14. Buddhavagga

O Buda

 


 

 

Por quais rastros traçar o Buda
que não deixa rastros,
cujo alcance é ilimitado,
nenhuma das impurezas destruídas poderão lhe acossar.
                                                        Dhp 179

Por quais rastros traçar o Buda
que não deixa rastros,
cujo alcance é ilimitado,
que não mais possui o enredamento e o embaraço do desejo
que conduz ao devir.
                                                        Dhp 180

Dedicado aos jhanas,
deliciando-se na paz da renúncia,
com atenção plena, o perfeito Buda
até mesmo pelos devas é querido.
                                                        Dhp 181

Difícil é nascer como humano,
a vida para os mortais é difícil.
Difícil é encontrar o verdadeiro Dhamma,
raro o surgimento de um Buda.
                                                        Dhp 182

Evitar todo o mal,
cultivar o bem,
purificar a própria mente:
esse é o ensinamento do Buda.
                                                        Dhp 183

[Nota 1]

A paciência é a suprema ascese,
'nibbana é supremo' diz o Buda.
Não é um verdadeiro bhikkhu quem fere os outros,
nem um verdadeiro contemplativo quem prejudica os outros.
                                                        Dhp 184

[Nota 2]

Não buscando defeitos, nem causando dano,
contido pelo patimokkha,
moderado na alimentação,
permanecendo isolado,
dedicado à mente superior:
esse é o ensinamento do Buda.
                                                        Dhp 185

Mesmo que chovam moedas de ouro
os desejos sensuais não são saciados,
desejos sensuais são dukkha, proporcionam pouca alegria,
isso o sábio compreende.
                                                        Dhp 186

Mesmo os prazeres celestiais
não oferecem deleite,
o discípulo do perfeito Buda
apenas se delicia com o fim do desejo.
                                                        Dhp 187

Elas buscam muitos refúgios,
nas montanhas e florestas,
nos parques e santuários:
pessoas ameaçadas pelo medo.
                                                        Dhp 188

Esse não é o refúgio seguro,
não é o refúgio supremo,
esse não é o refúgio, ao qual se você for,
ganhará a libertação de todo sofrimento.
                                                        Dhp 189

Mas ao buscar refúgio
no Buda, Dhamma, e Sangha,
alguém vê com perfeita sabedoria
as quatro nobres verdades.
                                                        Dhp 190

Dukkha, a sua causa,
a sua cessação,
e o nobre caminho óctuplo,
o caminho para silenciar dukkha.
                                                        Dhp 191

Esse é o refúgio seguro,
esse é o refúgio supremo,
de todo dukkha alguém estará liberto
buscando esse refúgio.
                                                        Dhp 192

Difícil encontrar uma pessoa extraordinária,
que não nasce em qualquer lugar,
onde quer que essa pessoa sábia e nobre nasça
a sua família desfruta de felicidade.
                                                        Dhp 193

Afortunado é o nascimento de um Buda,
afortunado é o ensino do Dhamma,
afortunada é a harmonia da Sangha
e afortunada é a sua busca espiritual.
                                                        Dhp 194

Quem venera os veneráveis
Buda e os seus discípulos
superaram a proliferação,
abandonaram a tristeza e a lamentação.
                                                        Dhp 195

Aqueles que reverenciam
os pacificados e destemidos,
seu mérito não pode ser computado
por nenhuma medida.
                                                        Dhp 196



Índice                                                                                             15. Sukkhavagga

 


 

Notas:

[Nota 1 - Verso 183] Este é um resumo da doutrina Budista. Evitar o mal significa não cometer ações prejudiciais através do corpo, linguagem e mente. O modo mais simples e básico para evitar o mal é adotar os cinco preceitos. Cultivar o bem significa praticar ações benéficas como por exemplo a generosidade, cultivar o amor-bondade, desenvolver a paciência, cultivar o contentamento, etc. Purificar a mente significa desenvolver a meditação. [Retorna]

[Nota 2 - Verso 184] khanti paraman tapo: a paciência é a suprema ascese. Suportar pacientemente o sofrimento que os outros nos causam, com o pensamento: 'Essa pessoa é igual a mim. Com ou sem intenção devo ter causado esse sofrimento, ou pode ser devido a algum fruto de kamma passado. Visto que esse sofrimento é resultado das minhas próprias ações, porque devo despertar má-vontade em relação a essa pessoa?'

khanti: paciência, tolerância é uma excelente qualidade muito elogiada nos textos Budistas. A paciência é desenvolvida quando a inquietação e a raiva tenham sido controladas na mente. A paciência é uma qualidade essencial na prática da meditação. O processo de purificação da mente requer tempo e persistência. [Retorna]



Índice                                                                                             15. Sukkhavagga

 

 

Revisado: 12 Abril 2014

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.