Digha Nikaya 30

Lakkhana Sutta

As Marcas de um Grande Homem

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


1.1. Assim ouvi. Em certa ocasião, o Abençoado estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika. “Bhikkhus!” ele disse, e os monges responderam: “Venerável Senhor.” O Abençoado disse: “Bhikkhus, há essas trinta e duas marcas peculiares a um Grande Homem, [1] e o grande homem que as possui tem apenas dois possíveis destinos, nenhum outro. Se ele viver a vida em família, ele se tornará um Monarca que gira a roda, um monarca justo que governará de acordo com o Dhamma; conquistador dos quatro pontos cardeais, que estabelecerá a segurança no seu reino e que possuirá os sete tesouros. Que são: a Roda Preciosa, o Elefante Precioso, o Cavalo Precioso, a Jóia Preciosa, a Mulher Preciosa, o Tesoureiro Precioso e como sétimo o Conselheiro Precioso. Ele terá mais de mil filhos, que serão corajosos e heróicos e que aniquilarão os exércitos inimigos. Ele governará, tendo conquistado esta terra circundada pelo mar, sem bastão ou espada, através do Dhamma. Mas se ele deixar a vida em família e seguir a vida santa, então ele se tornará um arahant, um Buda perfeitamente iluminado, aquele que remove o véu do mundo.

1.2. “E quais são essas trinta e duas marcas? (1) Ele tem os pés chatos. (2) Nas solas dos seus pés há rodas com mil raios e cubo, toda completa. (3) Ele tem os calcanhares protuberantes. (4) Os dedos dos pés e das mãos são longos. [2] (5) As mãos e os pés são suaves e delicados. (6) As mãos e os pés são reticulados. (7) Os seus tornozelos são alongados. (8) As suas pernas são como as de um antílope. (9) Quando ele fica em pé sem se inclinar, as palmas de ambas mãos tocam os joelhos. (10) A sua genitália está contida numa bainha. (11) A sua complexão é brilhante, de cor dourada. (12) A sua pele é sutil e devido à sutileza da sua pele, a poeira e a sujeira não aderem ao seu corpo. (13) Os pelos do corpo crescem separadamente, cada um no seu poro. (14) As pontas dos pelos do corpo são curvadas para cima; a cor dos pelos é preta azulada, enrolados para a direita. (15) Ele tem os membros retos de um Brahma. (16) Ele tem sete convexidades. (17) Ele tem o torso de um leão. (18) Não há um sulco entre os ombros. (19) Ele tem as proporções de uma figueira-de-bengala; a envergadura dos seus braços equivale à altura do seu corpo, e a altura do seu corpo equivale à envergadura dos seus braços. (20) O seu pescoço e ombros são nivelados. (21) O seu paladar é excepcionalmente apurado. (22) Ele tem a mandíbula de um leão. (23) Ele tem quarenta dentes. (24) Os seus dentes são nivelados. (25) Os seus dentes não têm espaços. (26) Os seus dentes são bem brancos. (27) Ele tem uma língua muito grande. (28) Ele tem uma voz divina, como o gorjeio de um pássaro. (29) Os seus olhos são de um azul profundo. (30) Ele tem os cílios de um touro. (31) Ele tem pelos no espaço entre as sobrancelhas e eles são brancos com o brilho do algodão macio. (32) A sua cabeça tem o formato de um turbante. [3]

1.3. “Essas, bhikkhus, são as trinta e duas marcas peculiares a um Grande Homem e o grande homem que as possui tem apenas dois possíveis destinos, nenhum outro ... E os sábios de outras seitas conhecem essas trinta e duas marcas, mas eles não sabem qual é o kamma para obtê-las.

1.4. “Bhikkhus, em qualquer vida passada, existência passada, em que o Tathagata tenha nascido como um ser humano, ele realizou ações importantes com bons propósitos, inabalável na conduta hábil com o corpo, linguagem e mente, generoso, virtuoso, observando o uposatha, honrando os pais, contemplativos, Brâmanes e o cabeça do clã; ele praticou outras ações meritórias; por ter realizado esse kamma, acumulando-o em abundância e profusão, com a dissolução do corpo, após a morte, ele renasceu num destino feliz, no paraíso, onde, em relação aos outros devas, os seus predicados eram superiores em dez aspectos: tempo de vida no paraíso, beleza, felicidade, esplendor, influência, nas suas visões, sons, aromas, sabores e contatos paradisíacos. Falecendo ali e renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (1) Ele tem os pés chatos, de maneira que ele coloca o pé por igual no chão, levanta o pé por igual e toca o chão com toda a sola do pé por igual.

