Pensamento Correto

Samma Sankappo

Pensamento Correto é o segundo dos oito elementos que compõem o Nobre Caminho Óctuplo e pertence ao grupo da sabedoria




Definição

"E o que é pensamento correto? O pensamento da renúncia, de estar livre da má vontade e de estar livre da crueldade. A isto se chama pensamento correto."

-- SN XLV.8 


Cultivando pensamentos hábeis

" E como alguém se torna puro de três formas pela ação mental? É o caso em que alguém não é cobiçoso. Ele não cobiça as posses dos outros, pensando, 'Ah, que aquilo que pertence aos outros seja meu!' A sua mente não possui má vontade e as suas intenções estão isentas de raiva: 'Que esses seres possam estar livres da inimizade, aflição e ansiedade! Que eles vivam felizes!’ Ele tem entendimento correto e não vê as coisas de forma distorcida: ‘Existe aquilo que é dado e o que é oferecido e o que é sacrificado; existe fruto e resultado de boas e más ações; existe este mundo e o outro mundo; existe a mãe e o pai; existem seres que renascem espontaneamente; existem no mundo brâmanes e contemplativos bons e virtuosos que, após terem conhecido e compreendido diretamente por eles mesmos, proclamam este mundo e o próximo.’

-- AN X.176 


A sua relação com os outros elementos do caminho

" E como é que o entendimento correto vem primeiro? A pessoa compreende pensamento incorreto como pensamento incorreto e pensamento correto como pensamento correto. E o que é pensamento incorreto? O pensamento de sensualidade, o pensamento de má vontade, o pensamento de crueldade: isso é pensamento incorreto...

"A pessoa faz o esforço para abandonar o pensamento incorreto e penetrar no pensamento correto: Esse é o esforço correto da pessoa. A pessoa com atenção plena abandona o pensamento incorreto e penetra e permanece no pensamento correto: Essa é a atenção plena correta da pessoa. Dessa forma essas três qualidades - entendimento correto, pensamento correto e atenção plena correta – giram em torno do entendimento correto."

-- MN 117 


Dividindo o pensamento em duas categorias

“Bhikkhus, antes da minha iluminação, quando eu ainda era apenas um Bodisatva não iluminado, eu pensei: ‘E se eu dividisse os meus pensamentos em duas categorias.’ Então coloquei de um lado os pensamentos de desejo sensual, pensamentos de má vontade e pensamentos de crueldade; e coloquei do outro lado os pensamentos de renúncia, pensamentos de não má vontade e pensamentos de não crueldade.

“Enquanto assim permanecia, diligente, ardente e decidido, um pensamento de desejo sensual surgiu em mim. Eu compreendi desta forma: ‘Este pensamento de desejo sensual surgiu em mim. Isso conduz à minha própria aflição, à aflição dos outros e à aflição de ambos; isso obstrui a sabedoria, causa dificuldades, e afasta de Nibbana.’ Ao pensar: ‘Isto conduz à minha própria aflição,’ aquilo arrefeceu em mim; ao pensar: ‘Isto conduz à aflição dos outros,’ aquilo arrefeceu em mim; ao pensar: ‘Isto conduz à aflição de ambos,’ aquilo arrefeceu em mim; ao pensar: ‘Isso obstrui a visão, causa dificuldades, e afasta de Nibbana,’ aquilo arrefeceu em mim. Sempre que um desejo sensual surgia em mim, eu o abandonava, o removia, o eliminava.

“Enquanto assim permanecia, diligente, ardente e decidido, um pensamento de má vontade surgiu em mim…um pensamento de crueldade surgiu em mim. Eu compreendi desta forma: ‘Este pensamento de crueldade surgiu em mim. Isso conduz à minha própria aflição, à aflição dos outros e à aflição de ambos; isso obstrui a sabedoria, causa dificuldades, e afasta de Nibbana.’ Ao pensar: ‘Isto conduz à minha própria aflição,’ aquilo arrefeceu em mim; ao pensar: ‘Isto conduz à aflição dos outros,’ aquilo arrefeceu em mim; ao pensar: ‘Isto conduz à aflição de ambos,’ aquilo arrefeceu em mim; ao pensar: ‘Isso obstrui a visão, causa dificuldades, e afasta de Nibbana,’ aquilo arrefeceu em mim. Sempre que um pensamento de crueldade surgia em mim, eu o abandonava, o removia, o eliminava.

