Anguttara Nikaya IV.28

Ariya-vamsa Sutta

O Discurso das Tradições dos Nobres

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


Essas quatro tradições dos Nobres – originais, muito antigas, tradicionais, não adulteradas, íntegras desde o princípio – não são suscetíveis de suspeita, nunca estarão sujeitas à suspeita, não são criticadas pelos sábios, brâmanes e contemplativos. Quais quatro?

É o caso em que o bhikkhu está satisfeito com qualquer tecido para um manto. Ele louva a satisfação com qualquer tecido para um manto. Por causa do tecido para um manto ele não faz nada que seja inadequado ou não apropriado. Não obtendo o tecido ele não fica agitado. Obtendo o tecido, ele o utiliza sem gerar apego, desencantado, sem culpa, vendo as desvantagens (resultantes do apego ), e discernindo como escapar dele. Por conta de sua satisfação com qualquer tecido para um manto, ele não exalta a si mesmo e nem menospreza os outros. Nisso ele é habilidoso, energético, com plena consciência e plenamente atento. Dessa forma, bhikkhus, se caracteriza um bhikkhu que se mantém firme nas antigas e originais tradições dos Nobres.

Além disso, o bhikkhu está satisfeito com qualquer alimento esmolado. Ele louva a satisfação com qualquer alimento esmolado. Por causa do alimento ele não faz nada que seja inadequado ou não apropriado. Não obtendo alimento esmolado, ele não fica agitado. Obtendo alimento esmolado, ele o utiliza sem gerar apego, desencantado, sem culpa, vendo as desvantagens (resultantes do apego ), e discernindo como escapar dele. Por conta de sua satisfação com o alimento esmolado, ele não exalta a si mesmo e nem menospreza os outros. Nisso ele é habilidoso, energético, com plena consciência e plenamente atento. Dessa forma, bhikkhus, se caracteriza um bhikkhu que se mantém firme nas antigas e originais tradições dos Nobres.

Além disso, o bhikkhu está satisfeito com qualquer moradia. Ele louva a satisfação com qualquer moradia. Por causa de uma moradia ele não faz nada que seja inadequado ou não apropriado. Não obtendo uma moradia, ele não fica agitado. Obtendo uma moradia, ele a utiliza sem gerar apego, desencantado, sem culpa, vendo as desvantagens (resultantes do apego ), e discernindo como escapar dele. Por conta de sua satisfação com a moradia, ele não exalta a si mesmo e nem menospreza os outros. Nisso ele é habilidoso, energético, com plena consciência e plenamente atento. Dessa forma, bhikkhus, se caracteriza um bhikkhu que se mantém firme nas antigas e originais tradições dos Nobres.

Além disso, o bhikkhu encontra prazer e deleite na meditação, encontra prazer e deleite no abandono. Por conta de seu prazer e deleite na meditação e no abandono, ele não exalta a si mesmo e nem menospreza os outros. Nisso ele é habilidoso, energético, com plena consciência e plenamente atento. Dessa forma, bhikkhus, se caracteriza um bhikkhu que se mantém firme nas antigas e originais tradições dos Nobres.

Essas são as quatro tradições dos Nobres – originais, muito antigas, tradicionais, não adulteradas, íntegras desde o princípio – não são suscetíveis de suspeita, nunca estarão sujeitas à suspeita, não são criticadas pelos sábios, brâmanes e contemplativos.

Além disso, um bhikkhu dotado dessas quatro tradições dos Nobres, se ele viver no leste, ele conquistará o desprazer e não será conquistado pelo desprazer. Se ele viver no oeste ... no norte ... no sul, ele conquistará o desprazer e não será conquistado pelo desprazer. Por que isso? Porque os sábios toleram ambos o prazer e o desprazer.

Isso foi o que o Abençoado disse. Tendo dito isto, ele disse mais:

O desprazer não conquista o iluminado.
O desprazer não o abate.
Ele conquista o desprazer
porque ele o tolera.

Tendo descartado todas ações:
quem poderá obstruí-lo?
Como um ornamento feito com o ouro mais puro:
Quem encontrará nele algum defeito?
Mesmo os Devas o elogiam,
até mesmo Brahma o elogia.

 


 

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 2 Março 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.