1.5. “Sendo dotado com essa marca, se viver a vida em família, ele se tornará um Monarca que gira a roda, um monarca justo que irá governar ... sem bastão ou espada, através do Dhamma. Como um Monarca que gira a roda, qual fruto ele obtém? Ele não poderá ser impedido por nenhum inimigo com má intenção. Esse é o fruto dele como um Monarca que gira a roda. Se ele deixar a vida em família e seguir a vida santa, ..., então ele se tornará um Buda perfeitamente iluminado, ... Como tal, qual fruto ele obtém? Ele não poderá ser impedido por nenhum inimigo ou adversário interno ou externo, pela cobiça, raiva ou delusão, nem por nenhum contemplativo ou Brâmane, nenhum deva, mara ou Brahma, ou qualquer ser no mundo. Esse é o fruto dele como um Buda.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.6. Com relação a isso foi dito:

“Verdadeiro, íntegro, domesticado e tranqüilizado,
puro e virtuoso, observando o uposatha,
generoso, inofensivo, em paz
ele assumiu essa tremenda tarefa,
e na sua conclusão renasceu no paraíso,
uma permanência feliz e alegre.
Renascendo entre os humanos,
os seus pés chatos tocaram o solo.
Videntes reunidos então declararam:
‘Aquele cuja sola do pé toca por igual o solo
nenhum obstáculo irá obstruir o seu caminho,
se viverá a vida em família,
ou deixará o mundo para trás:
isso a marca não evidencia.
Se for um leigo, nenhum adversário,
nenhum inimigo irá impedí-lo.
Não há poder humano que possa
privá-lo do seu fruto de kamma.
Ou se a sua escolha for a vida santa:
propenso à renúncia e com a
visão clara – ele será o líder de homens,
sem igual, nunca mais irá renascer:
essa é a sua lei.’”

1.7. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata, ao nascer como um ser humano, viveu pela felicidade de muitos, um dissipador do medo e terror, proporcionando abrigo e proteção de acordo com a lei, atendendo todas as necessidades e por ter realizado esse kamma, ... ele renasceu num destino feliz, no paraíso ... Falecendo ali e renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (2) Nas solas dos seus pés há rodas com mil raios e cubo, toda completa.

1.8. “Sendo dotado com essa marca, se viver a vida em família ele se tornará um Monarca que gira a roda, um monarca justo ... Como um Monarca que gira a roda, qual fruto ele obtém? Ele tem um grande séqüito: ele estará cercado por Brâmanes chefes de família, cidadãos e aldeãos, tesoureiros, guardas, porteiros, ministros, reis tributários, arrendatários e pajens. Esse é o fruto dele como um Monarca que gira a roda. Se ele deixar a vida em família e seguir a vida santa, ..., então ele se tornará um Buda perfeitamente iluminado, ... Como tal, qual fruto ele obtém? Ele tem um grande séqüito: ele estará cercado por bhikkhus, bhikkhunis, discípulos leigos homens e mulheres, devas e humanos, asuras, nagas e gandhabbas. Esse é o fruto dele como um Buda.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.9. Com relação a isso foi dito:

“Em tempos passados, em vidas passadas
como homem, fazendo o bem para muitos,
dissipando o medo e o terror,
ávido em proteger e defender,
ele assumiu essa tremenda tarefa,
e no final da vida ele renasceu no paraíso,
uma permanência feliz e alegre.
Renascendo entre os humanos,
os seus pés têm a marca das rodas,
cada uma com mil raios, completa.
Videntes reunidos então declararam,
vendo aquelas muitas marcas de mérito:
‘Grande será o seu séqüito,
todos os seus inimigos serão subjugados.
Isso a marca evidencia com clareza.
Se ele não renunciar ao mundo,
ele irá girar a Roda e governar a terra.
Os nobres serão os seus vassalos,
todos sob seu poder.
Mas se a sua escolha for a vida santa:
propenso à renúncia e com a
visão clara - homens e devas
asuras, sakkas, rakkhasas,
gandhabbas, nagas, garudas,
bestas com quatro patas também o servirão,
sem rival, entre devas e humanos,
venerado por todos, glorioso.’”

1.10. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata tendo nascido como um ser humano, abandonou tirar a vida de outros seres, se absteve de tirar a vida de outros seres; permaneceu com a sua vara e arma postas de lado, bondoso e gentil, compassivo com todos os seres vivos, por ter realizado esse kamma, ... ele renasceu num destino feliz, no paraíso ... Falecendo ali e renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas três marcas de um Grande Homem: (3) Ele tem os calcanhares protuberantes, (4) Os dedos dos pés e das mãos são longos, e (15) Ele tem os membros retos de um Brahma.

