojja) surge nele e (b) estando satisfeito, o êxtase (piti) surge e (c) sentindo o êxtase o corpo é acalmado (passaddhi) e (d) como resultado do corpo calmo ele sente felicidade (sukha) e (e) com a felicidade, a sua mente fica concentrada (samadhi) e (f) com a sua mente assim concentrada, ele compreende e vê as coisas como na verdade elas são (yathabhuta-ñanadassana); (g) vendo e compreendendo as coisas como elas na verdade são, ele se desencanta, (nibbindati); (h) desencantado ele se desapega, (virajjati), e (i) através do desapego ele é libertado (vimutti).[7]
(2) “Quais são as nove coisas que devem ser desenvolvidas? Nove fatores do esforço para a perfeita purificação, [8] (parisuddhi-padhaniyangani): (a) o fator do esforço para a purificação da virtude, (b) ... para a purificação da mente, (c) ... para a purificação do entendimento, (d) ... para a purificação da superação da dúvida, (e) ... para a purificação do conhecimento e visão do que é o caminho e do que não é o caminho, (f) ... para a purificação do conhecimento e visão da prática, (g) ... para a purificação do conhecimento e visão, (h) ... para a purificação da sabedoria, (pañña-visuddhi), (i) ... para a purificação da libertação, (vimutti-visuddhi).
(3) “Quais são as nove coisas para serem compreendidas completamente? Nove permanências dos seres (DN 33.3.2) (3).
(4) “Quais são as nove coisas que devem ser abandonadas? Nove coisas com raiz no desejo, (tanhamulakadhamma): busca, ... ganho, ... decisão, ... desejo e cobiça, ... apego, ... posse, ... mesquinharia, ... salvaguarda, e devido à salvaguarda, muitos fenômenos ruins e prejudiciais surgem – tomar clavas e armas, conflitos, brigas e disputas, linguagem ofensiva, difamação e falsidades (DN 15.9).
(5) “Quais são as nove coisas que conduzem ao declínio? Nove causas da hostilidade (DN 33.3.2) (1).
(6) “Quais são as nove coisas que conduzem à distinção? Nove formas para superar a hostilidade (DN 33.3.2) (2).
(7) “Quais são as nove coisas difíceis de serem penetradas? Nove diferenças, (nanatta): Devido à variação do elemento, (dhatu), há diversos contatos, (phassa); em virtude dos diversos contatos, há sensações diversas; devido a diversas sensações, há percepções diversas; devido a diversas percepções, há pensamentos diversos, (sankappa); devido a pensamentos diversos, há diversas aspirações, (chanda); devido às aspirações diversas, há paixões diversas, (parilaha); devido às paixões diversas, há buscas diversas, (pariyesana); devido à diversidade de buscas, há diversidade naquilo que é ganho, (labha).
(8) “Quais são as nove coisas que devem ser feitas surgir? Nove percepções, (sañña): daquilo que é repulsivo, (asubha), da morte, das impurezas no alimento, (ahare patikkula sañña), da insatisfação no mundo todo, (sabba-loke anabhirati-sañña), da impermanência, do sofrimento na impermanência, da impessoalidade no sofrimento, do abandono, (pahana), do desapego, (viraga).
(9) “Quais são as nove coisas para serem compreendidas diretamente? Nove permanências sucessivas (DN 33.3.2) (5).
(10) “Quais são as nove coisas para serem compreendidas? Nove cessações sucessivas (DN 33.3.2) (6).

“Essas perfazem as únicas noventa coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

2.3. “Dez coisas que ajudam muito, (2) dez coisas que devem ser desenvolvidas, (3) dez coisas para serem compreendidas completamente, (4) dez coisas que devem ser abandonadas, (5) dez coisas que conduzem ao declínio, (6) dez coisas que conduzem à distinção, (7) dez coisas difíceis de serem penetradas, (8) dez coisas que devem ser feitas surgir, (9) dez coisas para serem compreendidas diretamente, e (10) dez coisas para serem realizadas.

