Anguttara Nikaya V.144

Tikandaki Sutta

Tikandaki

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Em certa ocasião o Abençoado estava em Saketa, no Bosque Tikandaki. Lá ele se dirigiu aos monges desta forma: "Bhikkhus." – "Venerável Senhor," eles responderam. O Abençoado disse o seguinte:

"(1) Bhikkhus, é bom que um bhikkhu de tempos em tempos permaneça percebendo o repulsivo no não repulsivo. (2) É bom que um bhikkhu de tempos em tempos permaneça percebendo o não repulsivo no repulsivo. (3) É bom que um bhikkhu de tempos em tempos permaneça percebendo o repulsivo em ambos no repulsivo e no não repulsivo. (4) É bom que um bhikkhu de tempos em tempos permaneça percebendo o não repulsivo em ambos no repulsivo e no não repulsivo. (5) É bom que um bhikkhu de tempos em tempos permaneça com equanimidade, com atenção plena e plena consciência, tendo se afastado de ambos o repulsivo e o não repulsivo. [1]

(1) "E por qual benefício deve um bhikkhu permanecer percebendo o repulsivo no não repulsivo? 'Que nenhuma cobiça surja em mim com relação a coisas que provocam a cobiça!': por esse benefício um bhikkhu deve permanecer percebendo o repulsivo no não repulsivo.

(2) "E por qual benefício deve um bhikkhu permanecer percebendo o não repulsivo no repulsivo? 'Que nenhuma raiva surja em mim com relação a coisas que provocam a raiva!': por esse benefício um bhikkhu deve permanecer percebendo o não repulsivo no repulsivo.

(3) "E por qual benefício deve um bhikkhu permanecer percebendo o repulsivo em ambos no repulsivo e no não repulsivo? 'Que nenhuma cobiça surja em mim com relação a coisas que provocam a cobiça, e que nenhuma raiva surja em mim com relação a coisas que provocam a raiva!': por esse benefício um bhikkhu deve permanecer percebendo o repulsivo em ambos no repulsivo e no não repulsivo.

(4) "E por qual benefício deve um bhikkhu permanecer percebendo o não repulsivo em ambos no repulsivo e no não repulsivo? 'Que nenhuma raiva surja em mim com relação a coisas que provocam a raiva, e que nenhuma cobiça surja em mim com relação a coisas que provocam a cobiça!': por esse benefício um bhikkhu deve permanecer percebendo o não repulsivo em ambos no repulsivo e no não repulsivo.

(5) "E por qual benefício deve um bhikkhu permanecer com equanimidade, com atenção plena e plena consciência, tendo se afastado de ambos o repulsivo e o não repulsivo? 'Que nenhuma cobiça em absoluto surja em mim com relação a coisas que provocam a cobiça! Que nenhuma raiva em absoluto surja em mim com relação a coisas que provocam a raiva! Que nenhuma delusão em absoluto surja em mim com relação a coisas que provocam a delusão!': por esse benefício um bhikkhu deve permanecer com equanimidade, com atenção plena e plena consciência, tendo se afastado de ambos o repulsivo e o não repulsivo."

 


Notas:

[1] Veja o MN 152 - nota 9. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 6 Abril 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.