1.11. “Sendo dotado com essas marcas, se viver a vida em família, ... Como um Monarca que gira a roda, qual fruto ele obtém? Ele tem vida longa, duradoura, alcançando uma idade madura e durante esse tempo nenhum inimigo humano será capaz de matá-lo ... Como um Buda, qual fruto ele obtém? Ele tem vida longa ... nenhum inimigo, quer seja um contemplativo ou Brâmane, um deva, mara ou Brahma, ou qualquer um no mundo será capaz de matá-lo. Esse é o fruto dele como um Buda.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.12. Com relação a isso foi dito:

“Conhecendo bem o terror da morte,
daqueles seres que ele se absteve de matar.
Essa bondade frutificou com o nascimento no paraíso,
onde ele gozou os frutos do seu mérito.
Renascendo entre os humanos
portando essas três marcas:
os seus calcanhares são cheios e muito longos,
como Brahma, os seus membros são retos,
belo de ser visto, membros bem formados,
os dedos macios, suaves e longos.
Através dessas três marcas de excelência
sabe-se que esse jovem terá vida longa.
‘Longa será a vida em família
ainda mais longa como contemplativo
praticando os nobres poderes:
assim indicam as três marcas.’”

1.13. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata foi um doador de finas comidas, deliciosas e saborosas, firmes ou macias, e de bebidas, por ter realizado esse kamma, ... ele renasceu num destino feliz, no paraíso ... Falecendo ali e renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (16) Ele tem sete convexidades, em ambas as mãos, ambos os pés, ambos os ombros e no tronco.

1.14 “Sendo dotado com essa marca, ... Como um Monarca que gira a roda, qual fruto ele obtém? Ele recebe finas comidas e bebidas ... Como um Buda,. da mesma forma.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.15. Com relação a isso foi dito:

“Doador de deliciosas comidas
e as bebidas mais finas.
Essa bondade lhe trouxe um feliz renascimento,
e durante muito tempo ele permaneceu no paraíso.
Renascendo entre os humanos,
ele porta as sete convexidades.
Videntes reunidos então declararam,
ele irá desfrutar de fina comida e bebida:
não somente na vida em família -
pois embora ele renuncie ao mundo
e corte os grilhões da vida mundana,
ainda assim ele receberá comida deliciosa!”

1.16. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata foi amado devido às quatro condições para a simpatia: generosidade, linguagem agradável, conduta benéfica e imparcialidade, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas duas marcas de um Grande Homem: (5) As mãos e os pés são suaves e delicados, e (6) As mãos e os pés são reticulados.

1.17. “Sendo dotado com essas marcas, ... Como um Monarca que gira a roda, qual fruto ele obtém? Todos no seu séquito são amigáveis: Brâmanes chefes de família, cidadãos e aldeãos, tesoureiros, guardas, porteiros, ... e pajens. Como um Buda, qual fruto ele obtém? Todos no seu séquito são amigáveis: bhikkhus, bhikkhunis, discípulos leigos homens e mulheres, devas e humanos, asuras, nagas e gandhabbas. Esse é o fruto dele como um Buda.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.18. Com relação a isso foi dito:

“Através da generosidade e da ajuda,
linguagem agradável e justiça
que beneficia a todos,
com a morte renasceu no paraíso.
Renascendo entre os humanos,
com as mãos e os pés suaves e delicados,
com as mãos e os pés reticulados.
Belo de ser visto:
assim estava dotado o bebê.
‘Ele será um Monarca que gira a roda,
cercado por um grupo de fiéis.
Com a linguagem justa, praticando ações hábeis,
a conduta virtuosa e sábia.
Mas se ele desprezar os prazeres dos sentidos,
um Conquistador, ele ensinará o caminho,
e, deliciando-se com as suas palavras,
todos aqueles que o ouvirem irão segui-lo
no caminho do Dhamma!’”

1.19. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata se tornou um orador do Dhamma, explicando para as pessoas aquilo que conduz ao bem-estar delas, portador da felicidade e bem-estar dos seres, provedor do Dhamma, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas duas marcas de um Grande Homem: (7) Os seus tornozelos são alongados, e (14) As pontas dos pelos do corpo são curvadas para cima; a cor dos pelos é preta azulada, enrolados para a direita.

