Anguttara Nikaya IV.10

Yoga Sutta

Grilhão

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


"Bhikkhus, há esses quatro grilhões. Quais quatro? O grilhão dos sentidos, o grilhão de ser/existir, o grilhão das idéias, e o grilhão da ignorância.

(1) "E qual, bhikkhus, é o grilhão dos sentidos? Neste caso, alguém não compreende como na verdade é a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória, com relação aos prazeres dos sentidos. Quando alguém não compreende essas coisas como elas na verdade são, então a cobiça sensual, o deleite sensual, a afeição sensual, a paixão sensual, a sede sensual, a obsessão sensual, o apego sensual, e o desejo sensual preenchem a mente por completo. Esse é chamado o grilhão dos sentidos.

(2) "E qual é o grilhão de ser/existir? Neste caso, alguém não compreende como na verdade é a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória, com relação ao ser/existir. Quando alguém não compreende essas coisas como elas na verdade são, então a cobiça pelo ser/existir, o deleite pelo ser/existir, a afeição pelo ser/existir, a paixão pelo ser/existir, a sede pelo ser/existir, a obsessão pelo ser/existir, o apego pelo ser/existir, e o desejo pelo ser/existir preenchem a mente por completo. Esse é chamado o grilhão de ser/existir.

(3) "E qual é o grilhão das idéias? Neste caso, alguém não compreende como na verdade é a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória, com relação às idéias. Quando alguém não compreende essas coisas como elas na verdade são, então a cobiça pelas idéias, o deleite pelas idéias, a afeição pelas idéias, a paixão pelas idéias, a sede pelas idéias, a obsessão pelas idéias, o apego pelas idéias, e o desejo pelas idéias preenchem a mente por completo. Esse é chamado o grilhão das idéias.

(4) "E qual é o grilhão da ignorância? Neste caso, alguém não compreende como na verdade é a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória, com relação às seis bases do contato. Quando alguém não compreende essas coisas como elas na verdade são, então a ignorância e o desconhecimento preenchem a mente por completo. Esse é chamado o grilhão da ignorância. Esses são o grilhão dos sentidos, o grilhão de ser/existir, o grilhão das idéias, e o grilhão da ignorância."

"Bhikkhus, há esses quatro rompimentos dos grilhões. Quais quatro? O rompimento do grilhão dos sentidos, o rompimento do grilhão de ser/existir, o rompimento do grilhão das idéias, e o rompimento do grilhão da ignorância.

(1) "E como, bhikkhus, é o rompimento do grilhão dos sentidos? Neste caso, alguém compreende como na verdade é a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória, com relação aos prazeres dos sentidos. Quando alguém compreende essas coisas como elas na verdade são, então a cobiça sensual, o deleite sensual, a afeição sensual, a paixão sensual, a sede sensual, a obsessão sensual, o apego sensual, e o desejo sensual não preenchem a mente por completo. Esse é chamado o rompimento do grilhão dos sentidos.

(2) "E qual é o rompimento do grilhão de ser/existir? Neste caso, alguém compreende como na verdade é a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória, com relação ao ser/existir. Quando alguém compreende essas coisas como elas na verdade são, então a cobiça pelo ser/existir, o deleite pelo ser/existir, a afeição pelo ser/existir, a paixão pelo ser/existir, a sede pelo ser/existir, a obsessão pelo ser/existir, o apego pelo ser/existir, e o desejo pelo ser/existir não preenchem a mente por completo. Esse é chamado o rompimento do grilhão de ser/existir.

(3) "E qual é o rompimento do grilhão das idéias? Neste caso, alguém compreende como na verdade é a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória, com relação às idéias. Quando alguém compreende essas coisas como elas na verdade são, então a cobiça pelas idéias, o deleite pelas idéias, a afeição pelas idéias, a paixão pelas idéias, a sede pelas idéias, a obsessão pelas idéias, o apego pelas idéias, e o desejo pelas idéias não preenchem a mente por completo. Esse é chamado o rompimento do grilhão das idéias.

(4) "E qual é o rompimento do grilhão da ignorância? Neste caso, alguém compreende como na verdade é a origem e a cessação, a gratificação, o perigo e a escapatória, com relação às seis bases do contato. Quando alguém compreende essas coisas como elas na verdade são, então a ignorância e o desconhecimento não preenchem a mente por completo. Esse é chamado o rompimento do grilhão da ignorância. Esses são o rompimento do grilhão dos sentidos, o rompimento do grilhão de ser/existir, o rompimento do grilhão das idéias, e o rompimento do grilhão da ignorância."

"Ele está despegado dos estados ruins e prejudiciais que contaminam, que causam a renovação de ser/existir, que causam problemas, que amadurecem no sofrimento e conduzem ao futuro nascimento, envelhecimento e morte; portanto é dito que ele 'está livre do cativeiro'. Esses são os quatro rompimentos dos grilhões."

Atado pelo grilhão dos sentidos
e pelo grilhão do ser/existir,
agrilhoado pelas idéias,
precedidas pela ignorância,
os seres perambulam por samsara,
conduzidos para o nascimento e morte.

Mas tendo compreendido por completo
os prazeres dos sentidos e os grilhões do ser/existir,
tendo desenraizado os grilhões das idéias
e dissolvido a ignorância,
os sábios romperam todos os grilhões;
tendo superado o cativeiro.

 


 

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 2 Março 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.