(1) “Quais são as dez coisas que ajudam muito? Dez coisas que proporcionam proteção (DN 33.3.3) (1).
(2) “Quais são as dez coisas que devem ser desenvolvidas? Dez objetos para alcançar a absorção (DN 33.3.3) (2).
(3) “Quais são as dez coisas para serem compreendidas completamente? Dez bases dos sentidos, (ayatanani): olho e forma, ouvido e som, nariz e aroma, língua e sabor, corpo e objeto tangível.
(4) “Quais são as dez coisas que devem ser abandonadas? Oito fatores incorretos, (DN 33.3.1) (1) mais o conhecimento incorreto, (miccha-ñana) e libertação incorreta, (miccha-vimutti).
(5) “Quais são as dez coisas que conduzem ao declínio? Dez tipos de conduta inábil (DN 33.3.3) (3)
(6) “Quais são as dez coisas que conduzem à distinção? Dez tipos de conduta hábil (DN 33.3.3) (4).
(7) “Quais são as dez coisas difíceis de serem penetradas? Dez nobres inclinações (DN 33.3.3) (5).
(8) “Quais são as dez coisas que se deve fazer surgir? Nove percepções, (igual ao verso 2.2 (8) acima) mais a percepção da cessação, (nirodha-sañña).
(9) “Quais são as dez coisas para serem compreendidas diretamente? Dez causas para a destruição, (nijjara-vatthuni): Através do entendimento correto o entendimento incorreto é destruído e quaisquer estados que surjam tendo o entendimento incorreto como condição também são destruídos. E através do entendimento correto muitos estados hábeis são desenvolvidos e aperfeiçoados. Através do pensamento correto o pensamento incorreto é destruído ... Através da linguagem correta a linguagem incorreta é destruída ... Através da ação correta a ação incorreta é destruída ... Através do modo de vida correto o modo de vida incorreto é destruído ... Através do esforço correto o esforço incorreto é destruído ... Através da atenção plena correta a atenção plena incorreta é destruída ... Através da concentração correta a concentração incorreta é destruída ... Através do conhecimento correto [9] o conhecimento incorreto é destruído ... Através da libertação correta a libertação incorreta é destruída e quaisquer estados que surjam, tendo a libertação incorreta como condição, também serão destruídos. E através da libertação correta muitos estados hábeis são desenvolvidos e aperfeiçoados
(10) “Quais são as dez coisas para serem compreendidas? Dez qualidades daquele que está além do treinamento (DN 33.3.3) (6).

“Essas perfazem as únicas cem coisas que são reais e verdadeiras, completa e perfeitamente compreendidas pelo Tathagata.”

Isso foi o que disse o Venerável Sariputta. Os bhikkhus ficaram satisfeitos e contentes com as palavras do Venerável Sariputta.

 


 

Notas:

[1] Em grande parte este sutta é um rearranjo, sob dez títulos, do material encontrado no DN 33. [Retorna]

[A] “As únicas coisas que são reais e verdadeiras” = bhūta taccha tatha. [Retorna]

[2] “Rodas” com o sentido de meios para o progresso (DA). [Retorna]

[3] A mente ao emergir do jhana. [Retorna]

[4] De acordo com o Abhidhamma, as ações volitivas, (kamma), podem ser ‘estimuladas’ ou ‘espontâneas’. [Retorna]

[5] Os detalhes podem ser encontrados no AN VIII.30. [Retorna]

[6] Para maiores detalhes quanto ao significado de ‘proliferação’, (papanca), veja o MN 18. [Retorna]

[7] Veja também o SN XII.23. [Retorna].

[8] Os sete primeiros constituem o esboço do Visudhimagga que por sua vez está baseado no MN 24.[Retorna]

[9] Igual ao DN 33.3.3 (6).[Retorna]

 

 

Revisado: 22 Julho 2006

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.