1.20. “Sendo dotado com essas marcas, ... Como um Monarca que gira a roda, qual fruto ele obtém? Ele será o chefe, o principal, o mais elevado, supremo entre aqueles que não renunciaram [4]... Como um Buda, ele será o chefe, o principal, o mais elevado, supremo entre todos os seres. Esse é o fruto dele como um Buda.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.21. Com relação a isso foi dito:

“Certa vez ele falou sobre tudo que é bom,
discursando em voz alta para toda a humanidade,
provendo bênçãos a todos os seres,
concessor liberal da lei.
Por tal conduta e ações,
o nascimento no paraíso foi a sua recompensa.
Renascendo entre os humanos, com duas marcas,
marcas de felicidade suprema:
as pontas dos pelos do corpo curvadas para cima,
os tornozelos alongados,
bem formado e belo.
‘Se ele viver a vida em família,
as maiores riquezas serão suas,
nenhum outro mais grandioso será encontrado:
em Jambudipa como Senhor ele reinará.
Se, com força suprema, abandonar o mundo,
ele será o chefe dos seres,
nenhum outro mais grandioso será encontrado:
como Senhor do mundo ele reinará.’”

1.22. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata se tornou um habilidoso representante de uma arte, uma ciência, um modo de conduta ou ação, pensando: ‘O que posso aprender rapidamente, praticar com rapidez, sem desgaste desnecessários?’ ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (8) As suas pernas são como as de um antílope.

1.23. “Sendo dotado com essa marca, ... como um Monarca que gira a roda, ele rapidamente adquire todas as coisas compatíveis com um Monarca que gira a roda, as coisas que correspondem a um Monarca que gira a roda, que o deliciam e que são apropriadas. Como um Buda, da mesma forma.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.24. Com relação a isso foi dito:

“Artes e ciências, conduta e ações:
‘Que eu aprenda com facilidade’, ele diz.
Habilidades que não ferem a nenhum ser vivo
rapidamente ele aprendeu, com pouco esforço.
Através dessas ações, hábeis e doces,
belos e graciosos serão os seus membros,
da pele macia os pelos ficam em pé.
As pernas como de um antílope:
riqueza, dizem, em breve será sua.
‘Cada poro lhe trará fortuna,
se ele permanecer na vida em família.
Mas se ele preferir abandonar o mundo
decidido pela renúncia,
com a visão clara, rapidamente, ele irá encontrar todas as coisas
apropriadas a esse caminho sublime.’”

1.25. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata foi até um contemplativo ou Brâmane e perguntou: ‘Venerável senhor, o que é benéfico e o que é prejudicial, o que é criticável e o que é isento de crítica, o que deve ser seguido e o que não deve ser seguido e qual ação irá no longo prazo conduzir ao dano e sofrimento e qual irá conduzir ao bem-estar e felicidade?’ [5] ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (12) A sua pele é sutil e devido à sutileza da sua pele, a poeira e a sujeira não aderem ao seu corpo.

1.26. “Sendo dotado com essa marca, ... como um Monarca que gira a roda, ele será muito sábio e entre aqueles que não renunciaram, não haverá ninguém igual ou superior em sabedoria ... Como um Buda, ele possuirá grande sabedoria, ampla sabedoria, jubilosa sabedoria, ágil sabedoria, aguçada sabedoria, penetrante sabedoria,[6] e entre todos os seres não haverá ninguém igual ou superior em sabedoria.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.27. Com relação a isso foi dito:

“No passado, em vidas passadas,
ávido por saber, um investigador,
ele acompanhou os contemplativos:
ansioso por aprender a verdade, ouvia com atenção.
Dava ouvidos às palavras dos outros sobre o objetivo da vida.
Como fruto, renascendo entre os humanos
a sua pele era macia e suave.
Videntes reunidos então declararam:
‘Ele discernirá significados sutis,
se não abandonar o mundo,
ele será um monarca que gira a roda
sábio em discernir todas as sutilezas,
igualado ou superado por ninguém.
Mas se ele preferir abandonar o mundo
decidido pela renúncia,
a sua sabedoria será suprema,
perfeita e completa iluminação.’”

1.28. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata viveu sem raiva, perfeitamente calmo, e mesmo depois que muitas palavras haviam sido ditas não abusava ou ficava agitado, ou furioso, ou agressivo, não demonstrando raiva, ódio ou ressentimento, mas tinha o hábito de presentear finos tapetes macios, mantos, linhos finos, algodão, seda e artigos de lã, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (11) A sua complexão é brilhante, de cor dourada.

