25. Bhikkhuvagga

O Monge

 


 

 

Boa é a contenção no olho,
a contenção no ouvido é boa,
boa é a contenção no nariz,
a contenção na língua é boa.
                                                        Dhp 360

[Nota 1]

Boa é a contenção no corpo,
a contenção na linguagem é boa,
boa é a contenção na mente,
a contenção em tudo é boa.
O bhikkhu contido de todas as formas
está livre de dukkha.
                                                        Dhp 361

Com as mãos e os pés controlados
bem como a linguagem, com completo controle,
deliciando-se com a meditação, tranqüilo,
só, satisfeito, ele é chamado um bhikkhu.
                                                        Dhp 362

[Nota 2]

Um bhikkhu com a língua sob controle
fala com sabedoria, despretensioso,
capaz de explicar o fraseado e o significado,
doce como o mel é o seu discurso.
                                                        Dhp 363

[Nota 3]

O bhikkhu que permanece com o Dhamma,
pondera e se delicia com o Dhamma,
se recorda do Dhamma -
não decai do verdadeiro Dhamma.
                                                        Dhp 364

[Nota 4]

Sem desprezar o que recebeu
nem invejar o que outros receberam.
O bhikkhu que é invejoso
não realiza samadhi.
                                                        Dhp 365

[Nota 5]

Sem desprezar o que tenha recebido
mesmo que seja pouco,
com o modo de vida purificado, dedicado,
esse bhikkhu é elogiado pelos devas.
                                                        Dhp 366

Em quem não há a fabricação 'meu'
em relação à mentalidade-materialidade,
que não se aflige pelo que não é,
deveras ele é chamado bhikkhu.
                                                        Dhp 367

[Nota 6]

O bhikkhu que permanece com amor-bondade,
dedicado aos ensinamentos do Buda,
realiza o estado de paz e felicidade,
o silenciar da condicionalidade.
                                                        Dhp 368

[Nota 7]

Oh bhikkhu esvazie esse barco!
Vazio seguirá com presteza.
Livre da cobiça e da raiva
nibbana será realizado.
                                                        Dhp 369

[Nota 8]

Corte cinco e abandone cinco,
cultive outros cinco,
um bhikkhu livre de cinco grilhões
é chamado aquele que cruzou a torrente.
                                                        Dhp 370

[Nota 9]

Medite bhikkhu! Não seja negligente!
Não permita que os prazeres dos sentidos rodopiem a mente!
Negligente devorará bolas de ferro incandescentes!
Ao arder não lamente, 'Isso é dukkha'!
                                                        Dhp 371

[Nota 10]

Não existe concentração (jhana) sem sabedoria,
e não existe sabedoria sem concentração.
Aquele que tem ambos concentração e sabedoria,
está mais próximo de nibbana.
                                                        Dhp 372

O bhikkhu que busca um local isolado,
com a mente calma,
compreende o Dhamma com insight,
experimenta a felicidade transcendente.
                                                        Dhp 373

[Nota 11]

Vendo com clareza
o surgimento e cessação dos agregados
ele experimenta o êxtase e o contentamento.
É o imortal para aqueles que sabem.
                                                        Dhp 374

Controle dos sentidos, contentamento,
contenção pelas regras do Patimokkha,
Essa é a base para a vida santa
de um bhiikhu sábio.
                                                        Dhp 375

Bons amigos, nobres, energéticos e puros.
Gentil e com fina conduta.
assim pleno de contentamento
dará um fim a dukkha.
                                                        Dhp 376

Tal como o jasmim
que descarta as flores murchas,
assim também vocês bhikkhus
descartem a cobiça e a raiva.
                                                        Dhp 377

O bhikkhu com o corpo e a linguagem calmos,
com a mente calma e bem controlada,
tendo renunciado aos prazeres mundanos,
deveras é chamado de 'pacificado'.
                                                        Dhp 378

Você mesmo exorte a si mesmo!
Você mesmo examine a si mesmo!
Com atenção plena protegendo a si mesmo
o bhikkhu sempre estará feliz.
                                                        Dhp 379

Seja o seu próprio protetor,
seja o seu próprio refúgio.
Assim controle a si mesmo
tal como um mercador a sua preciosa montaria.
                                                        Dhp 380

[Nota 12]

Pleno de contentamento e confiante
nos ensinamentos do Buda,
o bhikkhu realizará o estado de paz,
a felicidade da cessação do condicionado.
                                                        Dhp 381

