Anguttara Nikaya VIII.54

Dighajanu Sutta (Vyagghapajja Sutta)

Para Dighajanu

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Assim ouvi. Em certa ocasião o Abençoado estava entre os Koliyas em uma cidade chamada Kakkarapatta. Nessa ocasião Dighajanu foi até o Abençoado e depois de cumprimentá-lo sentou a um lado e disse:

"Nós somos discípulos leigos que desfrutamos dos prazeres dos sentidos; vivemos numa casa cheia de crianças; gozamos do sândalo de Benares; usamos grinaldas, perfumes e ungüentos; recebemos ouro e prata. Que o Abençoado possa ensinar o Dhamma para pessoas como nós, para a nossa felicidade e bem-estar nesta vida, para nossa felicidade e bem-estar nas vidas que virão".

[O Abençoado disse:] "Existem essas quatro qualidades, Dighajanu, que trazem a felicidade e bem-estar para um leigo nesta vida. Quais quatro? Ser consumado no esforço persistente, ser consumado em vigilância, ter pessoas admiráveis como bons amigos e manter um modo de vida equilibrado.

"E o que significa ser consumado no esforço persistente? É o caso em que um leigo, qualquer que seja a ocupação através da qual ele obtenha o seu sustento - pela agricultura ou comércio ou cuidando do gado ou através do arco ou como um serviçal do rei ou qualquer outra arte - ele a executa de forma hábil e incansável, possui o discernimento da sua técnica, ele é capaz de organizar e realizar sua tarefa. A isto se denomina ser consumado no esforço persistente.

"E o que significa ser consumado em vigilância? É o caso em que um leigo possui riqueza íntegra - ganha de forma correta, proveniente da sua própria iniciativa, do seu empenho, do seu esforço, acumulada pela força do seu braço, obtida com o seu suor - ele consegue protegê-la através da vigilância [com o pensamento], 'Como farei para que reis ou ladrões não levem consigo estes meus bens, nem que o fogo os queime, nem que a água os arraste, nem que herdeiros odiosos a levem consigo?' A isto se denomina ser consumado em vigilância.

"E o que significa ter pessoas admiráveis como bons amigos? É o caso em que um leigo, em qualquer cidade ou vilarejo que ele viva, ele passa o tempo com chefes de família ou filhos de chefes de família, jovens ou idosos, que possuem a virtude desenvolvida. Ele conversa com eles, participa de discussões com eles. Ele emula a convicção consumada daqueles que são consumados em convicção, virtude consumada daqueles que são consumados em virtude, generosidade consumada daqueles que são consumados em generosidade e sabedoria consumada daqueles que são consumados em sabedoria. A isto se denomina ter pessoas admiráveis como bons amigos.

"E o que significa manter um modo de vida equilibrado? É o caso em que um leigo, conhecendo a sua receita e despesa, mantém um modo de vida equilibrado, nem perdulário nem mesquinho, [pensando], 'Dessa forma a minha receita irá exceder minha despesa e a minha despesa não irá exceder a minha receita'. Tal como um pesador ou seu aprendiz, ao segurar a balança, sabe, 'Ela se inclinou para baixo este tanto ou se inclinou para cima este tanto', da mesma forma, o leigo, conhecendo a sua receita e despesa, mantém um modo de vida equilibrado, nem perdulário nem mesquinho, [pensando], ‘Dessa forma a minha receita irá exceder minha despesa e a minha despesa não irá exceder a minha receita'. Se um leigo possui uma receita diminuta mas mantém um modo de vida luxuoso, haverá rumores a seu respeito, ‘Esse membro do clã devora a sua fortuna tal como um devorador de árvores frutíferas [Nota: alguém que sacode mais frutas de uma árvore do que possivelmente poderia comer].' Se uma pessoa leiga possui uma grande receita mas mantém um modo de vida miserável, haverá rumores a seu respeito, 'Esse membro do clã irá morrer de fome'. Mas quando uma pessoa leiga, conhecendo a receita e a despesa da sua fortuna, mantém um modo de vida equilibrado, nem perdulário nem mesquinho, [pensando], 'Dessa forma a minha receita irá exceder minha despesa e a minha despesa não irá exceder a minha receita', a isto se denomina manter um modo de vida equilibrado.