1.29. “Sendo dotado com essa marca, ... como um Monarca que gira a roda ele irá receber essas coisas finas, ... Como um Buda, da mesma forma.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.30. Com relação a isso foi dito:

“Com a boa vontade estabelecida ele deu
roupas macias e finas como dádivas.
Em vidas passadas ele assim deu
como um deus da chuva que faz chover.
Essa bondade lhe proporcionou um nascimento no paraíso
onde ele desfrutou dos frutos do seu mérito.
Tendo passado aquele tempo, como o ouro bem trabalhado
é o seu corpo, mais belo que todos
os grandes deuses como Indra.
‘Se viver a vida em família,
ele irá regular este mundo malvado,
e, por aquilo que fez, receberá
roupas da mais fina qualidade,
tapetes e colchas apenas os melhores.
Mas se ele preferir abandonar o mundo,
esse tipo de coisas ele também irá receber:
os frutos da virtude não são perdidos.’”

1.31. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata reunificou aqueles há muito tempo perdidos com os seus parentes, amigos e companheiros, que deles sentiam falta, reunificou mãe com filho e filho com mãe, pai com filho e filho com pai, irmão com irmão, irmão com irmã e irmã com irmão, fazendo com que se unam com grande alegria, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (10) A sua genitália está contida numa bainha.

1.32. “Sendo dotado com essa marca, ... como um Monarca que gira a roda ele terá muitos filhos, mais de mil filhos, que serão corajosos e heróicos e que aniquilarão os exércitos hostis. Como um Buda, da mesma forma.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

1.33. Com relação a isso foi dito:

“No passado, em vidas passadas,
amigos e parentes há muito perdidos,
companheiros também, ele reunificou,
assim unindo-os com alegria.
Essa boa ação frutificou no nascimento no paraíso,
alegria e felicidade a sua recompensa.
Renascendo entre os humanos,
com a genitália contida numa bainha.
‘Muitos filhos ele terá,
mais de mil filhos,
corajosos e heróicos, conquistadores,
e filiais também, a alegria de um leigo.
Mas se ele abandonar o mundo, ainda mais
filhos ele terá:
aqueles que dependem dos seus ensinamentos.
E assim, renunciando ou não, essa marca
anuncia esses frutos.’”

[Fim da primeira recitação]

2.1. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata, considerando o bem-estar das pessoas, soube a natureza de cada um, conheceu ele mesmo cada um e soube como eles diferiam: ‘Este aqui merece tal e qual, aquele lá merece tal e qual’, assim ele os distinguia, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas duas marcas de um Grande Homem: (19) Ele tem as proporções de uma figueira-de-bengala, a envergadura dos seus braços equivale à altura do seu corpo e a altura do seu corpo equivale à envergadura dos seus braços e (9) Quando ele fica em pé sem se inclinar, as palmas de ambas as mãos tocam os joelhos.

2.2. “Sendo dotado com essas marcas, ... como um Monarca que gira a roda, ele será próspero, com muita riqueza e recursos, tendo um tesouro cheio de ouro e prata, todos os tipos de bens e os celeiros estarão cheios de grãos. Como um Buda, ele será rico e próspero e estes serão os seus tesouros: fé, virtude, vergonha de cometer transgressões, temor de cometer transgressões, [7] aprendizado, renúncia e sabedoria.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.3. Com relação a isso foi dito:

“Ponderando, observando,
buscando o bem-estar de todos,
vendo: ‘Este merece isto,
aquele merece aquilo’, ele os julgava.
Agora ele pode sem se curvar
tocar os joelhos com ambas as mãos,
com altura e envergadura igual a uma árvore,
esse é o fruto de ações virtuosas.
Aqueles que conhecem as marcas e sinais,
expertos nessa arte declaram:
‘As coisas apropriadas na vida em família
como criança ele terá em abundância,
muita riqueza mundana como senhor do mundo,
próprio para um leigo, será sua.
Mas se ele abandonar o mundo,
ele obterá a riqueza insuperável.’”

2.4. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata desejando o bem-estar de muitos, o seu benefício, conforto, libertação do cativeiro, pensando como eles poderiam incrementar a sua fé, virtude, aprendizado, renúncia, no Dhamma, na sabedoria, nas riquezas e posses, nos bípedes e quadrúpedes, nas esposas e filhos, nos criados, empregados e ajudantes, nos parentes, amigos e companheiros, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas três marcas de um Grande Homem: (17) Ele tem o torso de um leão, (18) Não há um sulco entre os ombros, e (20) O seu pescoço e ombros são nivelados.