[Nota 13]

Com certeza o jovem bhikkhu
que se empenha no ensinamento do Buda
ilumina todo o mundo
tal como a lua livre das nuvens.
                                                        Dhp 382

 


 

Índice                                                                                             26. Brahmanavagga

 


 

Notas:

[Nota 1 - Verso 360] Veja a prática da contenção como parte do treinamento gradual de um bhikkhu no Culahatthipadopama Sutta. [Retorna]

[Nota 2 - Verso 362] Samahito: tranqüilo, uma mente que é tranqüila tendo realizado samadhi - concentração. No Culavedalla Sutta a bhikkhuni Dhammadina explica o que é concentração, qual é a base da concentração, qual é o equipamento da concentração e qual é o desenvolvimento da concentração.

"Unificação da mente é concentração; os quatro fundamentos da atenção plena são a base da concentração; os quatro tipos de esforço constituem o equipamento da concentração; a repetição, o desenvolvimento e o cultivo desses mesmos estados constituem o desenvolvimento da concentração."

Os quatro fundamentos da atenção plena são explicados no Satipatthana Sutta.
Os quatro tipos de esforço são explicados no Mahasakuludayin Sutta. [Retorna]

[Nota 3 - Verso 363] Neste verso são destacadas as virtudes da linguagem correta que é um dos elementos do Nobre Caminho Óctuplo. No Saleyyaka Sutta o Buda descreve os quatro tipos de linguagem de acordo com o Dhamma. [Retorna]

[Nota 4 - Verso 364] Seis qualidades extraordinárias do Dhamma são enumeradas:

"O Dhamma é bem proclamado pelo Abençoado, visível no aqui e agora, com efeito imediato, que convida ao exame, que conduz para adiante, para ser experimentado pelos sábios por eles mesmos."

O Dhamma possui um único sabor - nibbana. Os benefícios do Dhamma se manifestam de imediato, não é necessário aguardar uma vida futura. O Dhamma é atemporal, não se esvai com o tempo. O Dhamma está aberto para que qualquer um descubra por si mesmo. [Retorna]

[Nota 5 - Verso 365] Veja samadhi no glossário. [Retorna]

[Nota 6 - Verso 367] Nama-rupa: mentalidade-materialidade ou nome-forma é a união de fenômenos mentais (nama) e fenômenos materiais (rupa) que constituem os cinco agregados (khandha).
Com relação à "fabricação 'meu'" veja o Mahapunnama Sutta. [Retorna]

[Nota 7 - Verso 368] Amor-bondade veja metta no glossário.
O estado de paz e felicidade é nibbana.
A condicionalidade é paticca-samuppada. [Retorna]

[Nota 8 - Verso 369] O barco precisa ser esvaziado da água que se for acumulada irá afundá-lo. Uma vez que o barco esteja vazio, ambos a cobiça e a raiva se foram, com presteza irá alcançar o destino - nibbana. [Retorna]

[Nota 9 - Verso 370] Os cinco primeiros grilhões devem ser cortados, os cinco grilhões superiores devem ser abandonados, veja samyojana no glossário.
As cinco faculdades (indriya) devem ser cultivadas.
Aquele que cruzou a torrente realizou o caminho supra-mundano, veja (ariya-puggala no glossário. [Retorna]

[Nota 10 - Verso 371] Não permita que a mente vagueie pelos prazeres dos sentidos pois se permitir será como engolir bolas de ferro incandescentes no inferno. Assim lamentará o seu destino - 'Isso é sofrimento'. Não permita que isso aconteça. [Retorna]

[Nota 11 - Verso 373] A felicidade transcendente não pode ser alcançada pelas mentes comuns. É a felicidade dos quatro jhanas e das quatro realizações imateriais. [Retorna]

[Nota 12 - Verso 379-380] Este é um dos conceitos centrais do Budismo: a pessoa deve ela mesma buscar a motivação para seguir o caminho de prática sabendo que não há fontes externas ou rituais que possam salvá-la. O Budista depende apenas dos seus esforços. Alcançar a libertação pode ser comparado com uma enfermidade: se alguém está enfermo procura um médico que diagnostica a doença e prescreve o tratamento. Para ser curado ele deverá por si mesmo seguir as instruções do tratamento. [Retorna]

[Nota 13 - Verso 381] A cessação do condicionado veja paticca-samuppada. [Retorna]


Índice                                                                                              26. Brahmanavagga

 

 

Revisado: 29 Agosto 2015

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.