Anguttara Nikaya V.200

Nissaraniya Sutta

Escapatória

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


“Bhikkhus, há esses cinco elementos para escapar. [1] Quais cinco?

“Há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com os prazeres sensuais, não salta sobre os prazeres sensuais, [2] não ganha confiança, firmeza, ou a libertação nos prazeres sensuais. Mas ao se ocupar com a renúncia, [3] a mente dele salta sobre a renúncia, ganha confiança, firmeza, e a libertação na renúncia. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima dos prazeres sensuais , libertada e desunida dos prazeres sensuais, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência dos prazeres sensuais , ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória dos prazeres sensuais.

“Além disso, há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com a má vontade, [4] não salta sobre a má vontade, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação na má vontade. Mas ao se ocupar com a não má vontade, [5] a mente dele salta sobre a não má vontade, ganha confiança, firmeza, e a libertação na não má vontade. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da má vontade, libertada dela e desunida da má vontade, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da má vontade, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória da má vontade.

“Além disso, há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com a crueldade, [6] não salta sobre a crueldade, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação na crueldade. Mas ao se ocupar com a não crueldade, a mente dele salta sobre a não crueldade, ganha confiança, firmeza, e a libertação na não crueldade. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da crueldade, libertada dela e desunida da crueldade, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da crueldade, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória da crueldade.

“Além disso, há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com a forma, [7] não salta sobre a forma, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação na forma. Mas ao se ocupar com o sem forma, a mente dele salta sobre o sem forma, ganha confiança, firmeza, e a libertação no sem forma. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da forma, libertada dela e desunida da forma, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da forma, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória da forma.

“Além disso, há o caso em que a mente de um bhikkhu ao se ocupar com a identidade, [8] não salta sobre a identidade, não ganha confiança, firmeza, ou a libertação na identidade. Mas ao se ocupar com a não identidade, a mente dele salta sobre a não identidade, ganha confiança, firmeza, e a libertação na não identidade. Quando a mente dele está bem dirigida, bem desenvolvida, elevada acima da identidade, libertada dela e desunida da identidade, então, qualquer tipo de impurezas, tormentos, febres que possam surgir na dependência da identidade, ele está libertado disso. Ele não experimenta essa sensação. Isso é chamado a escapatória da identidade.

“Ele não é obcecado pelo deleite com os prazeres sensuais. Ele não é obcecado pelo deleite com a má vontade. Ele não é obcecado pelo deleite com a crueldade. Ele não é obcecado pelo deleite com a forma. Ele não é obcecado pelo deleite com a identidade. Pela ausência de qualquer obsessão [9] pelos prazeres sensuais , ausência de qualquer obsessão pela má vontade … crueldade … forma … identidade, ele é chamado de um bhikkhu sem apegos. Ele se separou do desejo, rompeu o grilhão e tendo corretamente penetrado a presunção deu um fim ao sofrimento.

“Esses, bhikkhus, são os cinco elementos para escapar.”

 


Notas:

[1] Nissaraniyo dhatuyo: oferecem a escapatória dos estados obstrutivos da mente. [Retorna]

[2] De acordo com os comentários, a contemplação da repulsa dirigida a um objeto sensual depois de emergir de jhana. Para mais detalhes sobre a contemplação da repulsa, veja o MN 10. [Retorna]

[3] De acordo com os comentários, a renúncia neste caso se refere ao primeiro jhana. Este oferece uma escapatória temporária, mas se o jhana for usado como base para o insight e for alcançado o estado de não retorno, (anagami), então a escapatória dos prazeres sensuais será completa. [Retorna]

[4] Byapada. De acordo com os comentários, a contemplação com amor bondade dirigida a um objeto que causa raiva, aversão, depois de emergir do jhana. [Retorna]

[5] Abyapada sinônimo de amor bondade. [Retorna]

[6] Vihesa. De acordo com os comentários, a contemplação com compaixão depois de emergir do jhana. [Retorna]

[7] Rupa. De acordo com os comentários, examinando a forma depois de emergir de uma realização imaterial. [ Retorna]

[8] Sakkaya. De acordo com os comentários, isto se refere ao praticante da meditação vipassana sem os jhanas, (‘dry insight,’ sukkhavipassaka), que dirige a mente para a investigação dos cinco agregados. [Retorna]

[9] Niranussayo: sem obsessões ou tendências subjacentes em relação a essas cinco coisas: prazeres sensuais, má vontade, etc. De acordo com os comentários, esta afirmação é feita em elogio ao arahant que permanece tendo realizado a cessação, a escapatória da identidade. [Retorna]

Veja também o AN VI.13

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 17 Novembro 2007

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.