Digha Nikaya 10

Subha Sutta

Subha

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


1.1. Assim ouvi. Em certa ocasião, o Venerável Ananda estava em Savatthi no Bosque de Jeta, no Parque de Anathapindika, não muito tempo depois do parinibbana do Abençoado. Agora, naquela ocasião, Subha, o filho de Todeyya, estava em Savathi para tratar de negócios.

1.2. Então, Subha disse para um certo jovem: “Rapaz, vá até onde está o Venerável Ananda e pergunte se ele está livre de enfermidades e aflições, se ele está com saúde, forte e vivendo com conforto, dizendo: ‘Seria bom, venerável senhor, se o Venerável Ananda fosse até a residência de Subha, o filho de Todeyya, por compaixão’.”

1.3 “Muito bem, senhor,” respondeu o rapaz. Então, ele foi até o Venerável Ananda e ambos se cumprimentaram. Quando a conversa cortês e amigável havia terminado, ele sentou a um lado e relatou a sua mensagem.

1.4. O Venerável Ananda respondeu: “Agora não é o momento apropriado, meu jovem, pois hoje eu tomei alguns medicamentos. Talvez seja possível ir amanhã, quando o momento e a ocasião forem apropriados.” E o rapaz levantou do seu assento e foi até onde estava Subha e relatou o que havia acontecido, adicionando: “Minha missão foi cumprida, o Venerável Ananda provavelmente poderá vir amanhã.”

1.5. E de fato, ao amanhecer o Venerável Ananda se vestiu e tomando a tigela e o manto externo e acompanhado pelo Venerável Cetaka foi até a moradia de Subha e sentou num assento que havia sido preparado. Então, Subha foi até o Venerável Ananda e depois de cumprimentá-lo sentou a um lado e disse: “O Venerável Ananda foi durante muito tempo o acompanhante do Venerável Gotama, estando sempre próximo a ele e em sua companhia. Você, Venerável Ananda, sabe quais são as coisas que o Venerável Gotama elogiava e com as quais ele instruía, estimulava, motivava e encorajava as pessoas. Quais, Venerável Ananda, eram essas coisas?”

1.6. “Subha, as coisas que o Abençoado elogiava e com as quais ele instruía, estimulava, motivava e encorajava as pessoas são agrupadas em três divisões. Quais três? A divisão da nobre virtude, a divisão da nobre concentração e a divisão da nobre sabedoria. Essas são as três divisões das coisas que o Abençoado elogiava e com as quais ele instruía, estimulava, motivava e encorajava as pessoas.”

“Muito bem, Venerável Ananda, qual é a divisão da nobre virtude que o Venerável Gotama elogiava e com a qual ele instruía, estimulava, motivava e encorajava as pessoas?”

1.7-29. “Jovem senhor, um Tathagata surge no mundo, um arahant, perfeitamente iluminado, consumado no verdadeiro conhecimento e conduta, bem-aventurado, conhecedor dos mundos, um líder insuperável de pessoas preparadas para serem treinadas, mestre de devas e humanos, desperto, sublime. Ele declara - tendo realizado por si próprio com o conhecimento direto - este mundo com os seus devas, maras e brahmas, esta população com seus contemplativos e brâmanes, seus príncipes e povo. Ele ensina o Dhamma, com o significado e fraseado corretos, que é admirável no início, admirável no meio, admirável no final; e ele revela uma vida santa que é completamente perfeita e imaculada. Um discípulo segue a vida santa e pratica a virtude, etc. (DN 2, versos 41-63). Assim, um bhikkhu é consumado em virtude.

1.30. “Essa é a divisão da nobre virtude que o Abençoado elogiava ... Mas ainda há mais para ser feito.”
“É maravilhoso, Venerável Ananda, é admirável! Essa divisão da nobre virtude é perfeitamente realizada, ela não permanece incompleta. E eu não vejo essa nobre virtude sendo realizada dessa forma por nenhum outro contemplativo ou Brâmane das outras escolas. E se qualquer um deles encontrasse essa perfeição dentro de si mesmos, eles ficariam tão satisfeitos que diriam: ‘Nós fizemos o suficiente! O objetivo do nosso ascetismo foi alcançado! Não há mais nada para ser feito!’ E no entanto, o Venerável Ananda afirma que ainda há mais para ser feito!”

[Fim da primeira recitação]

2.1 “Venerável Ananda, qual é a divisão da nobre concentração que o Venerável Gotama elogiava e com a qual ele instruía, estimulava, motivava e encorajava as pessoas?”

2.2-18. “Como um bhikkhu guarda as portas das faculdades dos sentidos? Ele protege as portas das faculdades dos sentidos e alcança os quatro jhanas. (DN 2, versos 64-82) Isso ele alcança através da concentração.

2.19. “Essa é a divisão da nobre concentração que o Abençoado elogiava ... Mas ainda há mais para ser feito.”
“É maravilhoso, Venerável Ananda, é admirável! Essa divisão da nobre concentração é perfeitamente realizada, ela não permanece incompleta. E eu não vejo essa nobre concentração sendo realizada dessa forma por nenhum outro contemplativo ou Brâmane das outras escolas. E se qualquer um deles encontrasse essa perfeição dentro de si mesmos, eles ficariam tão satisfeitos que diriam: ‘Nós fizemos o suficiente! O objetivo do nosso ascetismo foi alcançado! Não há mais nada para ser feito!’ E no entanto o Venerável Ananda afirma que ainda há mais para ser feito!”

2.20. “Venerável Ananda, qual é a divisão da nobre sabedoria que o Venerável Gotama elogiava e com a qual ele instruía, estimulava, motivava e encorajava as pessoas?”

2.21-22. “E assim, com a sua mente concentrada ele realiza vários insights (DN 2, versos 83-84). Isso ele compreende através da sabedoria.

2.23-36. “Ele penetra as Quatro Nobres Verdades, o caminho que conduz à cessação das impurezas (DN 2, versos 85-97). Ele compreende que ‘O nascimento foi destruído, a vida santa foi vivida, o que deveria ser feito foi feito, não há mais vir a ser a nenhum estado.’

2.37. “Essa é a divisão da nobre sabedoria que o Abençoado elogiava e com a qual ele instruía, estimulava, motivava e encorajava as pessoas. Além disso não há mais nada para ser feito.”

“É maravilhoso, Venerável Ananda, é admirável! Essa divisão da nobre sabedoria é perfeitamente realizada, ela não permanece incompleta. E eu não vejo essa nobre sabedoria sendo realizada dessa forma por nenhum outro contemplativo ou Brâmane das outras escolas. E não há mais nada para ser feito!

“Magnífico, Venerável Ananda! Magnífico, Venerável Ananda! O Venerável Ananda esclareceu o Dhamma de várias formas, como se tivesse colocado em pé o que estava de cabeça para baixo, revelasse o que estava escondido, mostrasse o caminho para alguém que estivesse perdido ou segurasse uma lâmpada no escuro para aqueles que possuem visão pudessem ver as formas. Eu busco refúgio no Mestre Gotama, no Dhamma e na Sangha dos bhikkhus. Que o Venerável Ananda me aceite como discípulo leigo que buscou refúgio para o resto da vida.”

 

 

Revisado: 17 Setembro 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.