Anguttara Nikaya III.99

Lonaphala Sutta

O Punhado de Sal

Somente para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser impresso para distribuição gratuita.
Este trabalho pode ser re-formatado e distribuído para uso em computadores e redes de computadores
contanto que nenhum custo seja cobrado pela distribuição ou uso.
De outra forma todos os direitos estão reservados.

 


"Bhikkhus, para qualquer um que diga, ‘Qualquer que seja a forma pela qual uma pessoa faça kamma, é desse modo que ele será experimentado,’ não há como viver a vida santa, não há oportunidade para o correto fim do sofrimento. Mas para qualquer um que diga, ‘Quando uma pessoa faz kamma para ser sentido de tal e tal forma, assim é como o seu resultado é experimentado,’ há como viver a vida santa, há oportunidade para o correto fim do sofrimento.

"Há o caso em que um ato insignificante cometido por um certo indivíduo o conduz ao inferno. Há o caso em que o mesmo tipo de ato insignificante cometido por outro indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento.

"Agora um ato insignificante cometido por qual tipo de indivíduo o conduz ao inferno? É o caso em que um certo indivíduo não desenvolve a atenção plena no corpo, não desenvolve a virtude, não desenvolve a mente, não desenvolve a sabedoria: limitado, mesquinho, permanece com o sofrimento. Um ato insignificante cometido por este tipo de indivíduo o conduz ao inferno

"Agora, um ato insignificante cometido por qual tipo de indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento? É o caso em que um certo indivíduo desenvolve a atenção plena no corpo, desenvolve a virtude, desenvolve a mente, desenvolve a sabedoria: ilimitado, generoso, permanece com o imensurável.[1] Um ato insignificante cometido por esse tipo de indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento.

"Suponha que um homem deixasse cair um punhado de sal em uma pequena quantidade de água em uma taça. O que vocês pensam? A água na taça se tornaria salgada devido ao punhado de sal e não apropriada para beber?"

"Sim, senhor. Por que ocorre isso? Havendo somente uma pequena quantidade de água na taça, ela se torna salgada devido ao punhado de sal e não apropriada para beber."

"Agora suponham que um homem deixasse cair um punhado de sal no rio Gânges. O que vocês pensam? A água no rio Gânges se tornaria salgada devido ao punhado de sal e não apropriada para beber?"

"Não, senhor. Por que ocorre isso? Havendo uma grande massa de água no rio Gânges, ela não se torna salgada devido ao punhado de sal e não apropriada para beber.”

"Da mesma forma, é o caso em que um ato insignificante cometido por um indivíduo [o primeiro] o conduz ao inferno; e é o caso em que o mesmo ato insignificante cometido por outro indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento.

"Agora um ato insignificante cometido por qual tipo de indivíduo o conduz ao inferno? É o caso em que um certo indivíduo não desenvolve a atenção plena no corpo, não desenvolve a virtude, não desenvolve a mente, não desenvolve a sabedoria: limitado, mesquinho, permanece com o sofrimento. Um ato insignificante cometido por este tipo de indivíduo o conduz ao inferno.

"Agora, um ato insignificante cometido por qual tipo de indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento? É o caso em que um certo indivíduo desenvolve a atenção plena no corpo, desenvolve a virtude, desenvolve a mente, desenvolve a sabedoria: ilimitado, generoso, permanece com o imensurável. Um ato insignificante cometido por esse tipo de indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento.

o caso em que uma certa pessoa é posta na cadeia por meia moeda (kahapana), é posta na cadeia por uma moeda, é posta na cadeia por cem moedas. E é o caso em que outra pessoa não é posta na cadeia por meia moeda, não é posta na cadeia por uma moeda, não é posta na cadeia por cem moedas. Agora que tipo de pessoa é posta na cadeia por meia moeda…por uma moeda…por cem moedas? É o caso em que a pessoa é pobre, com poucas riquezas, com poucas posses. Esse é o tipo de pessoa que é posta na cadeia por meia moeda…por uma moeda…por cem moedas. E que tipo de pessoa não é posta na cadeia por meia moeda…por uma moeda…por cem moedas? É o caso em que a pessoa é rica, com muitos pertences, muitas posses. Esse é o tipo de pessoa que não é posta na cadeia por meia moeda…por uma moeda…por cem moedas.

