12. Attavagga

O Eu

 


 

 

Com apreço por si mesmo,
um sábio se protege e resguarda
durante os três estágios da vida,
desenvolvendo a virtude como proteção.
                                                        Dhp 157

[Nota 1] - Para ouvir

 

Estabeleça primeiro a si mesmo
na virtude apropriada.
Um sábio depois ensina os outros
assim não sendo objeto de crítica.
                                                        Dhp 158

[Nota 2] - Para ouvir

 

Ao ensinar os outros
o bom exemplo é o que mais vale.
Bem controlado, ele consegue com que os outros se controlem,
o mais difícil é disciplinar a si mesmo.
                                                        Dhp 159

[Nota 3] - Para ouvir

 

Cada um é o seu próprio refúgio,
quem mais poderia ser um refúgio?
Treinando bem a si mesmo
um refúgio difícil de ser obtido é conquistado.
                                                        Dhp 160

Para ouvir

O mal é feito pela própria pessoa.
Nascido dela, por ela produzido.
As más ações moem a pessoa tola
tal como o diamante a gema mais dura.
                                                        Dhp 161

Para ouvir

Desprovido de disciplina e virtude,
tal como uma árvore sufocada por uma trepadeira,
ele assim faz contra si mesmo
aquilo que os seus inimigos desejariam.
                                                        Dhp 162

Para ouvir

Fácil é agir com o mal,
prejudicando a si mesmo.
Mas o que é bom, que traz benefício,
é difícil de ser feito.
                                                        Dhp 163

[Nota 4] - Para ouvir

 

Os tolos que se apóaim
em idéias equivocadas e desdenham
os ensinamentos dos arahants,
ou dos nobres que vivem o Dhamma.
Iguais à fruta do bambu,
que frutifica para a auto-destruição.
                                                        Dhp 164

[Nota 5] - Para ouvir

 

A própria pessoa faz o mal,
ela mesma se contamina,
ela mesma deixa o mal,
ela mesma se purifica.
Pureza, contaminação, dependem dela mesma,
ninguém pode purificar outrem.
                                                        Dhp 165

Para ouvir

Não negligencie o bem maior
por conta de outrem, embora importante.
Saiba bem o que lhe traz benefício
e dedique-se a isso
                                                        Dhp 166

[Nota 6] - Para ouvir

 

 


 

Índice                                                                                             13. Lokavagga

 


 

Notas:

[Nota 1 - Verso 157] attanam surakkhitam rakkheyya: se protege e resguarda. Essa advertência enfatiza uma das principais características do Budismo. A libertação de cada um é responsabilidade de cada um. Ninguém pode fazer isso no nosso lugar.

O Budismo não pode ser considerado como uma religião no sentido que essa palavra é entendida normalmente pois não é um sistema de fé e devoção que deve lealdade a algum tipo de entidade sobrenatural. O Budismo não demanda a fé cega dos seus adeptos. Por conseguinte, a mera crença é deposta sendo subsituída pela confiança baseada no conhecimento. A confiança de um adepto do Budismo é semelhante ao paciente em relação a um médico respeitado, ou de um estudante em relação ao seu mestre. Embora um Budista busque refúgio no Buda como guia e mestre incomparável que indica o caminho para a emancipação, isso não significa uma capitulação servil. Um Budista não crê ser possível alcançar a emancipação simplesmente através do refúgio no Buda, ou através da mera fé. Não faz parte dos poderes do Buda remover as impurezas mentais das pessoas. O Buda como mestre é de grande ajuda mas cada um é reponsável pela sua própria emancipação. [Retorna]

[Nota 2 - Verso 158] pathamam attanam eva: estabeleça primeiro a si mesmo. Isso não significa que o Buda defendia o egoísmo, pelo contrário, é uma questão de definir corretamente as prioridades. Primeiro busque desenvolver a si próprio, depois será possível ajudar os outros. Sem ter superado o próprio egoísmo não é possível ajudar os outros a fazerem o mesmo. [Retorna]

[Nota 3 - Verso 159] attanam tatha kariya: o bom exemplo é o que mais vale. Isso é dito com relação aos que instruem de uma certa forma mas se comportam de forma contrária. O Buda sempre enfatizou a prática, não somente as palavras, prática que cada um deve assumir como sua responsabilidade. [Retorna]

[Nota 4 - Verso 163] attano ahitani sukarani: Fácil é agir com o mal, prejudicando a si mesmo. Isto foi dito com referência ao cisma criado por Devadatta. [Retorna]

[Nota 5 - Verso 164] ditthi: idéia, entendimento, opinião. Se não estiver qualificado com samma (correto) se refere em geral a entendimentos ou idéias/opiniões ruins e prejudiciais (miccha) que devem ser rejeitados por ser fonte de conduta e aspirações ruins e capazes de conduzir os seres aos abismos mais profundos da depravação.

Nos ensinamentos do Buda há vários níveis de entendimento incorreto. O nível mais fundamental é descrito no Saleyyaka Sutta no qual o entendimento incorreto é definido como a negação da vida após a morte e das conseqüências de kamma.

phalani iva attaghaññaya: frutifica para a auto-destruição. O bambu é destruído depois que produz os frutos. [Retorna]

[Nota 6 - Verso 166] attadattham: bem maior, que significa nibbana. Alguém não deve sacrificar o progresso no caminho espiritual devido à prática de muitos atos de serviço para os outros. Ajude os outros mas não negligencie o seu próprio progresso espiritual, aquilo que lhe traz benefício.


Índice                                                                                              13. Lokavagga

 

 

Revisado: 2 Novembro 2013

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.