2.5. “Sendo dotado com essas marcas, ... como um Monarca que gira a roda, ele não perderá nada: riquezas e posses, bípedes e quadrúpedes, esposas e filhos, sem perder nada ele obterá sucesso em tudo. Como um Buda, ele não perderá nada: fé, virtude, aprendizado, renúncia ou sabedoria – sem perder nada ele obterá sucesso em tudo.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.6. Com relação a isso foi dito:

“Fé, virtude, aprendizado, sabedoria,
contenção e justiça, muitas outras coisas boas,
riqueza, posses, esposas e filhos,
rebanhos, parentes, amigos e companheiros,
força, beleza e felicidade:
essas coisas ele desejou para os outros
que eles mantivessem-nas sem perdas.
‘Assim, com o torso de um leão, ele nasceu,
sem um sulco entre os ombros, e com o pescoço e ombros nivelados.
Com kamma passado bem guardado,
essas marcas evitaram todas as perdas,
na vida em família ele tem riqueza de posses,
esposas e filhos e quadrúpedes,
ou se renunciar, nada possuindo,
a perfeita iluminação será sua,
onde não há deficiências.’”

2.7. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata evitou ferir os seres com a mão, pedras, pau ou espada, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (21) O seu paladar é excepcionalmente apurado. Qualquer coisa que ele toque com a ponta da língua ele experimenta na sua garganta e o sabor se dispersa por toda parte.

2.8. “Sendo dotado com essa marca, ... como um Monarca que gira a roda, ele terá poucas aflições ou enfermidades, a sua digestão será boa, nem demasiado fria nem demasiado quente. Como um Buda, da mesma forma, ele tolera e se mantém equilibrado ante o esforço.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.9. Com relação a isso foi dito:

“Não ferindo ninguém, com a mão, paus ou pedras,
não matando ninguém com a espada,
inofensivo, sem ameaçar ninguém com o cativeiro,
com o nascimento feliz ele obteve os frutos
dessas ações hábeis, e depois renascendo,
com o paladar bem estabelecido.
Aqueles que conhecem as marcas declaram:
‘Muita felicidade será o seu destino
como leigo ou contemplativo:
esse é o significado dessa marca.’”

2.10. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata estava acostumado a olhar para as pessoas sem desconfiança, soslaio ou dissimulação, mas diretamente, aberto e objetivo, com o olhar gentil, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas duas marcas de um Grande Homem: (29) Os seus olhos são de um azul profundo, e (30) Ele tem os cílios de um touro.

2.11. “Sendo dotado com essas marcas, ... como um Monarca que gira a roda, ele será visto com amor pelas pessoas comuns; ele será popular e amado pelos Brâmanes chefes de família, cidadãos e aldeãos, tesoureiros, guardas, porteiros, ... pagens. Como um Buda, ele será popular e amado pelos bhikkhus, bhikkhunis, discípulos leigos homens e mulheres, devas e humanos, asuras, nagas e gandhabbas.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.12. Com relação a isso foi dito:

“Sem olhar com desconfiança, de soslaio ou
desviando o olhar, ele olha
para as pessoas direto e franco
com sinceridade e gentileza nos olhos.
Renascendo num lugar feliz, ele ali
goza os frutos das suas boas ações.
Renascendo aqui, os seus cílios
são iguais aos de um touro; os olhos azuis.
Aqueles que conhecem essas coisas declaram,
(interpretando essas marcas com habilidade),
‘Uma criança com olhos tão finos será
alguém admirado com alegria.
Se for um leigo, ele assim
agradará o olhar de todos.
Se for um contemplativo,
então, será amado como curandeiro das aflições de todos.’”

2.13. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata se tornou o mais hábil no comportamento, um líder na ação correta com o corpo, linguagem e mente, em generosidade, virtude, conduta, observando o uposatha, honrando os pais, contemplativos, Brâmanes e o cabeça do clã, e praticando outras ações meritórias, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (32) A sua cabeça tem o formato de um turbante.

2.14. “Sendo dotado com essa marca, ... como um Monarca que gira a roda, ele receberá a lealdade dos chefes de família Brâmanes, cidadãos ... Como um Buda, ele receberá a lealdade de monges, monjas, ... Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.15. Com relação a isso foi dito:

“Ele liderava o modo de conduta,
decidido a viver de modo correto.
Assim ele tinha a lealdade de todos,
e a sua recompensa foi o paraíso.
Depois de gozar essa recompensa,
ele renasceu com a cabeça com o formato de um turbante.
Aqueles que conhecem as marcas declaram:
‘Ele será o primeiro entre os homens,
todos irão servi-lo nesta vida
tal qual ocorreu antes.
Se for um nobre com riqueza,
obterá o serviço do seu povo,
mas se ele deixar este mundo, este homem
será um mestre da doutrina,
e todos virão para ouvir
o ensinamento que ele proclamar.’”