“Bhikkhus, qualquer coisa na qual um bhikkhu pense e pondere com freqüência, essa passará a ser a tendência da sua mente. Se ele pensar e ponderar com freqüência pensamentos de desejo sensual, ele terá abandonado o pensamento da renúncia para cultivar o pensamento do desejo sensual, e então a sua mente irá tender para os pensamentos desejo sensual. Se ele pensar e ponderar com freqüência pensamentos de má vontade…pensamentos de crueldade, ele terá abandonado o pensamento da não crueldade para cultivar o pensamento da crueldade, e então a sua mente irá tender para os pensamentos de crueldade.

-- MN 19 


Refletindo sobre as ações que praticamos

“Rahula, quando você quiser praticar uma ação com o corpo, você deveria refletir a respeito: 'Esta ação corporal que quero praticar - conduzirá à minha própria aflição, à afliição de outros, ou ambos? É uma ação corporal sem habilidade, com conseqüências dolorosas, resultados dolorosos?' Se, refletindo, você sabe que conduzirá à sua própria aflição, à aflição de outros, ou ambos; será uma ação sem habilidade com conseqüências dolorosas, resultados dolorosos, então qualquer ação corporal desse tipo é totalmente inadequada. Porém se refletindo, você sabe que não causará aflição...será uma ação habilidosa com felizes conseqüências, felizes resultados, então qualquer ação corporal desse tipo é adequada..

"Também, Rahula, enquanto você estiver praticando uma ação com o corpo, você deveria refletir a seu respeito: 'Esta ação corporal que estou praticando - conduzirá à minha própria aflição, à aflição de outros, ou ambos? É uma ação corporal sem habilidade, com conseqüências dolorosas, resultados dolorosos?' Se, refletindo, você sabe que conduzirá à sua própria aflição, à aflição de outros, ou ambos...você deveria desistir dela. Porém se refletindo você sabe que não é...você pode continuar com a ação corporal..

“Também, Rahula, tendo praticado uma ação corporal, você deveria refletir a respeito ... se, refletindo, você sabe que conduziu à sua própria aflição, à aflição de outros, ou ambos; foi uma ação sem habilidade com conseqüências dolorosas, resultados dolorosos, então você deveria confessá-la, revelá-la, abri-la para o Mestre ou um sábio companheiro na vida santa. Tendo confessado...você deve exercer contenção no futuro.Porém se refletindo você sabe que não conduziu à aflição...foi um ação corporal habilidosa com conseqüências felizes, resultados felizes, então você deveria se sentir mentalmente renovado e contente, treinando dia e noite nos estados benéficos.

...[da mesma forma para ações verbais e mentais]...

" Portanto, Rahula, você deve treinar dessa forma: 'Eu purificarei minhas ações corporais, ações verbais e ações mentais através da repetida reflexão."

-- MN 61


Amor bondade

"Aqui, bhikkhus, uma certa pessoa permanece com o coração pleno de amor bondade permeando o primeiro quadrante com a mente imbuída de amor bondade, da mesma forma o segundo, da mesma forma o terceiro, da mesma forma o quarto; assim acima, abaixo, em volta e em todos os lugares, para todos bem como para si mesma, ela permanece permeando o mundo todo com a mente imbuída de amor bondade, abundante, transcendente, imensurável, sem hostilidade e sem má vontade."

-- AN IV.125 


Para si mesmo, para os outros

“De duas pessoas que praticam o Dhamma de acordo com o Dhamma, tendo noção do Dhamma, tendo noção do significado – uma pratica tanto para o seu benefício como o benefício dos outros, e outra pratica para o seu próprio benefício porém não para o benefício dos outros - aquela que pratica para o seu próprio benefício porém não para o benefício dos outros deve ser criticada por isso, aquela que pratica tanto para o seu benefício como para o benefício dos outros deve ser elogiada por isso.”

-- AN VII.64


O passo seguinte no Treinamento Gradual: Linguagem Correta

 

Revisado: 2 Setembro 2006

Copyright © 2000 - 2017, Acesso ao Insight - Michael Beisert: editor, Flávio Maia: designer.