"Existem quatro escoadouros da fortuna de uma pessoa: ser seduzida pelos prazeres dos sentidos; ser seduzida pela bebida; ser seduzida pelo jogo; e ter pessoas más como amigos, associados e companheiros. Tal como se houvesse um grande reservatório com quatro condutos e quatro escoadouros e um homem fechasse os condutos e abrisse os escoadouros e o céu não vertesse chuvas adequadas, o esgotamento daquele grande reservatório poderia ser previsto, não o seu incremento. Da mesma forma, existem esses quatro escoadouros da fortuna de uma pessoa: ser seduzida pelos prazeres dos sentidos; ser seduzida pela bebida; ser seduzida pelo jogo; e ter pessoas más como amigos, associados e companheiros.

"Existem esses quatro condutos da fortuna de uma pessoa: não ser seduzida pelos prazeres dos sentidos; não ser seduzida pela bebida; não ser seduzida pelo jogo; e ter pessoas admiráveis como bons amigos, associados e companheiros. Tal como se houvesse um grande reservatório com quatro condutos e quatro escoadouros e um homem abrisse os condutos e fechasse os escoadouros e o céu vertesse chuvas adequadas, o incremento daquele grande reservatório poderia ser previsto, não o seu esgotamento. Da mesma forma, existem esses quatro condutos da fortuna de uma pessoa: não ser seduzida pelos prazeres dos sentidos; não ser seduzida pela bebida; não ser seduzida pelo jogo; e ter pessoas admiráveis como bons amigos, associados e companheiros.

"Essas, Dighajanu, são as quatro qualidades que trazem a felicidade e bem-estar para uma pessoa nesta vida.

"Existem essas quatro qualidades que trazem a felicidade e bem-estar para um leigo nas vidas que virão. Quais quatro? Ser consumado em convicção, ser consumado em virtude, ser consumado em generosidade, ser consumado em sabedoria.

"E o que significa ser consumado em convicção? É o caso em que um nobre discípulo tem convicção, está convencido da iluminação do Tathagata: 'De fato, o Abençoado é um arahant, perfeitamente iluminado, consumado no verdadeiro conhecimento e conduta, bem-aventurado, conhecedor dos mundos, um líder insuperável de pessoas preparadas para serem treinadas, mestre de devas e humanos, desperto, sublime.’ A isto se denomina ser consumado em convicção.

"E o que significa ser consumado em virtude? É o caso em que um nobre discípulo se abstém de matar, se abstém de roubar, se abstém de conduta sexual imprópria, se abstém de mentir, se abstém de tomar vinho, álcool e outros embriagantes que causam a negligência. A isto se denomina ser consumado em virtude.

"E o que significa ser consumado em generosidade? É o caso em que um nobre discípulo permanece em casa com uma mente desprovida da mácula da avareza, espontaneamente generoso, mão aberta, que se delicia com a renúncia, devotado à caridade, deliciando-se em dar e compartir. A isto se denomina ser consumado em generosidade.

"E o que significa ser consumado em sabedoria? É o caso em que um nobre discípulo tem sabedoria, com a completa compreensão da origem e cessação - nobre, penetrante, que conduz ao fim do sofrimento. A isto se denomina ser consumado em sabedoria.

"Essas, Dighajanu, são as quatro qualidades que trazem a felicidade e bem-estar para uma pessoa nas vidas que virão."

Diligente na administração
ou trabalhando na sua ocupação,
mantendo a vida equilibrada,
a pessoa protege a sua fortuna.
Uma pessoa com convicção,
perfeita em virtude,
magnânima, livre de egoísmo,
    constantemente limpa o caminho
    para proteção das vidas que virão.
Dessa forma para aquele que busca a vida em família,
essas oito qualidades, que trazem o bem-estar e a felicidade
tanto nesta vida como nas vidas que virão,
foram declaradas por aquele
    cujo nome
    é a verdade.
E é assim como, para aqueles que vivem em família,
a generosidade e o mérito se incrementam.

 


>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Abril 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.