2.16. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata rejeitou a linguagem mentirosa, ele se absteve das mentiras e falou só a verdade, dedicado à verdade, confiável, consistente, sem enganar o mundo, ... renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas duas marcas de um Grande Homem: (13) Os pelos do corpo crescem separadamente, cada um no seu poro, e (31) Ele tem pelos no espaço entre as sobrancelhas e eles são brancos com o brilho do algodão macio.

2.17. “Sendo dotado com essas marcas, ... como um Monarca que gira a roda, ele será obedecido pelo Brâmanes chefes de família ... Como um Buda, ele será obedecido pelos monges ...” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.18. Com relação a isso foi dito:

“Fiel à sua promessa em vidas passadas,
com a linguagem sincera, ele evita todas as mentiras.
Não quebra a sua palavra com ninguém,
ele agrada com a verdade e honestidade.
Brancos e brilhantes macios como o algodão
os pelos entre as sobrancelhas,
e em cada poro não crescem dois pelos,
mas estão sempre separados.
Videntes reunidos então declararam,
(interpretando essas marcas com habilidade):
‘Com essa marca entre as sobrancelhas,
e com esses pelos, ele será obedecido
por todos, e se for leigo,
respeitá-lo-ão por suas ações passadas;
se renunciar, sem posses,
como um Buda será venerado.’”

2.19. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata rejeitou a linguagem maliciosa, o que ele ouvia aqui, ele não contava ali para separar aquelas pessoas destas. O que ele ouvia lá, ele não contava aqui para separar estas pessoas daquelas. Assim, ele reconciliava aquelas pessoas que estavam divididas, promovia a amizade, ele amava a concórdia, se deliciava com a concórdia, desfrutava da concórdia, dizia coisas que criavam a concórdia. Renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas duas marcas de um Grande Homem: (23) Ele tem quarenta dentes, e (25) Os seus dentes não têm espaços.

2.20. “Sendo dotado com essas marcas, ... como um Monarca que gira a roda, os seus súditos: Brâmanes chefes de família, cidadãos ... não enfrentarão divisões entre si. Da mesma forma como um Buda, os seus discípulos: bhikkhus, bhikkhunis, ... , não enfrentarão divisões entre si.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.21. Com relação a isso foi dito:

“Ele não dizia palavras mal-intencionadas
que causassem ou incrementassem a discórdia,
prolongando conflitos e amargor,
conduzindo ao fim de boas amizades.
As suas palavras conduziam à paz
re-estabelecendo laços partidos.
Ele usou o seu poder para dar um fim a todos os conflitos,
na harmonia o seu prazer.
Renasceu num destino feliz, lá
desfrutando os frutos das suas boas ações.
Renascendo aqui, os seus dentes não têm espaços,
quarenta dentes, firmes.
‘Se for um nobre com riqueza,
os seus súditos serão amáveis;
se for um contemplativo, livre das impurezas,
bem estabelecidos serão os seus discípulos.’”

2.22. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata rejeitou a linguagem grosseira, ele se absteve da linguagem grosseira. Ele dizia palavras que eram gentis, que agradavam aos ouvidos, carinhosas, que penetravam o coração, que eram corteses, desejadas por muitos e que agradavam a muitos. Renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas duas marcas de um Grande Homem: (27) Ele tem uma língua muito grande, e (28) Ele tem uma voz divina, como o gorjeio de um pássaro.

2.23. “Sendo dotado com essas marcas, ... como um Monarca que gira a roda, a sua voz será persuasiva: todos os Brâmanes chefes de família, cidadãos ... darão ouvidos às suas palavras. Como um Buda, também, ele terá a voz persuasiva: todos os bhikkhus, bhikkhunis, ... darão ouvidos às suas palavras.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.24. Com relação a isso foi dito:

“Ele não empregava linguagem abusiva,
grosseira e dolorosa, que fere as pessoas,
a sua voz era gentil, amável e doce,
que agradava os corações das pessoas,
deleitando os seus ouvidos.
Renasceu num destino feliz, lá
desfrutando os frutos das suas boas ações.
Saboreando essa recompensa,
dotado com uma voz divina, aqui
ele renasceu com uma língua muito grande.
‘E aquilo que ele disser terá muito impacto.
Se for leigo, ele muito prosperará.
Mas se esse homem abandonar o mundo,
as pessoas levarão a sério as suas palavras,
e muito se beneficiarão com tudo que ele disser.’”

