Anguttara Nikaya IX.42

Sambadha Sutta

Confinamento

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Assim ouvi. Certa ocasião o venerável Ananda estava em Kosambi no Parque de Ghosita. Então o venerável Udayi foi até o venerável Ananda e eles se cumprimentaram, quando a conversa amigável e cortês havia terminado ele sentou a um lado e disse para o venerável Ananda:

"Isto foi dito pelo jovem deva Pancalacanda: [1]

“'Aquele com ampla sabedoria de fato encontrou
a passagem no meio do confinamento,
o Buda que descobriu os jhanas,
o solitário touro entre os homens, o sábio.'

"Amigo, a que se referiu o Abençoado com 'confinamento' e ' a passagem no meio do confinamento'?

"Amigo, o Abençoado se referiu aos cinco objetos do prazer sensual como confinamento. Quais cinco? Formas percebidas pelo olho que são desejáveis, agradáveis e fáceis de serem gostadas, conectadas com o desejo sensual e que provocam a cobiça. Sons percebidos pelo ouvido ... Aromas percebidos pelo nariz ... Sabores percebidos pela língua ... Tangíveis percebidos pelo corpo que são desejáveis, agradáveis e fáceis de serem gostados, conectados com o desejo sensual e que provocam a cobiça. O Abençoado se referiu a esses cinco objetos do prazer sensual como confinamento. [2]

(1) 'Aqui, amigo, afastado dos prazeres sensuais, afastado das qualidades não hábeis, um bhikkhu entra e permanece no primeiro jhana ... foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido provisório. Nisso também há confinamento. Qual é esse confinamento? Qualquer pensamento aplicado e pensamento sustentado que não tenha cessado, esse é o confinamento nesse caso.

(2) 'Outra vez, amigo, abandonando o pensamento aplicado e sustentado, um bhikkhu entra e permanece no segundo jhana ... foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido provisório. Nisso também há confinamento. Qual é esse confinamento? Qualquer êxtase que não tenha cessado, esse é o confinamento nesse caso.

(3) 'Outra vez, amigo, abandonando o êxtase, um bhikkhu entra e permanece no terceiro jhana ... foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido provisório. Nisso também há confinamento. Qual é esse confinamento? Qualquer prazer conectado com a equanimidade que não tenha cessado, esse é o confinamento nesse caso.

(4) 'Outra vez, amigo, com o completo desaparecimento da felicidade, um bhikkhu entra e permanece no quarto jhana ... foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido provisório. Nisso também há confinamento. Qual é esse confinamento? Qualquer percepção da forma que não tenha cessado, esse é o confinamento nesse caso.

(5) 'Outra vez, amigo, com a completa superação das percepções da forma, com o desaparecimento das percepções do contato sensorial, sem dar atenção às percepções da diversidade, consciente de que o ‘espaço é infinito,’ ele entra e permanece na base do espaço infinito. Foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido provisório. Nisso também há confinamento. Qual é esse confinamento? Qualquer percepção da base do espaço infinito que não tenha cessado, esse é o confinamento nesse caso.

(6) 'Outra vez, amigo, com a completa superação da base do espaço infinito um bhikkhu entra e permanece na base da consciência infinita. Foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido provisório. Nisso também há confinamento. Qual é esse confinamento? Qualquer percepção da base da consciência infinita que não tenha cessado, esse é o confinamento nesse caso.

(7) 'Outra vez, amigo, com a completa superação da base da consciência infinita, um bhikkhu entra e permanece na base do nada. Foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido provisório. Nisso também há confinamento. Qual é esse confinamento? Qualquer percepção da base do nada que não tenha cessado, esse é o confinamento nesse caso.

(8) 'Outra vez, amigo, com a completa superação da base do nada, um bhikkhu entra e permanece na base da nem percepção, nem não percepção. Foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido provisório. Nisso também há confinamento. Qual é esse confinamento? Qualquer percepção da base da nem percepção, nem não percepç que não tenha cessado, esse é o confinamento nesse caso.

(9) 'Outra vez, amigo, com a completa superação da base da nem percepção, nem não percepção, um bhikkhu entra e permanece na cessação da percepção e sensação, e tendo visto com sabedoria, as suas impurezas são destruídas Foi com referência a isso que o Abençoado se referiu à passagem no meio do confinamento, num sentido não-provisório.

 


Notas:

[1] Veja o SN II.7. [Retorna]

[2] Nota do tradutor: Esta é mais uma evidência que nos jhanas o impacto sensorial cessa, veja o AN IX.31 e AN IX.38. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 22 Novembro 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.