Anguttara Nikaya VI.15

Anutappiya Sutta

Arrependimento

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Lá o venerável Sariputta se dirigiu aos monges desta forma: "Amigos." – "Amigo," eles responderam. O venerável Sariputta disse o seguinte:

"Amigos, um bhikkhu passa o tempo de tal modo que ele morre com arrependimento. E como um bhikkhu passa o tempo de tal modo que ele morre com arrependimento?

"Aqui, (1) um bhikkhu se delicia com o trabalho, ele é dedicado ao trabalho; (2) ele se delicia com as conversas, ele é dedicado às conversas; (3) ele se delicia com o sono, ele é dedicado ao sono; (4) ele se delicia com as companhias, ele é dedicado às companhias; (5) ele delicia em se associar, ele é dedicado a se associar; (6) ele se delicia com a proliferação, ele é dedicado à proliferação. [1] Quando um bhikkhu passa o tempo desse modo ele morre com arrependimento. Ele é chamado um bhikkhu que se delicia com a identidade, [2] que não abandonou a identidade para dar um completo fim ao sofrimento.

"Amigos, um bhikkhu passa o tempo de tal modo que ele morre sem arrependimento. E como um bhikkhu passa o tempo de tal modo que ele morre sem arrependimento?

"Aqui, (1) um bhikkhu não se delicia com o trabalho, ele não é dedicado ao trabalho; (2) ele não se delicia com as conversas, ele não é dedicado às conversas; (3) ele não se delicia com o sono, ele não é dedicado ao sono; (4) ele não se delicia com as companhias, ele não é dedicado às companhias; (5) ele não delicia em se associar, ele não é dedicado a se associar; (6) ele não se delicia com a proliferação, ele não é dedicado à proliferação. Quando um bhikkhu passa o tempo desse modo ele morre sem arrependimento. Ele é chamado um bhikkhu que se delicia com nibbana, que abandonou a identidade para dar um completo fim ao sofrimento.

A criatura [3] dedicada à proliferação,
que se delicia com a proliferação,
fracassou em realizar nibbana,
a insuperável segurança contra o cativeiro.

Mas aquele que abandonou a proliferação.
que se delicia com a não-proliferação,
realizou nibbana,
a insuperável segurança contra o cativeiro.

 


Notas:

[1] Veja o MN 18. [Retorna]

[2] Identidade é sakkaya em pali, veja sakkya ditthi no glossário. [Retorna]

[3] Criatura é mago em pali que em termos literais significa uma besta. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 4 Maio 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.