"Da mesma forma, há o caso em que um ato insignificante cometido por um certo indivíduo o conduz ao inferno. Há o caso em que o mesmo tipo de ato insignificante cometido por outro indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento.

"Agora um ato insignificante cometido por qual tipo de indivíduo o conduz ao inferno? É o caso em que um certo indivíduo não desenvolve a atenção plena no corpo, não desenvolve a virtude, não desenvolve a mente, não desenvolve a sabedoria: limitado, mesquinho, permanece com o sofrimento. Um ato insignificante cometido por este tipo de indivíduo o conduz ao inferno.

"Agora, um ato insignificante cometido por qual tipo de indivíduo é experimentado no aqui e agora, e aparece apenas por um momento? É o caso em que um certo indivíduo desenvolve a atenção plena no corpo, desenvolve a virtude, desenvolve a mente, desenvolve a sabedoria: ilimitado, generoso, permanece com o imensurável. Um ato insignificante cometido por esse tipo de indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento.

"É o mesmo quando um açougueiro de bodes está autorizado a bater ou amarrar ou matar ou tratar como queira uma certa pessoa que rouba um bode, porém não está autorizado a bater ou amarrar ou matar ou tratar como queira uma outra pessoa que rouba um bode. Agora, que tipo de pessoa que, tendo roubado um bode, o açougueiro estará autorizado a bater ou amarrar, ou matar, ou tratar como quiser ? É o caso em que a pessoa é pobre, com poucas riquezas, com poucas posses. Esse é o tipo de pessoa que, tendo roubado um bode, o açougueiro estará autorizado a bater ou amarrar, ou matar, ou tratar como quiser. E que tipo de pessoa que, tendo roubado um bode, o açougueiro não estará autorizado a bater ou amarrar, ou matar, ou tratar como quiser? É o caso em que a pessoa é rica, com muitos pertences, muitas posses, um rei ou um ministro de um rei. Esse é o tipo de pessoa que, tendo roubado um bode, o açougueiro não estará autorizado a bater ou amarrar, ou matar, ou tratar como quiser. Tudo que ele pode fazer é ir com suas mãos postas sobre o coração e pedir: 'Por favor, estimado senhor, dê-me um bode ou o valor do bode.’

"Da mesma forma, há o caso em que um ato insignificante cometido por um certo indivíduo o conduz ao inferno. Há o caso em que o mesmo tipo de ato insignificante cometido por outro indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento.

"Agora um ato insignificante cometido por qual tipo de indivíduo o conduz ao inferno? É o caso em que um certo indivíduo não desenvolve a atenção plena no corpo, não desenvolve a virtude, não desenvolve a mente, não desenvolve a sabedoria: limitado, mesquinho, permanece com o sofrimento. Um ato insignificante cometido por este tipo de indivíduo o conduz ao inferno.

"Agora, um ato insignificante cometido por qual tipo de indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento? É o caso em que um certo indivíduo desenvolve a atenção plena no corpo, desenvolve a virtude, desenvolve a mente, desenvolve a sabedoria: ilimitado, generoso, permanece com o imensurável. Um ato insignificante cometido por esse tipo de indivíduo é experimentado no aqui e agora e aparece apenas por um momento.

"Bhikkhus, para qualquer um que diga, Qualquer que seja a forma pela qual uma pessoa faça kamma, é deste modo que ele será experimentado,’ não há como viver a vida santa, não há oportunidade para o correto fim do sofrimento. Mas para qualquer um que diga, ‘quando uma pessoa faz kamma para ser sentido de tal e tal forma, assim é como o seu resultado é experimentado,’ há como viver a vida santa, há oportunidade para o correto fim do sofrimento.”

 


 

Nota:

[1] Libertação imensurável da mente. Veja também o MN 43.30 e o AN III.65. [Retorna]

>> Próximo Sutta

 

 

Revisado: 16 Abril 2005

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.