Anguttara Nikaya V.162

Aghatapativinaya (dutiya) Sutta

Removendo a Raiva

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Então o venerável Sariputta se dirigiu aos monges desta forma: "Amigos." – "Amigo," eles responderam. O venerável Sariputta disse o seguinte:

"Amigos, há essas cinco meios para remover a raiva através dos quais um bhikkhu deve remover por completo a raiva quando esta surgir em relação a qualquer pessoa. Quais cinco? (1) Aqui, o comportamento corporal da pessoa é impuro, mas o seu comportamento verbal é puro; ele deve remover a raiva com relação a essa pessoa. (2) O comportamento verbal da pessoa é impuro, mas o comportamento corporal é puro; ele também deve remover a raiva com relação a essa pessoa. (3) O comportamento verbal e o comportamento corporal da pessoa são impuros, mas ela obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, a clareza mental; [1] ele também deve remover a raiva com relação a essa pessoa. (4) O comportamento verbal e o comportamento corporal da pessoa são impuros, e ela não obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, a clareza mental; ele também deve remover a raiva com relação a essa pessoa. (5) O comportamento verbal e o comportamento corporal da pessoa são puros, e ela obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, a clareza mental; ele também deve remover a raiva com relação a essa pessoa.

(1) "Como, amigos, deve a raiva ser removida em relação à pessoa cujo comportamento corporal é impuro, mas cujo comportamento verbal é puro? Suponham um bhikkhu que se veste com trapos veja um trapo na beira do caminho. Ele o pressiona com o pé esquerdo, estende com o direito, remove o pedaço intacto, e o leva consigo; do mesmo modo, quando o comportamento corporal da pessoa é impuro, mas o seu comportamento verbal é puro, nessa situação não se deve dar atenção à impureza do seu comportamento corporal mas ao invés disso deve-se dar atenção à pureza do seu comportamento verbal. Desse modo a raiva em relação a essa pessoa deve ser removida.

(2) "Como, amigos, deve a raiva ser removida em relação à pessoa cujo comportamento verbal é impuro, mas cujo comportamento corporal é puro? Suponham uma lagoa coberta com algas e plantas aquáticas. Um homem chega, aflito e oprimido pelo calor, cansado, sedento e desidratado. Ele mergulha na lagoa, remove as algas e plantas com as mãos, bebe das próprias mãos, e depois parte; do mesmo modo, quando o comportamento verbal da pessoa é impuro, mas o seu comportamento corporal é puro, nessa situação não se deve dar atenção à impureza do seu comportamento verbal mas ao invés disso deve-se dar atenção à pureza do seu comportamento corporal. Desse modo a raiva em relação a essa pessoa deve ser removida.

(3) "Como, amigos, deve a raiva ser removida em relação à pessoa cujo comportamento verbal e o comportamento corporal são impuros, mas ela obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, a clareza mental? Suponham uma poça com um pouco de água. Então uma pessoa chega, aflita e oprimida pelo calor, cansada, sedenta e desidratada. Ela pensa: 'Esse pouco de água está nessa poça. Se eu tentar tomá-la com as mãos irei agitá-la e torná-la imprópria para beber. Vou ficar de quatro e bebê-la tal como uma vaca, e depois partir.' Ele fica de quatro, bebe a água como uma vaca e parte; do mesmo modo, quando o comportamento verbal e o comportamento corporal são impuros, mas ela obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, clareza mental, nessa situação não se deve dar atenção à impureza do seu comportamento verbal e corporal mas ao invés disso deve-se dar atenção à abertura na mente, a clareza mental. Desse modo a raiva em relação a essa pessoa deve ser removida.

(4) "Como, amigos, deve a raiva ser removida em relação à pessoa cujo comportamento verbal e o comportamento corporal são impuros, e ela não obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, a clareza mental? Suponham que uma pessoa doente, aflita, gravemente enferma esteja caminhando ao longo de uma estrada, e o último vilarejo bem como o seguinte estejam ambos muito distantes. Ela não obtém comida e medicamentos adequados, ou um acompanhante qualificado; ela não tem a possibilidade de se encontrar com o líder do vilarejo. Outro homem viajando pela mesma estrada poderia vê-la e despertar a compaixão, empatia e carinhoso interesse, pensando: 'Ah, que essa pessoa obtenha comida e medicamentos adequados, e um acompanhante qualificado! Que ela possa se encontrar com o líder do vilarejo! Por qual razão? De modo que essa pessoa não sofra aqui a calamidade e o desastre.' Do mesmo modo, quando o comportamento verbal e o comportamento corporal são impuros, e ela não obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, a clareza mental, nessa situação deve-se despertar a compaixão, empatia e carinhoso interesse, pensando: 'Ah, que esse venerável abandone a conduta corporal imprópria e desenvolva a conduta corporal apropriada; que esse venerável abandone a conduta verbal imprópria e desenvolva a conduta verbal apropriada; que esse venerável abandone a conduta mental imprópria e desenvolva a conduta mental apropriada! Por qual razão? De modo que com a dissolução do corpo após a morte ele não renasça num estado de privação, num destino infeliz, nos reinos inferiores, no inferno.' Desse modo a raiva em relação a essa pessoa deve ser removida.

(5) "Como, amigos, deve a raiva ser removida em relação à pessoa cujo comportamento verbal e o comportamento corporal são puros, e ela obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, a clareza mental? Suponham uma lagoa com a água límpida, cristalina, doce, e fresca, um lugar delicioso sombreado com várias árvores. Um homem chega, aflito e oprimido pelo calor, cansado, sedento e desidratado. Ele mergulha na lagoa, se banha e bebe, e depois saindo da lagoa ele senta à sombra das árvores; do mesmo modo, quando o comportamento verbal e o comportamento corporal são puros, e ela obtém de tempos em tempos uma abertura na mente, a clareza mental, nessa situação deve-se dar atenção à pureza do seu comportamento verbal e corporal, e à abertura na mente, a clareza mental. Desse modo a raiva em relação a essa pessoa deve ser removida. Amigos, através de uma pessoa que inspira confiança de todos os modos, a mente ganha confiança.

"Esses, amigos, são os cinco meios para remover a raiva através dos quais um bhikkhu deve remover por completo a raiva quando esta surgir em relação a qualquer pessoa."

 


Notas:

[1] De acordo com os comentários a abertura mental significa uma oportunidade para a tranquilidade e o insight, a clareza significa a obtenção da fé. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 6 Abril 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.