2.25. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata rejeitou a linguagem frívola, ele se absteve da linguagem frívola. Ele falava na hora certa, dizia o que é fato, aquilo que é bom, falava de acordo com o Dhamma e a Disciplina; nas horas adequadas ele dizia palavras que são úteis, racionais, moderadas e que traziam benefício. Renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu esta marca de um Grande Homem: (22) Ele tem a mandíbula de um leão.

2.26. “Sendo dotado com essa marca, ... como um Monarca que gira a roda, ele não poderá ser vencido por nenhum inimigo ou oponente humano. Como um Buda, ele não poderá ser vencido por nenhum inimigo ou coisa hostil interna ou externa, pela cobiça, raiva ou delusão, por qualquer contemplativo ou Brâmane, deva, mara, Brahma ou qualquer coisa no mundo.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.27. Com relação a isso foi dito:

“Nenhuma conversa frívola ou tolice,
fruto da distração.
As coisas prejudiciais ele deixou de lado.
Falando apenas pelo bem dos homens.
E assim, ao falecer, o paraíso foi o seu destino
para gozar o fruto das ações bem feitas.
Renascendo aqui mais uma vez,
com a mandíbula de um leão.
‘Ele será um rei invencível,
senhor de homens, poderoso,
como o Senhor do Trinta e Três,
como o supremo dos devas,
gandhabbas, sakkas, asuras
em vão se esforçarão para derrotá-lo.
Como leigo ele estará presente
em todos os quadrantes do mundo.’”

2.28. “Bhikkhus, em qualquer vida passada ... o Tathagata rejeitou o modo de vida incorreto, viveu de acordo com o modo de vida correto, abstendo-se de lidar com balanças falsas, metais falsos, falsas medidas, do suborno, burla e fraude. Ele se absteve de mutilar, executar, aprisionar, roubar, pilhar e violentar. Renascendo aqui no mundo humano, ele adquiriu estas duas marcas de um Grande Homem: (24) Os seus dentes são nivelados e (26) Os seus dentes são bem brancos.

2.29. “Sendo dotado com essas marcas, se ele viver a vida em família, ele se tornará um Monarca que gira a roda, um monarca justo ... Como um Monarca que gira a roda, os seus súditos ... Brâmanes chefes de família ... serão puros.

2.30. “Mas se ele deixar a vida em família e seguir a vida santa, ... Como um Buda, os seus discípulos ... bhikkhus, bhikkhunis ... serão puros.” Isso foi o que o Abençoado declarou.

2.31. Com relação a isso foi dito:

“O modo de vida incorreto ele abandonou
e assumiu um modo puro e correto.
As coisas prejudiciais foram deixadas de lado,
agindo apenas pelo benefício de todos.
O paraíso lhe trouxe doce recompensa
pelas ações realizadas, as quais são elogiadas
por aqueles que são hábeis e sábios:
ele comparte das delícias e alegrias
como o Senhor do Trinta e Três.
Renascendo no mundo humano,
como resíduo do fruto da virtude,
os seus dentes são nivelados,
puros e brancos também.
Videntes reunidos então declararam,
ele será o mais sábio da humanidade,
‘e puros serão os discípulos,
daquele cujos dentes nivelados brilham como penas.
Como rei, os seus súditos o
revenciarão ao seu comando.
Não oprimidos pela força, eles se
esforçarão pelo bem-estar e felicidade.
Mas se ele viver como contemplativo,
livre daquilo que é inábil, a sede saciada,
removendo o véu; com a dor
e a fadiga eliminadas, ele verá
este mundo e o além, e lá ele verá
leigos e renunciantes que se congregam
para por de lado, como ele ensinou,
aquelas coisas impuras e prejudiciais que ele censura.
Assim, os seus discípulos são puros,
pois ele elimina dos seus corações
os estados inábeis e corruptos.’”

 


 

Notas:

[1] Mahapurisa. Apesar de ser um “Grande Homem” dotado com essas qualidades especiais, o Buda, por ter nascido no mundo, é um ser humano. [Retorna]

[2] Representado na iconografia com os dedos dos pés e das mãos com o mesmo comprimento. [Retorna]

[3] Unhisa. Representado na iconografia com uma protuberância no topo da cabeça. Os lóbulos das orelhas alongados, que com freqüência são vistos nas estátuas do Buda, não fazem parte desta lista. [Retorna]

[4] Igual ao DN 29.13. [Retorna]

[5] Igual ao DN 26.5.[Retorna]

[6] Igual ao MN 111.2.[Retorna]

[7] Hiri, Ottapa. [Retorna]

 

 

Revisado: 30 Outubro 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.